Língua Portuguesa, Literatura e Alfabetização

Categoria: Crase (Page 1 of 6)

Crase com a palavra “terra” – quando usar?

A palavra “terra” tem muitos significados, por esse motivo, o emprego da acento grave com esse termo gera muitas dúvidas. Neste artigo, vamos esclarecer quando ocorre a crase. Vejamos!

Conceito de crase

Antes de tudo, é importante relembrarmos o que é a crase. Basicamente, trata-se da fusão entre duas vogais idênticas, representada pelo acento grave (`).

  • a + a = à.

De modo geral, a crase é empregada nas seguintes situações:

  1. encontro da preposição “a” com pronomes demonstrativos (aquilo, aquela, aquele, aquelas, aquelas);
  2. encontro dos artigos definidos “a” ou “as” com a preposição “a”;
  3. encontro da preposição “a” com o pronome demonstrativo “a”.

Significado de “terra”

O termo “terra” é apositivo e substantivo de dois gêneros, além de ser uma flexão verbo terrar (2ª pessoa do singular do imperativo afirmativo e 3ª pessoa do singular do presente do indicativo).

Entre seus diversos significados, podemos destacar:

  • solo;
  • planeta, mundo (inicial maiúscula);
  • terreno;
  • lugar, região, território, localidade;
  • pátria, país de nascimento.

Crase com a palavra “terra”

Basicamente, o uso da crase com a palavra “terra” é definido a partir do significado do termo. Vejamos:

Quando não usar crase com “terra”?

Não se deve empregar a crase com a palavra “terra” quando o termo se opõe a “mar”, “bordo” e “chão” — isto é, significa “terra firme”. Veja os exemplos:

  • Desci do barco e andei até a terra.
  • Os marinheiros desceram a terra assim que o navio aportou.
  • Vamos a terra pois a bordo está muito calor.
  • Após navegar durante muitos dias, finalmente chegamos a terra.

Quando usar crase com “terra”?

A crase é empregada com a palavra “terra” em qualquer outra situação. Veja os exemplos:

  • Ela está se referindo à Terra.
  • Eu e minha família vamos à terra dos meus avós.
  • Os astronautas retornaram à Terra.
  • O pássaro voou próximo à terra.
  • Chegamos à terra natal.
  • Após uma missão espacial, ele voltou à Terra.
  • Voltamos à terra onde nascemos;

*

Gostou deste texto? Aprofunde ainda mais seus conhecimentos com nosso guia completo da crase.

Crase com nomes próprios – quando usar?

Você já se perguntou se o uso da crase com nome próprio é correto? A resposta é: depende. Neste artigo, vamos explicar o porquê. Acompanhe a leitura!

Crase

Primeiro, vale relembrar o conceito de crase. Basicamente, trata-se da união de duas vogais iguais, assinalada pelo acento grave (`).

  • a + a = à.

Geralmente, a crase é empregada em três situações:

  1. encontro da preposição “a” com pronomes demonstrativos (aquilo, aquela, aquele, aquelas, aquelas);
  2. encontro dos artigos definidos “a” ou “as” com a preposição “a”;
  3. encontro da preposição “a” com o pronome demonstrativo “a”.

Crase com nome próprio 

Agora, vamos à explicação sobre crase com nomes próprios masculinos e femininos.

Crase com nomes próprios masculinos

Como vimos acima, a crase é caracterizada  pela fusão de duas vogais idênticas e, por esse motivo, só é empregada, em regra, diante de palavras femininas. Com isso, o acento grave não é usado com nomes próprios masculinos, salvo raras exceções. 

Por exemplo, a crase pode surgir antes de um nome próprio masculino quando a expressão “à moda de” estiver implícita na frase.

  • A música foi cantada à Roberto Carlos (A música foi cantada à moda de Roberto Carlos).
  • Você bateu uma falta à Pelé. (Você bateu uma falta à moda de Pelé).
  • Vamos comer picanha à Oswaldo Aranha no almoço (Vamos comer picanha à moda Oswaldo Aranha).

Crase com nomes próprios femininos 

Já o uso da crase com nomes próprios femininos é facultativo. Em outras palavras, o acento grave pode ou não ser utilizado quando a expressão ou o verbo diante do nome exigir a preposição “a”.

Isso porque usamos o artigo definido “a” antes de alguns nomes próprios femininos, mas não antes de outros. E, normalmente, o que define esse uso é a familiaridade com a pessoa em pauta.

Além disso, também há uma questão regional. No Sul e no Sudeste, por exemplo, o uso do artigo antes de nomes próprios é habitual. 

Em resumo, funciona da seguinte forma: caso você use o artigo definido “a” antes de nomes próprios femininos, pode empregar a crase quando a situação pedir.

  • Confessei à Carla que contei seu segredo à Maria.
  • Confessei a Carla que contei seu segredo a Maria.

Regras gerais

Por fim, existem regras válidas para os dois gêneros. São elas:

  • a crase não é empregada quando o nome de uma pessoa é mencionado formalmente;
  • a crase é empregada se, mesmo formalmente, o nome de uma pessoa for mencionado de forma carinhosa ou afetiva.

*

Gostou deste texto? Aprofunde ainda mais seus conhecimentos com nosso guia completo da crase.

Às ordens x As ordens – tem crase?

Afinal, a forma certa é “às ordens” ou “as ordens”? As duas construções estão corretas, mas possuem significados diferentes. Neste artigo, vamos explicar quando usar cada uma. Acompanhe a leitura!

Crase

Primeiramente, vale relembrarmos o que é crase. Basicamente, crase é o nome que se dá à junção de vogais iguais.

  • a + a = à

Sua ocorrência é indicada por meio do acento grave, que é o acento indicador de crase.

Em geral, o acento grave é empregado em três situações:

  1. encontro da preposição “a” com o pronome demonstrativo “a”;
  2. encontro dos artigos definidos “a” ou “as” com a preposição “a”;
  3. encontro da preposição “a” com pronomes demonstrativos (aquele, aqueles, aquela, aquelas, aquilo).
Continue reading

À revelia x A revelia – tem crase?

A forma correta de escrever a expressão é “à revelia”, com crase. O termo “a revelia”, sem crase, está incorreto e em desacordo com as normas da língua portuguesa. Neste artigo, vamos explicar o porquê. Vejamos!

Definição – o que é crase?

Antes de avançarmos, vale relembrar o conceito de crase. Trata-se da contração de duas vogais idênticas, representada pelo acento grave. A contração mais recorrente acontece entre a preposição “a” e o artigo definido feminino “a”.

  • a + a = à.

Para que o uso doa cento grave seja necessário, é preciso que a preposição “a” e o artigo feminino “a” (indicativo de uma palavra feminina) aconteçam sincronicamente – isto é, ao mesmo tempo.

Continue reading

Crase antes de essa – tem ou não tem?

Não se deve usar crase antes de “essa”, tampouco antes de alguns outros pronomes demonstrativos. Neste artigo, vamos explicar o porquê. Vejamos!

Crase

Primeiramente, é importante lembrarmos o que é a crase. 

A palavra crase vem do termo grego krâsis, que significa “mistura” ou “fusão de sons”. E é justamente esta sua função: fundir duas vogais “a” que se encontram em uma oração.

Em geral, isso ocorre em três situações:

  1. encontro da preposição “a” com os artigos definidos “a” ou “as”;
  2. encontro do pronome demonstrativo “a” com a preposição “a”;
  3. encontro dos pronomes demonstrativos “aquilo”, “aquele” e “aquela” com a preposição “a”.

Nestes casos, o acento grave deve ser inserido em cima da letra “a”.

Pronomes demonstrativos

Já os pronomes demonstrativos, como é o caso do termo “essa”, servem para apontar a distância (física ou temporal) entre algo e alguém dentro do mesmo discurso. 

Exemplos

  • Pronomes demonstrativos invariáveis: aquilo, isso e isto;
  • Pronomes demonstrativos variáveis: essa, esta, essas, estas, esse, este, esses, estes, aquela, aquele, aquela, aqueles e aquelas;
  • Pronomes demonstrativos eventuais: mesmo, mesmos, mesma, mesmas, semelhante, semelhantes, tal e tais, própria, próprias, próprio, próprios.
Continue reading

Depilação a laser ou à laser – tem crase?

A forma correta é “depilação a laser“, sem crase. Neste artigo, vamos explicar por que não devemos utilizar o acento grave com essa expressão. Vejamos!

Crase

Primeiramente, vamos relembrar o que é a crase. Ela consiste na contração de duas vogais iguais e é representada pelo acento grave.

A contratação mais comum é a da preposição “a” com o artigo definido feminino “a”.

  • a + a = à.

Para que a crase ocorra, é preciso que a preposição “a” e o artigo definido feminino “a”, indicativo de uma palavra feminina, apareçam ao mesmo tempo.

Exemplos

  • Fomos à escola.
  • Vou à praça.
  • Iremos à agência bancária.
Continue reading

De segunda a sexta x De segunda à sexta – tem crase?

Na indicação de intervalo de tempo, a forma correta é “de segunda a sexta“, sem crase. Neste artigo, vamos explicar melhor essa questão. Vejamos!

Definição – o que é crase?

A crase é a contração de duas vogais iguais, representada pelo acento grave. A contratação mais comum é a da preposição “a” com o artigo definido feminino “a”.

  • a + a = à.

Para que a crase ocorra, é preciso que a preposição “a” e o artigo definido feminino “a”, indicativo de uma palavra feminina, surjam simultaneamente.

Por que “de segunda a sexta” tem crase?

Na construção “de segunda a sexta”, não há um caso de crase, pois não ocorre a presença do artigo definido feminino “a”. 

Por uma questão de paralelismo, como só há a preposição “de” antes antes da palavra “segunda”, antes da palavra “sexta” só deve haver também a preposição “a”. Com isso, não existe possibilidade de contração.

Para entender melhor esse ponto, podemos substituir a palavra feminina “sexta” pela palavra masculina “sábado”. Isso deixará mais claro que não temos um caso de contração (“ao”), mas somente a presença da preposição, sem o uso do artigo definido masculino “o”:

  • De segunda a sexta;
  • De segunda a sábado.
Continue reading

A la x À la – tem ou não tem crase?

A expressão correta é “à la“, mas não se trata de um caso de crase. Neste artigo, vamos explicar melhor essa questão. Vejamos!

Francês

A locução prepositiva “à la” tem origem no francês e é utilizada em sua forma original na língua portuguesa. Ela significa “a maneira de” ou “a moda de”.

Vale destacar, contudo, que não estamos diante de um caso de crase, mas sim do uso do acento grave da língua francesa, que tem funções distintas do acento grave do português. No país da Torre Eiffel, a preposição “a” sempre é acentuada.

Continue reading

Festa à fantasia ou a fantasia – tem crase?

A forma correta é festa à fantasia, com crase. Neste artigo, vamos explicar por que devemos utilizar o acento grave com essa expressão. Vejamos!

Definição – o que é crase?

Antes de avançarmos, vale a pena rememorar o que é a crase. A palavra vem do grego krâsis, que significa “fusão de sons” ou “mistura”.

Ela ocorre quando há o encontro de vogais iguais => a + a = à. Acontece, em geral, em três casos:

a) Encontro da preposição “a” com os artigos definidos “a” ou “as”;
b) Encontro do pronome demonstrativo “a” com a preposição “a”;
c) Encontro dos pronomes demonstrativos aquele, aquela e aquilo com a preposição “a”.

Quando isso acontece, devemos usar o acento grave em cima da letra “a” (à).

Continue reading

Vale a pena x Vale à pena – tem crase?

A forma correta é vale a pena, sem crase. A expressão vale à pena, com crase, não existe e está incorreta. Neste artigo, vamos por que não devemos usar o acento grave. Vejamos!

Significado de “vale a pena”

A expressão valer a pena indica que algo ou alguém foi merecedor de um sacrifício, de um grande esforço ou de uma pena (no sentido de ser algo penoso).

Vamos conferir alguns exemplos do uso dessa construção:

  • Dedicar-se aos estudos sempre vale a pena.
  • Já que temos que fazer esse projeto, vamos fazer valer a pena.
  • Valeu a pena todo esforço que fiz para poder dar uma vida melhor para minha família.

Note que a expressão possui a seguinte composição: verbo “valer” + artigo “a” + substantivo “pena”.

Continue reading
« Older posts

© 2022 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑