Língua Portuguesa, Literatura e Alfabetização

Categoria: Sintaxe (Page 2 of 4)

Orações coordenadas – conceito e exemplos

As orações coordenadas são aquelas que exercem relação de independência sintática uma da outra, apesar de serem dependentes semanticamente. Em outras palavras, ligam-se pelo sentido ao mesmo tempo em que cada uma possui estrutura sintática completa.

Quando falamos de estrutura sintática completa, quer dizer que cada oração possui, pelo menos, sujeito (ainda que esteja oculto) e predicado. No caso das orações sem sujeito, estas apresentam apenas predicado.

Além disso, por apresentarem dois ou mais verbos, podemos dizer que as orações coordenadas constituem um período composto por coordenação

Existem dois tipos de orações coordenadas: as assindéticas e as sindéticas. Vejamos cada uma a seguir.

Orações coordenadas assindéticas

As orações coordenadas assindéticas são aquelas que não possuem síndeto. O prefixo a- significa “não”, e síndeto vem do grego “sýndetos”, que significa “conjunção” ou “conectivo”, logo “assindética” significa ausência de conjunção.

Exemplo:

Faz muito frio lá fora – leve agasalho!

1ª oração: Faz muito frio lá fora;

2ª oração: leve agasalho!

Perceba que não há nenhuma conjunção ligando essas duas orações, por isso ambas são classificadas como orações coordenadas assindéticas.

Outros exemplos:

Subo por uma velha escada de madeira mal iluminada, chego a uma espécie de salão. (Moacyr Scliar)

Grita, sacode a cabeleira negra, agita os braços, para, olha, ri. (Érico Veríssimo)

Continue reading

Quando “estar” não é verbo de ligação?

O verbo estar, na maioria das vezes, funciona como um verbo de ligação. Há, contudo, uma situação específica em que ele será um verbo intransitivo. Neste artigo, vamos explicar quando isso acontece.

Intransitivo

Quando o verbo estar vier acompanhado de um adjunto adverbial de lugar, ele funcionará como verbo intransitivo, ou seja, aquele que tem sentido completo e não demanda objeto direto nem indireto. Vejamos alguns exemplos:

  • Paulo estava no trabalho.
  • O carro está na loja.
  • João esteve aqui ontem.

Perceba que, em todas as orações acima, temos predicados verbais.

Verbo de ligação

Na maioria das vezes, entretanto, o verbo estar vai exercer o papel de verbo de ligação.

Verbos de ligação são aqueles que ligam o sujeito da oração ao seu predicativo e têm a função de indicar estado ou mudança de estado. Por vezes, também são chamados de verbos copulativos, relacionais ou não nocionais.

Nesses casos, teremos, em geral, um predicado nominal. Vejamos alguns exemplos:

  • O dia hoje está lindo.
  • Ontem à tarde, Marta estava muito preocupada com a situação da empresa.
  • Júlio está atrasado para seu compromisso.

*

Gostou do texto? Então, vale a pena ler também esses outros artigos:

Oração subordinada substantiva subjetiva e predicativa: como diferenciar?

Uma dúvida muito comum no campo da análise sintática é como diferenciar as orações subordinadas substantivas subjetivas das predicativas. Assim, neste artigo, vamos mostrar como distinguir esses dois tipos de oração.

Orações subjetivas

As orações subordinadas substantivas subjetivas são aqueles que exercem a função de sujeito de uma outra oração. Nesse contexto, o verbo aparece sempre na 3ª pessoa do singular em uma das quatro situações abaixo:

1) Verbos como convém, parece, urge, consta, ocorre, acontece, entre outros:

  • Convém que eles cheguem cedo.
  • Parece que vai fazer frio amanhã.

2) Verbo na voz reflexiva no sentido passivo:

  • Entende-se que tudo vai correr bem.
  • Sabe-se que a situação é delicada.

3) Verbo na voz passiva (ficar, ser, estar) + particípio:

  • Ficou acertado que você passaria aqui às 8h.
  • Está previsto que a reunião começará mais cedo amanhã.

4) Verbos “estar”, “ficar” e “ser” + adjetivo ou substantivo:

  • Está claro que ele não chegará no horário.
  • Ficou nítido que ele dominava o assunto.

Vale ressaltar que as orações subjetivas também são conhecidas como sujeito oracional.

Continue reading

Tipos de sujeito: conceito e exemplos

O sujeito é o ser ou fato sobre o qual o predicado faz uma declaração. Além de ser considerado um termo essencial da oração, o sujeito é o responsável pela conjugação do verbo e recebe várias classificações.

Neste artigo, vamos analisar todos os tipos de sujeito e apresentar exemplos de cada um deles.

Índice do artigo:

Como identificar o sujeito de uma oração

A forma mais fácil de identificar os tipos de sujeito é começando a análise pelo verbo. Perguntar “o quê?” ou “quem?” para o verbo ajuda na maioria das vezes, além do fato de saber que o verbo concorda em número e pessoa com o núcleo do sujeito.

Exemplo:

O novo apartamento do condomínio está à venda.

O verbo da oração acima é “está”. Ao perguntarmos para ele “o que está à venda?”, a resposta será “O novo apartamento do condomínio”, logo esse é o sujeito.

Perceba também que o verbo está na terceira pessoa do singular igual ao núcleo do sujeito, que é a palavra “apartamento”. O núcleo, portanto, é a palavra mais importante desse termo.

Mas não pense que o sujeito estará sempre antes do verbo! Nos casos de orações na ordem indireta, o sujeito pode aparecer depois dele. Exemplo:

– Correu desesperadamente da polícia o criminoso.

Verbo: Correu (terceira pessoa do singular)

Pergunta: Quem correu?

Resposta: o criminoso (sujeito na terceira pessoa do singular).

Podem ser núcleos do sujeito as seguintes classes gramaticais: 

– substantivo (ou palavra substantivada)

– pronome

– numeral

– verbo no infinitivo

Além dessas classes, temos as orações subordinadas substantivas subjetivas.

Continue reading

Predicativo do sujeito: o que é e como identificar?

O predicativo do sujeito é o termo da oração que está no predicado nominal ou verbo-nominal e faz referência ao sujeito, caracterizando-o. Essa caracterização pode expressar estado, qualidade ou uma condição do ser.

Como identificar?

Analisemos a oração a seguir:

– A rua imunda ficou limpíssima.

  • Sujeito: A rua imunda
  • Núcleo do sujeito: rua
  • Verbo de ligação: ficou
  • Predicado nominal: ficou limpíssima.

Perceba que temos uma característica do núcleo do sujeito (rua) dentro do predicado (ficou limpíssima), e ela é o adjetivo “limpíssima”. É justamente essa característica do sujeito que está presente no predicado que recebe o nome de predicativo do sujeito.

Em alguns casos, é possível que o predicativo do sujeito venha preposicionado, ou seja, precedido de preposição:

  • A janela é de vidro.
  • Estou com medo.
  • O filme foi de assustar.
  • A árvore ficou sem frutos.
Continue reading

Predicado – conceito, classificações e exemplos

O predicado é o conjunto de todos os termos da oração, com exceção do sujeito e do vocativo. Neste artigo, vamos ver como identificar e classificar os predicados. Vejamos!

Identificação

É importante lembrar que normalmente uma oração é constituída pela seguinte estrutura na sua ordem direta:

SUJEITO + VERBO + COMPLEMENTO + ADJUNTO (S V C A)

Dessa forma, podemos identificar o predicado da seguinte forma:

– Os jogadores da seleção se classificarão para a próxima Copa do Mundo este ano.

Os jogadores da seleção: sujeito

se classificarão: verbo

para a próxima Copa do Mundo: complemento verbal

este ano: adjunto adverbial

Como no exemplo não há vocativo, apenas retiramos o sujeito e, com a soma dos demais elementos (V C A), já temos o predicado “se classificarão para a próxima Copa do Mundo este ano.” 

Veja outro exemplo:

– O paciente acordou, doutor.

O paciente: sujeito

acordou: verbo

doutor: vocativo

Identificado cada termo da oração, retiramos o sujeito e o vocativo e encontramos o predicado “acordou”, desta vez constituído apenas de verbo, visto que complementos e adjuntos não são termos essenciais da oração.

Portanto, podemos afirmar que a condição essencial para a constituição de um predicado é o verbo, pois é a única classe de palavras as quais podem constituir um predicado sozinhas.

Continue reading

Adjunto adnominal – o que é, como identificar e exemplos

O adjunto adnominal é um termo acessório da oração que especifica, explica ou determina um substantivo. Essa função sintática pode ser exercida por um adjetivo, por uma locução adjetiva, por um artigo, por um numeral ou por um pronome.

Neste artigo, vamos detalhar cada uma dessas situações. Também vamos mostrar como diferenciar o adjunto adnominal do complemento nominal, do adjunto adverbial e do predicativo do objeto. Vejamos!

Exemplos de adjunto adnominal representado por adjetivo

  • Eu comprei uma casa antiga.
  • Mário é um rapaz animado.
  • Nessa longa estrada da vida, vou andando e não posso parar.
Continue reading

Aposto: 7 tipos que você precisa conhecer

A imagem mostra um caderno sobre uma mesa. Em cima, há uma tarja na qual está escrito: aposto - o que é, tipos e exemplos.
Aprenda quando utilizar cada tipo de aposto.

Um aposto é um termo usado junto a outro com valor substantivo ou pronominal para explicá-lo ou especificá-lo melhor.

Neste artigo, vamos explicar os 7 tipos que existem. Também vamos te mostrar quando utilizar cada um. Vamos lá!

1 – Aposto resumidor ou recapitulativo

Resume uma sequência de termos, usando os pronomes indefinidos “tudo”, “nada”, “nenhum”.

Deve-se usar pontuação antes do pronome indefinido.

Ex1: Falei com Márcia, Rafaela e Daniel, todos estavam bem.

Ex2: Bebida, festas, viagens, nada me alegrava.

Continue reading

Apesar dela ou apesar de ela – qual a forma correta?

Quando falamos, tendemos a juntar a preposição "de" com os pronomes "ela" ou "ele". Entretanto, segundo as regras gramaticais, o termo que funciona como sujeito nunca deve ser preposicionado. Ex: Apesar de ela não ter estudado, foi bem na prova. 🔸Observe que o pronome "ela" funciona como sujeito do verbo "ter", por isso não pode ser fundido com a preposição.🔸 Vejamos outros exemplos: Ex1: Já passou da hora de ela se formar. Ex2: Júlia chegou antes de ele sair. ⚠ATENÇÃO! Esses casos nada tem a ver com a fusão da preposição "de" com os artigos "o(s)" e "a(s)". Ex: O cabelo dela é muito bonito. 🔸Aqui o pronome possessivo "dela" tem função de adjunto adnominal.🔸 #DescriçãoDaImagem A imagem mostra uma mulher sorrindo. Ela veste um blazer roxo e usa um arco de flores na cabeça. #português #gramática #educação #aprendizado #estudo #trabalho #empreendedorismo #concurso #concursopúblico #escola #faculdade #vestibular #enem #escrita #língua #linguagem #clubedoportuguês #boanoite

A post shared by Clube do Português (@clubedoportugues) on

A forma correta é apesar dela ou apesar de ela? Neste artigo vamos tirar essa dúvida e explicar qual a forma correta. Vamos lá!

Sujeito

Quando falamos, tendemos a juntar a preposição “de” com os pronomes “ela” ou “ele”. Entretanto, segundo as regras gramaticais, o termo que funciona como sujeito nunca deve ser preposicionado.

Ex: Apesar de ela não ter estudado, foi bem na prova.

Observe que o pronome “ela” funciona como sujeito do verbo “ter”, por isso não pode ser fundido com a preposição.

Vejamos outros exemplos:

Ex1: Já passou da hora de ela se formar.

Ex2: Júlia chegou antes de ele sair.

Preposição

ATENÇÃO! Esses casos nada tem a ver com a fusão da preposição “de” com os artigos “o(s)” e “a(s)”.

Ex: O cabelo dela é muito bonito.

Aqui o pronome possessivo “dela” tem função de adjunto adnominal.

Assista ao vídeo sobre a diferença entre orações restritivas e explicativas:

***

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua (link para um nova página do site) .

O que é vocativo?

Vocativo é um termo importante para a construção de textos. Ele tem um papel de ênfase e de chamamento. Além disso, saber identificá-lo em uma oração é fundamental para utilizar bem a vírgula. Neste artigo, vamos explicar o que é e como utilizar. Vejamos!

PAUSA: Nós já preparamos aqui um texto sobre a diferença entre o APOSTO e o VOCATIVO. Leia ele primeiro e depois volte para este artigo. Com certeza, seu entendimento do tema ficará bem mais completo.

Continue reading

« Older posts Newer posts »

© 2022 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑