Língua Portuguesa e Literatura para o Enem

Tag: acordo ortográfico (Page 1 of 2)

Lava-louça x Lava louça – tem hífen?

A forma correta é lava-louça, com hífen. Neste artigo, vamos explicar qual regra se aplica a este caso. Vejamos!

Verbo + Substantivo

De acordo com o ponto 1.º da Base XV do Acordo Ortográfico de 1990, os substantivos compostos formados pela união de um verbo e um substantivo devem ser hifenizados. É exatamente o caso de lava-louça, união do verbo lavar com o substantivo feminino louça.

Vejamos outros exemplos que seguem essa mesma regra: guarda-roupa, cata-vento, tapa-olho.

Vale destacar que lava-louça é um vocábulo composto formado por justaposição. Neste processo de formação de palavras, os radicais dos termos não sofrem alteração e mantêm sua grafia original.

Continue reading

Pêra x Pera – qual a forma correta?

A forma correta é pera, sem acento. A palavra pêra, com acento circunflexo, não existe mais na língua portuguesa. Neste artigo, vamos explicar qual a regra de acentuação que se aplica a esse caso. Vejamos!

Antes e depois da Reforma Ortográfica

Antes do Acordo Ortográfico, a grafia correta era pêra. Contudo, após a entrada em vigência da Reforma, a palavra perdeu o acento circunflexo (pera).

Vale destacar ainda que o substantivo feminino pera é uma palavra paroxítona, ou seja, a sílaba tônica é a penúltima. No português, as paroxítonas terminadas em “a” não devem ser acentuadas.

Continue reading

Auxílio emergencial x Auxílio-emergencial – tem hífen?

O correto é auxílio emergencial ou auxílio-emergencial? Afinal, o nome desse benefício tem ou não tem hífen? Neste artigo, vamos resolver essa questão. Vejamos.

Nome ou tipo?

Diferentemente do que acontece com substantivos compostos – como auxílio-moradia, auxílio-alimentação e auxílio-doença–, no caso de auxílio emergencial, o que temos é um encontro de dois termos distintos: um substantivo simples (auxílio) e um adjetivo (emergencial), que o caracteriza.

É o mesmo que acontece, por exemplo, nas expressões “obra emergencial” ou “medidas emergenciais”.

Por isso, a expressão deve ser grafada sem hífen, porque não temos a criação de um novo significado por meio da composição de dois radicais. Em outras palavras, não temos um novo nome, temos apenas a indicação de um tipo de auxílio.

ex: Com a crise causada pela Covid19, foi necessário criar um auxílio emergencial para amparar as famílias mais vulneráveis.

Continue reading

Pé-de-meia x Pé de meia – tem hífen?

A imagem mostra uma meia cheia de moedas. Em cima há uma tarja preta, onde está escrito:

Afinal, o correto é pé de meia ou pé-de-meia? As duas formas são possíveis na língua portuguesa, mas têm significados distintos. Neste artigo, vamos explicar quando usar cada uma. Vejamos!

Pé-de-meia

Quando a expressão indica um dinheiro que uma pessoa tem guardado, uma poupança, ela tem hífen.

Ex: Estou fazendo um pé-de-meia para a minha aposentadoria.

Trata-se de uma exceção à regra trazida pelo Acordo Ortográfico. A Base XV da Reforma (que trata do uso do hífen em compostos, locuções e encadeamentos vocabulares) diz que:

Nas locuções de qualquer tipo, sejam elas substantivas, adjetivas, pronominais, adverbiais, prepositivas ou conjuncionais, não se emprega em geral o hífen.

Ponto 6 da Base xv do acordo ortográfico de 1990.

Marquei o “em geral” ali exatamente para mostrar que há casos que fogem a essa regra. Além de pé-de-meia, temos as seguintes exceções, que, segundo o documento, são casos consagrados pelo uso:

  • arco-da-velha;
  • mais-que-perfeito;
  • cor-de-rosa;
  • água-de-colônia.

Também continuam com hífen as locuções que representam espécies botânicas e zoológicas: cana-de-açúcar, mico-leão-dourado, pimenta-do-reino, peixe-boi, entre outras.

As demais locuções seguem a regra geral. É por isso, por exemplo, que pé de moleque perdeu o hífen.

Continue reading

Mau humor x Mau-humor – qual a maneira correta?

A forma correta é mau humor, sem hífen. Isso porque  o adjetivo "mau" e o substantivo "humor" são duas palavras independentes, que não se unem para formar um novo vocábulo. ⚠ATENÇÃO! A palavra "mal-humorado" tem hífen. O Acordo Ortográfico estabelece que o hífen deve ser utilizado em compostos que comecem com o advérbio "mal", quando a segunda palavra começar por vogal, "h" ou "l". Ex: Mal-educado, mal-estar, "mal-afortunado", "mal-limpo". #DescriçãoDaImagem A imagem mostra uma menina emburrada, cruzando os braços. #TextoDaImagem Mau humor ou mau-humor? #português #gramática #educação  #aprendizado #estudo #trabalho #empreendedorismo #concurso #concursopúblico #escola #faculdade #vestibular #enem #dicas #escrita #língua #linguagem #clubedoportuguês #correntedobem #boanoite

A post shared by Clube do Português (@clubedoportugues) on

O correto é mau humor ou mau-humor? Tem ou não tem hífen? Neste artigo, explicamos a grafia correta da palavra e como funciona sua formação. Vamos lá!

Independente

A forma correta é mau humor, sem hífen. Isso porque o adjetivo “mau” e o substantivo “humor” são duas palavras independentes, que não se unem para formar um novo vocábulo.

ex: Maria acordou de mau humor e brigou com o irmão.

Continue reading

Bem-vindo, bem vindo e benvindo: qual a forma correta?

As formas “bem-vindo“, com hífen, e “Benvindo” existem na Língua Portuguesa. Já a grafia “bem vindo”, sem hífen, está incorreta e não deve ser utilizada. Nesse artigo, vamos mostrar quando e como utilizar cada expressão. Confira!

Bem-vindo, bem vindo e benvindo: qual a forma correta?

Quando usar “bem-vindo”?

O Acordo Ortográfico diz que devemos utilizar o hífen em palavras compostas com os advérbios bem e mal quando a segunda palavra começa com vogal ou com a letra “h”.

Contudo, a Reforma Ortográfica abriu uma série de exceções a essa regra, dentre elas está o termo “bem-vindo”, que continua a ser escrito com hífen.

Além disso, vale pontuar que esse vocábulo tem origem no processo de formação de palavras chamado composição por justaposição. Ele ocorre quando uma nova palavra surge da junção de dois ou mais termos.

Classificações de “bem-vindo”

De acordo com o dicionário Aulete, a palavra “bem-vindo” pode exercer as funções de interjeição e de adjetivo.

Como interjeição, usamos o termo para fazer uma saudação, para dar as boas-vindas: “Bem-vindos!”. Já como adjetivo, o vocábulo indica algo ou alguém que é recebido com prazer ou acolhido com satisfação:

  • Você é sempre bem-vindo aqui em casa, meu amigo.
  • Bem-vindas sejam suas mudanças, porque elas serão sua salvação!

Flexão de “bem-vindo”

Vale destacar ainda que é possível flexionar em gênero e número, sempre concordando com o sujeito:

  • bem-vinda (feminino, no singular);
  • bem-vindos (masculino, no plural);
  • bem-vindas (feminino, no plural).

Quando usar “Benvindo”?

A palavra Benvindo é um substantivo próprio, ou seja, é o nome próprio de uma pessoa. Nesse sentido, ressalta-se que também existe a forma femina do termo (Benvinda):

  • O senhor Benvindo passou aqui para buscar as encomendas dele hoje cedo.
  • A madame Benvinda sempre vem a este salão fazer as unhas.

Destacamos que há registro de uso de Benvindo como primeiro nome e também como sobrenome. Ademais, vale dizer que devemos sempre grafar o termo com letra maiúscula.

Resumo

Por fim, preparamos uma tabela-resumo para ajudar você a fixar quando e como utilizar cada palavra:

Bem-vindoAdjetivo e interjeição (saudação)
BenvindoNome próprio
Bem vindoNão existe. Não deve ser usado.

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com o Guia Completo do Hífen.

União Européia ou Europeia?

THE PARTY

A União Europeia é bloco criado em 1993, que é composto atualmente de 27 Estados-membros independentes. Sim, ‘europeia’ não tem mais acento. A reforma ortográfica eliminou o acento dos ditongos ‘ei’ e ‘oi’ das palavras paroxítonas. (veja AQUI as principais mudanças de acentuação do Acordo Ortográfico).

Ex: europeia, ideia, estreia, heroico.

Lembrete

OXÍTONASílaba tônica é a última da palavra.
ex: picolé, chulé, chaminé.

PAROXÍTONA – Sílaba tônica é a penúltima da palavra,
ex: caráter, difícil, médio.

PROPAROXÍTONA – Sílaba tônica é a antepenúltima da palavra.
ex: oxítona, médico, penúltima.

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
http://eepurl.com/b5exUr

Veja mais no nosso canal do Youtubehttps://goo.gl/VhBR7o

Envie suas dúvidas — https://www.clubedoportugues.com.br/tire-suas-duvidas-2

Veja mais:

Grã-Bretanha ou Grã Bretanha: tem hífen ?

A forma correta é correta é Grã-Bretanha, com hífen. A grafia Grã Bretanha, sem hífen, está errada e não deve ser utilizada. Neste artigo, vamos mostrar qual regra se aplica a essa caso. Confira!

Grã-Bretanha ou Grã Bretanha: tem hífen?

Hífen com os prefixos “grã” e “grão”

Segundo o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, “emprega-se o hífen nos topônimos compostos, iniciados pelos adjetivos grã, grão ou por forma verbal ou cujos elementos estejam ligados por artigo”.

É essa a regra que justifica o uso do hífen no vocábulo Grã-Bretanha. Vejamos alguns exemplos de uso desse termo:

  • A Grã-Bretanha é uma ilha que abrange três nações: Inglaterra, Escócia e País de Gales.
  • O Brexit excluiu a Grã-Bretanha da União Europeia em 2020.

Quem nasce na Grã-Bretanha é o quê?

Quem nasce na Grã-Bretanha é britânico. Nesse sentido, vale destacar que esse gentílico pode ser usado para pessoas de qualquer dos três países que compõem a ilha, e não somente pelos ingleses.

De forma geral, o termo também é extendido a todos os países do Reino Unido, das dependências da Coroa Britânica ou de qualquer um dos territórios britânicos ultramarinos.

Assim, são considerados britânicos os nascidos nas seguintes localidades:

  • Inglaterra;
  • País de Gales;
  • Escócia;
  • Irlanda do Norte;
  • Acrotíri e Deceleia;
  • Anguila;
  • Bermudas;
  • Ilhas Geórgia do Sul e Sanduíche do Sul;
  • Ilhas Caimã;
  • Ilhas Malvinas;
  • Ilhas Pitcairn;
  • Ilhas Turcas e Caicos;
  • Ilhas Virgens Britânicas;
  • Gibraltar;
  • Monserrate;
  • Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha;
  • Território Antártico Britânico;
  • Território Britânico do Oceano Índico (arquipélagos de Chagos, Aldabra, Farcuar e Deseoches).

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com o Guia Completo do Hífen. 

Novo Acordo Ortográfico: tudo que você precisa saber sobre acentuação

O Novo Acordo Ortográfico, também chamado de Reforma Ortográfica, trouxe uma série de alterações nas regras da Língua Portugesa, em especial no campo da acentuação.

Por isso, preparamos este artigo completo com tudo que você precisa saber sobre o tema. Confira!

Alterações do Novo Acordo Ortográfico no campo da acentuação.
Veja o básico que você precisa saber

Sílaba tônica

Antes de avançarmos, para compreender bem as regras de acentuação e as mudanças trazidas pelo Acordo Ortográfico, é fundamental entender a classificação das palavras conforme a posição da sílaba tônica:

  • Oxítona – palavra em que a sílaba tônica é a última (pico, moco, militar).
  • Paroxítona – palavra em que a sílaba tônica é a penúltima (cater, rubrica, recorde).
  • Proparoxítona – palavra em que a sílaba tônica é a antepenúltima (bula, dico, penúltima).

Agora que você já relembrou esses conceitos-chaves, podemos seguir para as alterações do Reforma Ortográfica no campo da acentuação. Elas estão divididas em seis grandes blocos. Vejamos!

1) Acento diferencial

Uma das principais mudanças do Acordo foi acabar com vários acentos diferenciais (mas, atenção, alguns foram mantidos).

Nesse sentido, vale explicar que o acento diferencial é um recuso para que o falante de língua portuguesa possa distinguir palavras iguais com significados diferentes.

Vamos conferir agora quais palavras perderam e quais permancem com o acento diferencial:

Palavras que perderam o acento diferencial

  • Pela

Antes do Acordo, com acento diferencial: péla (do verbo pelar, queimar, deixar sem a pele).

ex: Pela essa parte do porco para mim, por favor. (verbo)

ex: Vamos passar pela rua de baixo. (preposição)

  • Pelo

Antes do Acordo, com acento diferencial: pêlo (substantivo, que indica pelagem, fios que protegem o corpo) e pélo (conjugação do verbo pelar).

ex: Meu cachorro tem pelo escuro. (substantivo)

ex: Eu pelo a pele do porco para fazer roupas. (verbo)

ex: Passei pelo seu carro hoje cedo. (preposição)

  • Para

Antes do Acordo, com acento diferencial: pára (utilizado como verbo, indica parar, interromper, não continuar).

ex: Para com isso agora mesmo! (verbo)

ex: Vou para escola. (preposição)

  • Pera

Antes do Acordo, com acento diferencial: pêra (fruta)

ex: Fiz um doce de pera delicioso hoje de manhã. (fruta)

ex: Pera servi-los, braços às armas feito. (preposição arcacica)

Palavras que continuam com o acento diferencial

  • pôr (verbo) e por (preposição)
  • pôde (verbo no passado) e pode (verbo no presente)
  • têm (verbo no plural) e tem (verbo no singular) – a regra se aplica a todos os verbos derivados “ter”: manter, deter, etc.
  • vêm (verbo no plural) e vem (verbo no singular) – a regra se aplica a todos os verbos derivados de “vir”: convir, intervir, etc.

Palavra com acento diferencial opcional

Vale destacar que o Acordo tornou opcional o acento na palavra fôrma (de bolo) para diferenciá-la da palavra forma (de formato).


Apesar de o uso do acento circunflexo não ser obrigatório nesse caso, ele é altamente recomendável.

2) Palavras terminadas em “oo” e “eens”

A Reforma Ortográfica eliminou o acento de palavras como “vôo” e “lêem”, que terminam com encontros de vogais iguais. Vejamos mais exemplos de vocábulos que entram nessa regra:

Antes da ReformaDepois da Reforma
VôoVoo
LêemLeem
EnjôoEnjoo
CrêemCreem
PerdôoPerdoo
VêemVeem

3) Arguir e redarguir

O Acordo Ortográfico acabou com o acento agudo no “u” tônico na conjugação dos verbos “arguir” e “redarguir” no presente do indicativo.

ex: Eu arguo contra o seu posicionamento. (pronuncia-se “ar-gú-o”)

ex: Os juizes redarguem sempre que discordam de uma das partes. (pronuncia-se “re-dar-gú-em”)

4) Ditongos abertos nas paroxítonas

Essa mudança pode ser chamada de “regra da ideia”, por esse ser o caso mais lembrado dessa alteração.

Com o advento da Reforma Ortográfica, os ditongos abertos das palavras paroxítonas perderam o acento. Vejamos alguns exemplos:

Antes da ReformaDepois da Reforma
IdéiaIdeia
ApóiaApoia
AndróideAndroide
CoréiaCoreia
JóiaJoia
GeléiaGeleia

Vale destacar, contudo, que os ditongos abertos das palavras oxítonas continuam acentuados: pastéis, hotéis, anzóis, etc.

5) Paroxítonas acentuadas depois de ditongos

Já essa mudança pode ser chamada de “regra da feiura”, pois esse é o caso mais destacado dessa alteração.

O Acordo Ortográfico aboliu o acento nas letras “u” e “i” da sílaba tônica de palavras paroxítonas que vem logo após um ditongo. Vejamos alguns exemplos:

Antes da ReformaDepois da Reforma
BaiúcaBaiuca
BocaiúvaBocaiuva
FeiúraFeiura

É importante ressalvar, entretanto, que, se a palavra for oxítona e as letras “i” e “u” vierem no final do termo, o acento na sílaba tônica após o ditongo permanece: Piauí, tuiuiú, etc.

6) Dupla pronúncia

No presente do indicativo e do subjunto e no imperativo, os verbos terminados em guar, quar, quir (averiguar, apaziguar, obliquar, aguar, enxaguar, desaguar, delinquir, etc.) têm dupla pronúncia e grafia.

Nesse caso, o Acordo Ortográfico validou ambas, de acordo com a preferência do falante da Língua Portuguesa. Trata-se, assim, de uma variação linguística chamada de diatópica, ou seja, ligada ao local das pessoas.

Para ficar mais claro, vamos conferir o exemplo dos verbos “enxaguar” e “delinquir”:

Com “a” e “i” tônicos (com acento)Com “u” tônico (sem acento)
Eu enxáguoEu enxaguo
Tu enxáguasTu enxaguas
Ele enxáguaEle enxagua
Eu delínguoEu delinguo
Tu delínquesTu delinques
Ele delínqueEle delinque

No primeiro caso (mais comum no Brasil), os encontros “gu” e “qu” são considerados dígrafos (um só fonema). No segundo, por sua vez, cada letra representa um fonema distinto.

Resumo

Para finalizar este artigo, preparamos uma tabela com o resumo das alterações que o Acordo Ortográfico trouxe no campo da acentuação.

RegraAntes da ReformaDepois da Reforma
1) Acento diferencialpêra, pólo, párapera, polo, para
2) Palavras terminadas em “oo” e “eens”vôo, lêem, perdôovoo, leem, perdoo
3) Verbos arguir e redarguirargúo, redargúemarguo, redarguem
4) Ditongos abertos nas paroxítonasidéia, Coréia, paranóicoideia, Coreia, paranoico
5) Paroxítonas acentuadas depois de ditongosbaiúca, bocaiúva, feiúrabaiuca, bocaiuva, feiura
6) Verbos terminados em guar, quar, quir (dupla grafia)enxagua, enxagúoenxagua, enxagúo

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.

Novo acordo ortográfico: o básico sobre o hífen

hífen

O básico que você precisa saber para escrever um bom texto.

O novo acordo ortográfico, que já nem é tão novo assim, passou a vigorar de forma definitiva em janeiro deste ano. Uma das principais mudanças foi no uso do hífen. Dentre as alterações, destaco aqui as principais.

Letra H

Sempre haverá hífen quando a segunda palavra se iniciar com H.

ex: Anti-higiênico, anti-heroico.

OBS: Os prefixos “in-” e “des-” sempre grudam na palavra.

ex: Desumano.

Letras iguais

Mantém-se o hífen, quando a primeira letra da palavra for igual à última do prefixo.

ex: Anti-inflamatório.

OBS: Quando as letras forem diferentes, não há hífen.

ex: Antioxidante, contratempo.

Letras R e S

Quando o prefixo terminar com vogal e a palavra começar com R ou S, não há hífen e dobra-se a letra inicial da palavra.

ex: Contrarregra, minissaia.

OBS: Se o prefixo terminar em consoante, mantém-se o hífen.

ex: Sub-reino, super-resistente.

Casos especiais

Mantém-se o hífen em palavras formadas com os  prefixos vice, ex, pró, pré  e pós.

ex: Vice-diretor, ex-presidiário, pré-escolar, pró-labore, pós-graduação.

OBS: Pré, pós e pró só mantêm o hífen se forem acentuados.

ex: Prefixo. (Fala-se “prêfixo” e não “préfixo”).

Nunca se usa hífen com os prefixos co, re, des, in e a.

ex: anormal, coordenar, relançar, infiel.

***

Há mais regras, mas os casos citados acima são os mais recorrentes e o ajudarão bastante na hora de redigir um texto.

« Older posts

© 2024 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑

#CodigoClever