Língua Portuguesa, Literatura e Alfabetização

Tag: concordância verbal

Concordância verbal: conheça os principais casos

Concordância verbal é a adequada flexão em número e pessoa do verbo para que ele possa concordar com o núcleo do sujeito da oração. Observe alguns exemplos:

A estudante de economia gosta de livros sobre investimentos. 

Sujeito: A estudante de economia

Núcleo do sujeito: estudante (terceira pessoa do singular)

Verbo: gosta (conjugado na terceira pessoa do singular)

As estudantes de economia gostam de livros sobre investimentos.

Sujeito: As estudantes de economia

Núcleo do sujeito: estudantes (terceira pessoa do plural)

Verbo: gostam (conjugado na terceira pessoa do plural)

Dessa forma, temos a seguinte regra geral de concordância verbal: se núcleo do sujeito está na primeira, segunda ou terceira pessoa do singular, o verbo também deve estar; se o núcleo do sujeito está na primeira, segunda ou terceira pessoa do plural, o verbo também deve estar.

Contudo, temos alguns casos especiais de concordância verbal. Acompanhe os principais a seguir.

Continue reading

Concordância: cada um e cada uma

Cada um dos empregados fez ou fizeram o trabalho? Afinal de contas, com as expressões cada um e cada uma o verbo deve ficar no plural ou no singular? Neste artigo, vamos mostrar como funciona a concordância nesses casos. Vejamos!

Plural x Singular

O pronome indefinido cada, quando acompanhado dos numerais um e uma, funciona como um substantivo. Por trazer uma ideia de gradação e de distribuição, a concordância verbal com cada um e cada uma deve sempre ocorrer no singular.

ex1: Cada um dos trabalhadores ganhou um adicional no final do ano.

ex2: Cada uma das empresas teve faturamento recorde neste ano.

É importante destacar que, segundo o gramático Pasquale Cipro Neto, se cada estiver acompanhado por um numeral maior que um, o verbo deve ir para o plural.

ex3: Cada três laranjas custam R$5.

Cada

O pronome cada é um pronome adjetivo. Isso significa que ele deve sempre estar acompanhado de um nome (substantivo, pronome substantivo, numeral).

Nesse sentido, os gramáticos Evanildo Bechara, Luiz Sacconi e Cândido Oliveira condenam o uso isolado do pronome. Por isso, não se deve utilizar cada em lugar de cada um ou cada uma.

Assim, não se deve dizer, por exemplo, “os cadernos custam R$5 cada”. A forma correta é escrever é: “os cadernos custam R$5 cada um”.

Gostou do texto? Então, vale a pena assistir ao vídeo que fizemos sobre a regência do verbo combinar:

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua (link para um nova página do site) .

Concordância verbal – 5 casos complicados

5 casos que sempre causam dúvidas

5 casos que sempre causam dúvidas

Alguns casos de concordância verbal sempre geram dúvidas e acabam levando muitas pessoas ao erro. Por isso, neste texto, serão enumeradas 5 situações mais recorrentes.

1) Expressões partitivas

Nos casos em que o sujeito é formado por uma expressão partitiva (a maioria, parte de, metade de, a maior parte de) seguido de um substantivo ou pronome no plural, o verbo pode ficar tanto no plural quanto no singular.

ex¹: A maioria dos deputados são a favor da proposta.

ex²: A maioria dos deputados é a favor da proposta.

ex¹: Grande parte das pessoas é a favor da democracia.

ex²: Grande parte das pessoas são a favor da democracia.

2) Quais de nós/ quais de vós

Em casos em que o sujeito for um pronome interrogativo ou indefinido plural (quaisquer, quais, quantos, poucos, vários) seguido da expressão de nós, o verbo pode concordar com o pronome indefinido ou com o pronome pessoal.

ex¹: Quais de nós desconfiam/desconfiávamos daquele empregado.

ex²: Quaisquer de nós poderiam/poderíamos ter cometido o mesmo erro.

Continue reading

© 2022 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑