Língua Portuguesa e Literatura para o Enem

Tag: derivação imprópria

Janta x Jantar – quando usar cada um?

Afinal de contas, qual a diferença entre janta e jantar? Neste artigo, vamos resolver essa dúvida e mostrar quando e como utilizar cada palavra.Vejamos!

Sejamos sinceros: na hora da fome, o formalismo é o que menos importa. O estômago fala mais alto. Mas, de outro lado, na hora de assumir o formalismo, de ser formal, o que a língua culta estabelece é o que mais importa.

Sob essa perspectiva, é preciso entender o que se passa com o uso de certas expressões. É o caso de janta e jantar. O conhecimento sobre o uso de cada uma dessas formas é necessário para impedir que o preconceito linguístico provoque decisões equivocadas.

Vale perguntar, afinal, se “janta” é ou não sinônimo de “jantar”. E observe que interessante: a confusão está no fato de que ambas as palavras podem ter tanto a função de verbo quanto de substantivo.

Continue reading

Oração sem sujeito x Sujeito indeterminado

oração sem sujeito x Sujeito indeterminado

Qual a diferença entre sujeito indeterminado e oração sem sujeito? Neste artigo, vamos mostrar como diferenciar esses dois conceitos. Vejamos!

Oração sem sujeito

A oração sem sujeito, ou com sujeito inexistente, é aquela em que não é possível identificar um sujeito, porque ele simplesmente não está lá, não existe mesmo. Ela ocorre nos seguintes casos:

1) Com verbos ou expressões que denotam fenômenos da natureza:

ex: Fez frio na semana passada.

2) Com verbo haver no sentido de existir:

ex: Na casa, havia seis quartos.

3) Com os verbos fazer, haver e ir quando indicam tempo decorrido:

ex: Faz três anos que não visito Maceió.

4) Com verbo ser na indicação de tempo em geral:

ex: Era primavera, quando os ipês floresceram.

Continue reading

© 2024 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑

#CodigoClever