Língua Portuguesa, Literatura e Alfabetização

Tag: elipse

Vírgula zeugmática – o que é e quando usar?

A vírgula zeugmática é um ótimo instrumento para evitar a repetição desnecessária de palavras. Neste artigo, vamos explicar melhor o que é esse sinal de pontuação e quando utilizá-lo. Vejamos!

Zeugma

Antes de avançarmos, é importante que você entenda o que é o zeugma. Trata-se de uma figura de linguagem que consiste em ocultar um termo utilizado anteriormente, para evitar repeti-lo.

Vale destacar que o zeugma é um tipo de elipse, que é um figura utilizada para omitir vocábulos de uma frase de uma forma geral.

A vírgula zeugmática, nesse contexto, serve para indicar o termo retirado da frase, ou seja, para evidenciar o uso do zeugma. Vejamos alguns exemplos:

  • Maria foi ao mercado; Paulo, à farmácia. (a vírgula indica a omissão de “foi”)
  • Eu corro todos os dias; meu irmão, só aos finais de semana. (a vírgula indica a omissão de “corro”)

Repare que a vírgula pode indicar a omissão de mais de uma palavra:

  • A noiva usava vestido branco; a madrinha, azul. (a vírgula indica a omissão de “usava vestido”).

Cuidados ao utilizar a vírgula zeugmática

De acordo com o gramático Fernando Pestana, a vírgula zeugmática, também conhecida como vírgula vicária, só deve ser utilizada se a omissão do termo ocorrer depois de um ponto vírgula. Caso contrário, não se deve utilizar esse sinal de pontuação.

Para deixar mais clara essa questão, vejamos um exemplo:

  • Ele torce pelo Corinthians, mas ela pelo Palmeiras.
  • Ele torce pelo Corinthians; ela, pelo Palmeiras.

*

Gostou do texto? Então, sugerimos ler o Guia Completo da Vírgula que preparamos para você e aprofundar seus estudos no tema.

7 estratégias infalíveis para evitar a repetição de palavras

Conheça sete formas eficientes para fugir da repetição de palavras.

A repetição de palavras é um problema que empobrece seu texto.  Além de tornar a escrita desinteressante, também indica pobreza vocabular do redator. Por isso, neste artigo, você vai conhecer sete técnicas para não repetir vocábulos. Vamos lá!

1) Sinonímia

Essa é uma das mais conhecidas ferramentas para combater a duplicação dos termos. Trata-se do processo de substituir determinada palavra por um sinônimo.

ex: O policial saiu correndo atrás do bandido e um menino decidiu acompanhar o policial.

Veja agora usando a sinonímia:

ex: O policial saiu correndo atrás do bandido e um menino decidiu acompanhar o oficial.

Um outro recurso seria substituir o substantivo “policial” por um pronome. Essa estratégia, porém, criaria uma ambiguidade. Veja:

ex: O policial saiu correndo atrás do bandido e um menino decidiu acompanhá-lo.

Note que não fica claro se o pronome se refere ao policial ou ao bandido.

DICA: recomendo muito o dicionário de sinônimos – uma ferramenta muito útil para redatores e jornalistas.

2) Hiperonímia

Nós já falamos aqui sobre os hipônimos e hiperônimos. A hiperonímia consiste em usar palavras que possuem um significado mais amplo do que o da substituída.

ex: Maria tomou um remédio que não lhe fez muito bem. Parece que a medicação estava vencida.

Note que “remédio” é um tipo de medicação. Este termo abrange mais itens do que aquele.

3) Hiponímia

A hiponímia é o contrário da hiperonímia. Ela consiste em trocar um termo mais abrangente por outro mais específico.

ex: Rui estava muito nervoso e precisou de um remédio. Depois de tomar o calmante, porém, ele ficou mais tranquilo.

Perceba que o elemento “calmante” é apenas um dos que compõem a classe dos remédios.

Continue reading

Vírgula vicária – o que é isso?

zeugma e elipse

Quando usar a vírgula vicária?

Há vários casos de uso da vírgula (leia aqui o guia completo), um deles é a chamada vírgula vicária. Neste texto, vamos explicar o que é isso e quando utilizar. Vamos lá!

O que é vicário?

De acordo com o dicionário Priberam, vicário é aquilo que substitui ou faz as vezes de outrem (veja aqui a diferença entre outro e outrem).

Por exemplo, o sacrifício de Jesus Cristo foi vicário, pois ele substituiu o homem na cruz.

Continue reading

5 figuras de linguagem super úteis para seu texto

Figuras de linguagem são úteis para seu texto

As figuras de linguagem são comuns nos textos literários

Figuras de linguagem são construções que contribuem para dar mais expressividade à escrita. Elas são muito utilizadas nos textos literários, mas também podem ser muito úteis na hora de escrever uma redação. Neste post, separei 5 delas para você conhecer melhor.

PAUSA:Antes de continuar a leitura, vale a pena você dar uma olhada no artigo que produzimos sobre os 5 objetivos de um texto. Leia e volte aqui. Seu estudo ficará muito mais completo.

1) Metonímia

É a substituição da parte pelo todo. Ela ocorre, por exemplo, quando trocamos o autor pela obra.

ex¹: Li muito Machado de Assis nos tempos de colégio.

ex²: Nada melhor do que ler um Graciliano Ramos em um dia de chuva.

2) Perífrase

Trata-se da substituição de um nome por uma característica dele.

ex¹: A Cidade Maravilhosa (Rio de Janeiro) sediou os primeiros Jogos Olímpicos da história da América do Sul.

ex²: O terrorismo tem abalado o velho continente (Europa).

3) Eufemismo

Consiste em suavizar a linguagem, principalmente para evitar expressões desagradáveis.

ex¹: Podemos dizer que ele não era bem provido de beleza (era feio).

ex²: Infelizmente, ele não resistiu ao acidente e descansou (morreu).

Continue reading

O que é paralelismo?

Definição de paralelismo

Entenda como usar o paralelismo.

Pergunta do leitor: Pode utilizar a seguinte frase: “vou à praia, o cinema e a aula”? Ou necessariamente deverá ser escrito “vou à praia, ao cinema e à aula”  ou “vou a praia, cinema e aula”.

Resposta

Um fator que deve ser um ponto de atenção na hora de escrever é o chamado paralelismo. Esse é o nome que se dá ao uso de estruturas idênticas ou similares. Um texto bem construído deve prezar pelo paralelismo, como forma de obter uma estrutura coerente e coesa. Dito isso, vamos analisar  a dúvida do leitor.

CASO 1 – Vou à praia, o cinema e a aula.

Aqui encontramos uma quebra do paralelismo, mais especificamente, do paralelismo sintático.  O objeto indireto  deve sempre estar ligado ao verbo pela preposição. Isso se aplica também nos casos em que há mais de um objeto direto. Então, o mais correto seria:

ex: Vou à praia, ao cinema e à aula. Continue reading

O que é elipse?

Algumas vezes, para evitar a repetição de palavras que são facilmente recuperáveis pelo contexto, omitimos termos da oração. Esse artifício é chamado de elipse. 

ex¹: Paulo morava em São Paulo e Pedro, em Brasília.

Note que o verbo “morar” foi omitido da segunda oração. Contudo, o sentido da frase não foi comprometido.

Omissão de mais de um termo

A elipse pode acontecer com mais de um termo.

ex²: João morava em uma casa de Pedro e Maria, em uma de Mauro.

Repare que houve a retirada das palavras “morava” e “casa”.

Dicas bônus

Quando ocorre a elipse verbal, ela deve ser indicada com vírgula. Voltemos ao primeiro exemplo:

Paulo morava em São Paulo e Pedro, em Brasília.

Perceba que a vírgula indica a exclusão do verbo “morar” na segunda oração.

Gostou do texto? Então, sugerimos ler o Guia Completo da Vírgula que preparamos para você e aprofundar seus estudos no tema:

Guia completo da vírgula

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua.

© 2022 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑