Língua Portuguesa, Literatura e Alfabetização

Tag: encontro consonantal

Encontros vocálicos – ditongo, tritongo e hiato

Os encontros vocálicos definem-se como uma sequência de fonemas (sons) vocálicos numa palavra. Exemplos:

  • muito (sequência vocálica –ui)
  • frequente (sequência vocálica –uen)
  • saguão (sequência vocálica –uão)
  • rainha (sequência vocálica –ai)

Esses encontros são representados por vogais e/ou semivogais, as quais são fonemas considerados vocálicos por não haver, durante suas emissões, nenhum obstáculo – língua, lábios, dentes – que se oponha à corrente de ar vinda dos pulmões.

Vejamos a diferença entre esse fonemas:

Vogal

Vogal é o fonema vocálico que se ouve mais distintamente, pois sua pronúncia é forte. As vogais funcionam como base da sílaba, ou seja, não existe sílaba sem vogal. Mais importante ainda: só existe uma única vogal por sílaba. Esses fonemas são representados na escrita pelas letras A, E, I, O, U e Y.

Exemplos:

  • A: casa (ca-sa)
  • E: escola (es-co-la)
  • I: amigo (a-mi-go)
  • O: olho (o-lho)
  • U: untar (un-tar)
  • Y: hobby (hob-by)
Continue reading

Dígrafo – o que é e como identificar?

O dígrafo define-se como uma sequência de duas letras que representam um só fonema, ou seja, um só som. É o que ocorre na palavra chave, por exemplo, em que a sequência ch é um dígrafo, pois essas duas letras representam um único som, o que nos leva a pronunciar a palavra como se tivesse x: xávi.

Por isso, toda palavra com dígrafo terá o número de letras maior que o número de fonemas. Veja a seguir:

  • chá (3 letras e 2 fonemas)
  • campo (5 letras e 4 fonemas)
  • malha (5 letras e 4 fonemas)
  • queda (5 letras e 4 fonemas)
  • arrastão (8 letras e 7 fonemas)
Continue reading

Encontro consonantal – o que é, como identificar e exemplos

Um encontro consonantal é a sequência de dois ou mais fonemas consonantais numa palavra. Exemplos:

creme (cr)

– regra (gr)

– ritmo ™

tcheco (tch)

psicologia (ps)

Classificação

Podemos classificar os encontros consonantais em perfeitos e imperfeitos.

1) Encontro consonantal perfeito: também chamado de grupo consonantal, é inseparável, pois os fonemas consonantais pertencem a uma mesma sílaba.

Os mais comuns são os que têm como segunda consoante as letras L ou R:

bloco (blo-co), clima (cli-ma), flores (flo-res), glória (gló-ria), duplo (du-plo), atlas (a-tlas)

branco (bran-co), lacrar (la-crar), sofrer (so-frer), grande (gran-de), prato (pra-to), letra (le-tra)

No entanto, há outros encontros perfeitos não muito incidentes nas palavras, mas que também merecem atenção. São eles: gn, mn, pn, ps, pt, tm, cz.

gnomo (gno-mo), mnemônico (mne-mô-ni-co), pneu (pneu), psicótico (psi-có-ti-co), ptialina (pti-a-li-na), czar (czar).

2) Encontro consonantal imperfeito: também chamado de encontro consonantal disjunto, é separável, pois cada fonema consonantal pertence a uma sílaba.

– absoluto (ab-so-lu-to), convião (con-vic-ção), pacto (pac-to), advento (ad-ven-to), nafta (naf-ta), ritmo (rit-mo), apto (ap-to).

Continue reading

© 2022 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑