Língua Portuguesa e Literatura para o Enem

Tag: língua portuguesa (Page 2 of 5)

De baixo x Debaixo

Debaixo x De baixo

Muita gente se confunde com as expressões de baixo e debaixo. Neste texto, vou falar de algumas estratégias simples para acabar com essa dúvida. Vamos lá!

Debaixo = sob

Sempre que for possível trocar a palavra por sob, deve-se utilizar debaixo.

ex: Ele estava debaixo da mesa.

ex¹: Ele estava sob a mesa.

ex: O gato estava debaixo da cama.

ex²: O gato estava sob a cama.

Continue reading

Dentre x Entre – quando usar cada termo?

Entre é uma preposição que, em geral, significa “no meio de”. Por sua vez, dentre é a contração de duas preposições (“de” + “entre”) e equivale à expressão “do meio de”.

Neste artigo, vamos mostrar quando e como utilizar cada um dos termos. Confira!

Dentre x Entre: quando usar cada termo?

Quando usar “entre”?

De acordo com o gramático Evanildo Bechara, a preposição entre denota a posição intermediária no espaço e no tempo (real ou figurado).

Nessa linha, Celso Cunha e Lindley Cintra acrescentam que, além das relações temporal e espacial, a preposição também pode representar uma noção.

Vejamos alguns exemplos de cada tipo de relação:

  • Espaço: “Há uma conjunção adversativa entre a primeira e a segunda oração.”
  • Tempo: “O percurso até minha cidade natal leva entre duas e três horas.”
  • Noção: “Entre o que eu sonho e o que eu alcanço, está minha atidude com relação aos obstáculos que aparecem pelo caminho.

Vale destacar que, com essa preposição, podemos utilizar somente os pronomes pessoais oblíquos. Logo devemos dizer “entre mim e você”, e não “entre eu e você”.

Para entender melhor esse ponto, confira o vídeo abaixo:

Quando usar “dentre”?

De acordo com o gramático Domingos Paschoal Cegalla, dentre é a contração das preposições “de” e “entre” e equivale à expressão “do meio de”.

A preposição é utilizada, em geral, com verbos que indicam movimento e que, por regência, pedem o uso da preposição “de”, como sair, surgir, retirar, extrair, etc.

Vejamos alguns exemplos de uso dessa expressão:

  • Dentre as uvas da parreira, o vinicultor retirou as mais saborosas.
  • Dentre os formandos de 2010, saíram profissionais de sucesso.
  • Surgiu dentre aqueles garotos um craque do futebol mundial.

Resumo

Para fechar este artigo, vamos fazer um resumo do tema. Devemos utilizar a preposição dentre quando o verbo pedir o uso da preposição “de”. Nos demais casos, utilizaremos entre.

Uma forma prática de entender o uso de cada um dos termos é saber que:

  • Dentre = “do meio de”
  • Entre = “no meio de”

Então, em caso de dúvida, basta substituir as preposições pelas expressões acima.

*

Fontes:

  • Moderna Gramática Portuguesa – Evanildo Bechara;
  • Dicionário de Dificuldades da Língua Portuguesa – Domingos Paschoal Cegalla;
  • Nova Gramática do Português Contemporâneo – Celso Cunha e Lindley Cintra.

Pé de cure x Pedicure

Veja a forma correta de escrever a palavra

Veja a forma correta de escrever a palavra

Às vezes, usamos a analogia para descobrir a forma correta de escrever determinada palavra. Contudo, nem sempre essa estratégia é efetiva. É o caso da palavra “pedicure”. O termo vem do francês pédicure.

Muitas pessoas fazem uma relação com o fato desses profissionais pintarem o pé de clientes e acreditam, erroneamente, que a grafia certa é “pé de cure”.

Masculino x Feminino

Continue reading

Outro x Outrem

Outrem

Pergunta do leitor: Olá, Clube do Português! Queria saber se existe uma definição sobre quando usar a palavra “outrem” e quando usar “outro”. Há diferença?

Resposta

Outrem

Utilizamos outrem quando queremos nos referir de forma indefinida  (sem identificação específica) a algo ou alguém que não está presente.

ex: A ninguém é permitido se apossar de algo pertencente a outrem sob pena de punição legal.

Perceba que aqui não nos referimos a alguém específico, mas a outra pessoa qualquer.

Continue reading

Estralar ou estalar?

estalar

Há palavras na língua portuguesa que podem ser escritas de formas distintas. Elas são chamadas de formas gráficas variantes. Esse é o caso dos vocábulos ‘estralar’ e ‘estalar’.  Eles têm o mesmo significado e podem ser utilizados como sinônimos.

Continue reading

Censo e Senso: conceito, quando usar e exemplos

As palavras “senso” e “censo” existem na Língua Portuguesa e estão corretas. No entanto, possuem significados diferentes. Neste artigo, você confere quano e como utilizar cada uma. Acompanhe!

Censo e senso: quando usar cada uma?

Quando usar “senso”? 

O termo “senso” é um substantivo masculino que e deve ser usado para fazer referência a sensatez e prudência de alguém. Ele também pode ser utilizado para demonstrar a capacidade de entender ou julgar alguma coisa. Além disso, a palavra pode indicar a ideia de orientação e direção.

A seguir, confira os exemplos!

Exemplos com “senso” 

  • Amo o seu senso de humor.
  • Para comentar esse tipo de assunto, é necessário ter bom senso.
  • Eu me perdi na cidade, pois não tenho senso de direção. 

Quando usar “censo”? 

O termo “censo” é um substantivo masculino que indica um recenseamento de uma determinada população, ou seja, o levantamento de informações de um conjunto de pessoas. Isso significa que ele deve ser usado ao expor dados estatísticos por intermédio de entrevistas com habitantes de uma região, por exemplo. 

No Brasil, o Censo é realizado pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Com ele, é possível conhecer melhor as características da população brasileira por meio de um perfil de evolução comparado a cada 10 anos. 

Assim, a palavra “censo” é sinônimo de censo demográfico ou recenseamento demográfico. Acompanhe os exemplos, abaixo!

Exemplos com “censo” 

  • No último censo realizado, algumas irregularidades foram destacadas.
  • Com base no censo, verificamos que a idade média da população brasileira aumentou.
  • O censo de 2010 revelou uma melhora na qualidade de vida da população brasileira. 

“Senso” x “Censo” : homônimos homófonos

Como dito no início deste artigo, as palavras “senso” e “censo” são homônimas homófonas, isto é, possuem pronúncias idênticas, porém com escrita e definição diferentes. Na Língua Portuguesa, existem outras palavras homófonas, como:

  • acento e assento;
  • asso e aço;
  • concelho e conselho;
  • cinto e sinto;
  • lasso e laço;
  • tacha e tassa;
  • dentre outras. 

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.

A importância da acentuação gráfica, regras e exemplos

Acento agudo
Entenda quando utilizar o acento agudo

 

Num idioma tão rico e cheio de palavras com a mesma grafia, empregar corretamente a acentuação gráfica é fundamental para a construção de um texto correto, limpo e de fácil compreensão.

Dominar a acentuação gráfica é crucial para professores, alunos, escritores, jornalistas, redatores e profissionais de uma maneira geral. Compreendendo as regras de acentuação  da língua portuguesa é possível dirimir qualquer dúvida sobre que palavras devem ou não ser acentuadas, e na hora de redigir um texto, seja para um e-mail , redação ou mesmo uma matéria jornalística, passar a informação de forma clara e precisa ao leitor.

Neste manual vamos esclarecer mais sobre os tipos de acentos utilizados na língua portuguesa, sua importância, como utilizá-los, a diferença entre palavras com sílabas tônicas e palavras acentuadas e dar exemplos em frases para uma melhor compreensão.

Acentuação gráfica: o que é e sua importância na escrita

Os acentos são extremamente importantes para a interpretação correta de textos e na diferenciação de palavras que possuem a grafia idêntica e sentidos diferentes, de acordo com os acentos ou a inexistência deles. Os acentos indicam a sílaba tônica das palavras.

Mas vale ressaltar que palavras com sílabas tônicas e acentos gráficos são duas coisas diferentes. Os acentos são símbolos utilizados sobre letras, nas sílabas tônicas, porém nem todas as sílabas tônicas, ou as sílabas que são ditas com maior ênfase, devem ser acentuadas.

Ou seja, todas as sílabas acentuadas são tônicas, mas nem todas as sílabas tônicas são acentuadas. Como exemplo podemos citar as palavras pelo (através de) e pêlo. De grafia idêntica, ambas possuem a mesma sílaba tônica, porém apenas pêlo (de animais ou pessoas) leva o acento.

Uso dos acentos gráficos 

Na língua portugues temos três diferentes tipos de classificação de palavras quanto à acentuação: 

Palavras oxítonas 

São oxítonas as palavras cuja sílaba tônica é a última, mas nem sempre levam acento, apenas as terminadas em “a”, “e” e “o”. 

Exemplos: café, cajá, totó, cafeteria.

Paroxítonas 

As paroxítonas possuem a penúltima sílaba tônica. Não é sempre que são acentuadas, somente quando terminarem em r, l, n, x, ps, um. 

Exemplos: nível, látex, fórum, caneta.

Proparoxítonas 

A primeira coisa a saber das proparoxítonas que vai ajudar na sua identificação mais facilmente é que sempre são acentuadas. E sua sílaba tônica é a antepenúltima, a três sílabas da última. 

Exemplos: proparoxítonas, rápido.

Monossílabo tônico 

São palavras que apresentam em sua estrutura uma única sílaba e são acentuadas quando terminadas em: “a, “as “,”e “,””es “, “O” e “os”. 

Exemplos: nó, pá, pé. 

Quais os tipos de acentuação gráfica?

Temos no portugues quatro tipos de acentos:

  • Acento agudo – o acento mais comum na nossa língua é utilizado apenas sobre as vogais das sílabas tônicas, indicam uma pronúncia mais aberta. 

Exemplos: pássaro, remédio, vovó.

  • Acento circunflexo – também utilizado apenas sobre as vogais, indica a sílaba tônica e uma pronúncia mais fechada. 

Exemplos: ênfase, pirâmide, vovô.

  • Acento grave – Não provoca alteração na pronúncia, e é utilizado sobre as vogais: à, è e ò, indica a sílaba tônica e também é empregado para evitar a formação de hiatos. 

Exemplos: às vezes. A formação de “à” se deve à junção do artigo definido feminino “a” com a preposição “a”.

  • Til – Indica um som anasalado, utilizado nas vogais “a” e “o”, acompanhadas ou não de “s”. Exemplos: ladrão, xamã, funções.

Como usar corretamente os diferentes tipos de acento?

Vamos agora explicar mais sobre as regras de acentuação envolvendo agudos em ditongos, hiatos, acento grave, circunflexo e o til.

O uso do acento agudo em paroxítonas terminadas em ditongo crescente

De acordo com o novo acordo ortográfico, as paroxítonas terminadas em ditongo crescente são consideradas como proparoxítonas aparentes, e devem ser acentuadas. 

Exemplos: espécie, fúria, telescópio.

O uso do circunflexo em algumas palavras com vogais tônicas fechadas 

O acento circunflexo é utilizado sobre as vogais “a”, “e” e “o” em sílabas tônicas fechadas, em monossílabas, oxítonas, paroxítonas ou proparoxítonas. 

Exemplos: têm, você, ônus, ênfase.

O uso do til em palavras que possuem nasalização

O til funciona como um anasalisador de consoantes, seu uso transforma uma vogal oral em nasal. Podemos ver as palavras “Ana” e “anã” como exemplo. Ambas possuem a mesma grafia, mas com  til, o sentido e a pronúncia são modificados.

O uso do acento grave 

Ocorre quando existe a contração do artigo feminino “a” ou “as” com a preposição “a”. Exemplos: à, às. Vamos sair à uma hora. 

Vamos dar presentes às crianças.

Hiatos

Hiatos ocorrem quando duas vogais se encontram na palavra, porém não permanecem na mesma sílaba. Sua acentuação se dá quando separadas, as vogais ficam em sílabas diferentes, acompanhadas do “s” ou não. Apenas o  “i” e o “u” devem receber o acento. 

Exemplos: Egoísta (e-go-ís-ta); juízo (ju-í-zo).

Já quando o “i” precede o “nh” não é utilizado o acento. Exemplos: Bainha; moinho.

Outra exceção é quando o “i” e o “u” são precedidos de um ditongo, e não devem ser acentuados. Exemplos: baiuca; feiura.

Exemplos do uso dos diferentes tipos de acento

Com o novo acordo ortográfico, mudanças ocorreram na acentuação. 

Para que o portugues se torne uma língua de compreensão mais fácil por todos os países que o utilizam, um acordo com regras gramaticais foi criado, e com isso, algumas palavras sofreram mudanças com relação à acentuação.

Como no caso das palavras paroxítonas com ditongo aberto deixaram de levar o acento. Exemplos: heroico, ideia, jiboia.

Porém, a maioria das regras segue a mesma, e para fixar melhor as regras, é necessário praticar e ter uma fonte de consulta em caso de dúvidas.

Com os quatro tipos de acentos presentes no portugues, o conjunto de regras se aplica em relação a classificação das palavras, então uma vez que identificamos quais são, fica mais fácil. 

  • As oxítonas acentuadas são: 

Terminadas em vogais tônicas abertas – pontapé, dominó, está.

Terminadas nos ditongos abertos “éu”, ‘éi” e “ói” – fiéis, céu, dodói.

Terminadas em ditongos nasais – também: refém, harém.

Terminadas em vogais tônicas fechadas com “e” e “o” – maltês, inglês, robô.

Verbos conjugados com pronomes terminados em vogais tônicas fechadas “e” e “o” – tê-lo; fazê-lo.

  • As paroxítonas acentuadas são:

Terminadas em “l” – frágil, palpável, ágil.

Terminadas em “n” – pólen, hífen.

Terminadas em “i”  com ou sem o “s”- táxi, júri, lápis.

Terminadas em “r” – caráter, máter, éter.

Terminadas em “x” – fênix, ônix, córtex.

Terminadas em “ps” – fórceps, bíceps.

Terminadas em “ã” – órfã, satã.

Terminadas em “ão” – órgão, sótão.

Terminadas em “on” – nêutron, próton.

Terminadas em “um” – médium, álbum.

Terminadas em “us” – ônus, vírus.

Terminadas em ditongos – boêmia, mágoa, espádua.

  • As proparoxítonas sempre serão acentuadas.

Exemplos: árvores, península, ridículo, incômodo.

A moral ou o moral?

A-Moral-x-O-Moral

Há palavras que no feminino significam uma coisa e no masculino, outra. É o caso do vocábulo moral. Vejamos.

A moral – grupo de valores e princípios.

Ex: Os políticos, por vezes, aprovam projetos que vão contra a moral.

O moral – ânimo.

Ex: Após perder de 7 x 1, o moral da seleção brasileira ficou muito abalado.

Amoral x Imoral

Continue reading

« Older posts Newer posts »

© 2024 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑

#CodigoClever