Língua Portuguesa e Literatura para o Enem

Tag: locução adverbial (Page 1 of 2)

Em cima x Encima – quando usar cada um?

Em cima e encima são duas expressões que existem na língua portuguesa. Neste artigo, vamos mostrar como e quando utilizar cada termo. Confira!

Encima ou em cima? Qual é o correto?

As duas formas estão corretas, mas possuem usos e significados distintos.

Em cima é uma locução adverbial de lugar. Já encima é uma conjugação do verbo encimar. Vamos conferir com mais detalhes quando usar cada uma das expressões.

Quando usar “em cima”?

A expressão em cima, como dito anteriormente, é uma locução adverbial de lugar. Ela é forma pela combinação da preposição “em” com o substantivo feminino “cima”.

Ela deve ser utilizada quando quisermos indicar que algo está em uma parte superior. Vejamos alguns exemplos de uso dessa construção:

  • A caixa de presente estava em cima da mesa.
  • Em cima daquele morro, vive um ermitão.
  • O jogador tropeçou e caiu em cima do companheiro de equipe.

Vale descatar que, apesar de a locução em cima ser escrita separada, a expressão embaixo, que é seu antônimo, deve ser escrita em uma só palavra.

Continue reading

“Logo, logo” e “Já, já” ou “Logo logo” e “Já já” – tem vírgula?

As formas corretas são “logo, logo” e “já, já”, com vírgula. Neste artigo, vamos explicar qual regra de pontuação é aplicada a esse caso. Confira!

Palavras repetidas

Na língua portuguesa, a vírgula deve ser utilizada para separar elementos repetidos em um enunciado. Vejamos alguns exemplos:

  • Logo, logo, vou chegar à cidade onde nasci.
  • O evento de comemoração de 50 anos da empresa começa já, já.
  • Aqui não tem discussão. É pão, pão, queijo, queijo.
  • Esse vestido da noiva é lindo, lindo.
  • Ontem à noite, cheguei em casa com muita, muita, muita fome.
Continue reading

Adentro x A dentro – quando usar cada um?

Ainda que possuam grafias muito parecidas, algumas expressões na Língua Portuguesa possuem significados diferentes. É o caso da dupla adentro e a dentro. Neste artigo, vamos mostrar como e quando utilizar cada uma. Vejamos!

Adentro – quando usar?

O vocábulo adentro é um advérbio que tem o sentido de “em direção ao interior de algo”, “dentro de”, “no meio de”, dentre outros. 

É uma palavra gerada a partir da formação por uma justaposição, isto é, combinação da vogal “a” + a palavra “dentro”. O termo tem como antônimo o vocábulo “afora”. Vejamos alguns exemplos com o uso dele:

  • Ela fugiu de casa pela noite adentro.
  • Ele empurrou toda a bebida pela goela adentro.
  • Vou trabalhar pela madrugada adentro.
  • Eles saíram pela viela adentro.

O termo adentro também pode funcionar como a conjugação do verbo adentrar na 1ª pessoa do singular do presente do indicativo:

  • Eu adentro
  • Tu adentras
  • Ele adentra
  • Nós adentramos
  • Vós adentrais
  • Eles adentram
Continue reading

Às ordens x As ordens – tem crase?

Afinal, a forma certa é “às ordens” ou “as ordens”? As duas construções estão corretas, mas possuem significados diferentes. Neste artigo, vamos explicar quando usar cada uma. Acompanhe a leitura!

Crase

Primeiramente, vale relembrarmos o que é crase. Basicamente, crase é o nome que se dá à junção de vogais iguais.

  • a + a = à

Sua ocorrência é indicada por meio do acento grave, que é o acento indicador de crase.

Em geral, o acento grave é empregado em três situações:

  1. encontro da preposição “a” com o pronome demonstrativo “a”;
  2. encontro dos artigos definidos “a” ou “as” com a preposição “a”;
  3. encontro da preposição “a” com pronomes demonstrativos (aquele, aqueles, aquela, aquelas, aquilo).
Continue reading

À revelia x A revelia – tem crase?

A forma correta de escrever a expressão é “à revelia”, com crase. O termo “a revelia”, sem crase, está incorreto e em desacordo com as normas da língua portuguesa. Neste artigo, vamos explicar o porquê. Vejamos!

Definição – o que é crase?

Antes de avançarmos, vale relembrar o conceito de crase. Trata-se da contração de duas vogais idênticas, representada pelo acento grave. A contração mais recorrente acontece entre a preposição “a” e o artigo definido feminino “a”.

  • a + a = à.

Para que o uso doa cento grave seja necessário, é preciso que a preposição “a” e o artigo feminino “a” (indicativo de uma palavra feminina) aconteçam sincronicamente – isto é, ao mesmo tempo.

Continue reading

A tarde, À tarde e Atarde – quando usar cada um?

As expressões a tarde, à tarde e atarde existem na língua portuguesa, mas elas possuem funções e significados diferentes. Neste artigo, vamos mostrar quando usar cada uma. Vejamos!

1) A tarde

A expressão a tarde representa o simples encontro entre o artigo definido feminino “a” e o substantivo feminino “tarde”. Vejamos alguns exemplos:

  • A tarde estava muito ensolarada naquele dia. Por isso, decidimos sair para passear.
  • A tarde parece mais do quente que a manhã.
  • A parte do dia que mais gosto é a tarde, porque é quando encontro meus amigos.
Continue reading

A duras penas x À duras penas – tem crase?

A forma correta de escrever a expressão é a duras penas, sem crase. Neste artigo, vamos explicar por que não devemos utilizar o acento grave nessa locução. Vejamos!

Quando usar crase?

Antes de avançarmos, vale a pena relembrar o conceito de crase.

A palavra crase vem do grego krâsis, que significa “fusão de sons” ou “mistura”. Ela ocorre quando há o encontro de vogais iguais => a + a = à. Acontece, em geral, em três casos:

a) Encontro da preposição “a” com os artigos definidos “a” ou “as”;
b) Encontro do pronome demonstrativo “a” com a preposição “a”;
c) Encontro dos pronomes demonstrativos aquele, aquela e aquilo com a preposição “a”.

Quando isso ocorre, devemos usar o acento grave em cima da letra “a”. 

Continue reading

A luz de velas x À luz de velas – tem crase?

Afinal, a forma correta é à luz de velas ou a luz de velas? As duas construções estão em linha com as normas da língua portuguesa, mas possuem significados diferentes. Neste artigo, vamos explicar quando utilizar cada uma. Vejamos!

Crase

Antes de seguirmos, vamos relembrar o que é a crase. Ela ocorre quando há o encontro de vogais iguais => a + a = à. Isso acontece, em geral, em três momentos:

a) Encontro da preposição “a” com os artigos definidos “a” ou “as”;
b) Encontro do pronome demonstrativo “a” com a preposição “a”;
c) Encontro dos pronomes demonstrativos aquele, aquela e aquilo com a preposição “a”.

Continue reading

A esmo x À esmo – tem crase?

A grafia correta é a esmo, sem crase. A forma à esmo, com crase, está em desacordo com as normas da língua portuguesa e, por isso, não deve ser utilizada. Neste artigo, vamos explicar por que não se usa o acento grave com essa expressão. Vejamos!

O que é a crase?

Antes de tudo, vamos relembrar o que é a crase. Ela acontece quando há o encontro de vogais iguais => a + a = à. Isso ocorre, em geral, em três casos:

a) Encontro da preposição “a” com os artigos definidos “a” ou “as”;
b) Encontro do pronome demonstrativo “a” com a preposição “a”;
c) Encontro dos pronomes demonstrativos aquele, aquela e aquilo com a preposição “a”.

Continue reading

Porventura x Por ventura – qual a diferença?

Porventura e por ventura: as duas expressões existem na língua portuguesa, mas possuem significados distintos. Neste artigo, vamos mostrar quando e como utilizar cada uma delas. Vejamos!

Porventura

Porventura é um advérbio que significa “por acaso” ou “por hipótese”. Essa palavra é sinônima de: quiça, talvez, possivelmente, quem sabe.

Vejamos alguns exemplos de uso desse termo:

  • Se porventura você passar aqui amanhã, avise para tomarmos um café.
  • Porventura já deixei de cumprir algum compromisso com você, meu amigo?
  • Pode ser que porventura eu não consiga ir à escola amanhã.
Continue reading
« Older posts

© 2024 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑

#CodigoClever