Língua Portuguesa, Literatura e Alfabetização

Tag: pronomes

Pronomes interrogativos – o que são e como usá-los

Os pronomes interrogativos são palavras que empregamos em perguntas diretas (com ponto de interrogação) ou perguntas indiretas (sem ponto de interrogação). São considerados pronomes interrogativos: que, quem, qual e quanto.

Exemplos de uso dos pronomes interrogativos

Exemplos de perguntas diretas:

Quem mexeu na minha carteira?

Quanto custa esta calça?

Exemplos de perguntas indiretas:

– Quero saber quem mexeu na minha carteira!

– Pergunte quanto custa esta calça.

Continue reading

3C – fórmula para escrever bons textos

3C

Um bom texto é aquele que possui ideias claras e expostas de maneira harmoniosa, com um encadeamento lógico entre os parágrafos. Para isso, uma boa escrita deve conter os 3 Cs: coesão, coerência e consistência.

Coesão

Trata-se do uso adequado dos conectivos, que garantem unicidade à redação e criam uma ligação fluida entre as frases e parágrafos.

Os principais elementos de coesão são as preposições (a, de, para, com), as conjunções (que, porém, entretanto, todavia), os pronomes (este, cujo, o qual, ele, ela, lhe, la), os advérbios (aqui, à direita, lá, acolá) e as palavras denotativas (então, apenas, inclusive).

Coerência

Trata-se da garantia do significado lógico do texto, que evita contradições e quebras de sentido. Deve-se buscar a não contradição entre as ideias apresentadas na escrita. Veja o exemplo abaixo:

Continue reading

O que é adjunto adnominal?

O que é adjunto adnominal?

Adjunto adnominal é o termo que explica, especifica ou determina um substantivo. Trata-se de uma função sintática exercida por adjetivos, locuções adjetivas, artigos, pronomes adjetivos e numerais adjetivos.

Ex¹: O homem jovem comprou dois pomposos ternos.

O primeiro passo para identificar os adjuntos adnominais é encontrar os substantivos da oração. Vejamos:

Ex²: O homem jovem comprou dois pomposos ternos.

O artigo “o” e o adjetivo “jovem” estão ligados ao substantivo “homem”, agindo, assim, como adjunto adnominal.

O mesmo ocorre com numeral “dois” e o adjetivo “pomposos”, que se conectam ao substantivo “ternos”.

Adjunto adnominal x Complemento nominal

De maneira geral, o adjunto adnominal refere-se ao substantivo. Já o complemento nominal refere-se a nomes de forma ampla (substantivos, adjetivos e advérbios).

Ademais, o adjunto adnominal tem função ativa, enquanto o complemento nominal tem função passiva. Para deixar mais clara essa distinção, vamos observar a frase abaixo:

  • O ataque dos Estados Unidos ao Iraque foi terrível.

Veja que o termo “dos Estados Unidos” exercem um papel ativo em relação ao substantivo “ataque” (os Estados Unidos atacaram o Iraque). Por isso, a expressão é classificada como adjunto adnominal.

Em contrapartida, o termo “ao Iraque” ocupa um papel passivo em relação a “ataque” (o Iraque foi atacado). Assim, a expressão é classificada como complemento nominal.

Vale ressaltar ainda que o adjunto adnominal pode indicar posse, agente ou espécie.

Adjunto adnominal x Predicativo

Uma outra dúvida possível é como diferenciar o adjunto adnominal do predicativo do sujeito. Para resolver essa questão, basta substituir o sujeito por um pronome.

Se, com essa substituição, o termo desaparecer, estamos diante de um adjunto adnominal. Para compreender melhor esse processo, vejamos um exemplo:

  • A recente descoberta de vacinas beneficia os pacientes graves.
    • Sujeito: A recente descoberta de vacinas
    • Predicado: beneficia os pacientes graves.
  • Substituindo o sujeito pelo pronome “ela”:
    • Sujeito: Ela
    • Predicado: beneficia os pacientes graves.

Como com a substituição os termos que acompanham o substantivo “descoberta” desaparecem, os termos “a”, “recente” e “de vacinas” são classificados como adjunto adnominal.

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua.

© 2022 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑