Língua Portuguesa e Literatura para o Enem

Tag: vocativo

Oração: termos essenciais, integrantes e acessórios

Os termos da oração são palavras ou grupo de palavras que exercem alguma função sintática dentro da oração. São divididos em:

  • Termos essenciais (sujeito e predicado)
  • Termos integrantes (complementos verbais, complemento nominal e agente da passiva)
  • Termos acessórios (adjunto adnominal, adjunto adverbial e aposto)

Termos essenciais da oração

São termos essenciais da oração o sujeito e o predicado.

1. Sujeito

O sujeito é o ser ou fato sobre o qual o predicado faz uma declaração. Também é o responsável pela conjugação do verbo e recebe várias classificações.

a) Sujeito simples: é o que apresenta apenas um núcleo explícito.

– Sua atitude foi brilhante.

b) Sujeito composto: é o que apresenta mais de um núcleo explícito.

Os professores e os alunos reuniram-se no ginásio.

c) Sujeito oculto, elíptico ou desinencial: é o que apresenta um núcleo implícito, mas que pode ser identificado facilmente por meio da desinência do verbo.

– Chegamos atrasados à festa. (sujeito oculto: nós)

d) Sujeito indeterminado: é aquele cujo núcleo é desconhecido e impossível de identificar mesmo o verbo indicando que houve uma ação praticada por alguém. 

– Disseram que você briga muito na escola. (Alguém disse, mas quem?)

e) Sujeito oracional: é aquele que aparece em forma de oração.

– Nota-se que todos gostam de você.

f) Sujeito inexistente (oração sem sujeito): ocorre em orações com verbos impessoais. É o único caso em que este termo essencial não aparece.

– Choveu muito durante o show.

2. Predicado

O predicado é o conjunto de todos os termos da oração, com exceção do sujeito e do vocativo. É tudo o que se declara sobre o sujeito (quando ele existe).

Em 2020, o mundo foi tomado por uma pandemia. (sujeito: o mundo)

Faz muito calor no Rio de Janeiro. (oração sem sujeito – tudo é predicado)

O predicado pode ser classificado em:

a) Predicado nominal: é aquele cujo núcleo da afirmação está contido no nome (substantivo, adjetivo, pronome), não no verbo. É constituído sempre de: verbo de ligação + predicativo do sujeito.

– Nossa casa é lindíssima!

b) Predicado verbal: é aquele cujo núcleo é qualquer verbo que não seja de ligação, ou seja, apresenta verbo nocional.

– Todos nós assistimos ao lançamento da Marvel.

c) Predicado verbo-nominal: é aquele cujos núcleos são um verbo nocional + um nome (esse nome será predicativo do sujeito ou do objeto).

– Os jogadores corriam exaustos.

Termos integrantes da oração

São termos integrantes da oração aqueles que completam o sentido de certos verbos ou nomes, como fazem os complementos verbais (objeto direto e objeto indireto), o complemento nominal e o agente da passiva.

1. Complementos verbais

São complementos do verbo o objeto direto e o objeto indireto.

a) Objeto direto: complementa o sentido de um verbo sem o auxílio de uma preposição.

– A chuva intensa prejudicou a navegação.

b) Objeto indireto: complementa o sentido de um verbo com o auxílio de uma preposição.

– Ele não confia em você.

2. Complemento nominal

O complemento nominal liga-se a um nome, o qual pode ser um substantivo, um adjetivo ou um advérbio de base adjetiva, a fim de complementar o seu sentido. É obrigatoriamente regido de preposição.

– Tenho necessidade de proteção.

3. Agente da passiva

O agente da passiva é o termo que complementa um verbo na voz passiva analítica. É obrigatoriamente regido pelas preposições por ou de.

– Os nadadores foram aplaudidos pelo público.

Termos acessórios da oração

Os termos acessórios da oração desempenham função secundária na oração, sendo dispensáveis à construção de sentido dela. São eles o adjunto adnominal, o adjunto adverbial e o aposto.

1. Adjunto adnominal

O adjunto adnominal é o termo acessório que delimita o sentido de um substantivo, caracterizando-o. É representado pelas seguintes classes gramaticais: artigo, adjetivo, locução adjetiva, pronome adjetivo, numeral adjetivo.

O poeta inovador enviou dois longos trabalhos ao seu amigo de infância.

O (artigo) e inovador (adjetivo) caracterizam o substantivo poeta;

dois (numeral) e longos (adjetivo) caracterizam o substantivo trabalhos;

o (artigo), seu (pronome adjetivo) e de infância (locução adjetiva) caracterizam o substantivo amigo.

2. Adjunto adverbial

O adjunto adverbial é o termo que indica a circunstância expressa pelo verbo. Na prática, todo advérbio e toda locução adverbial exercem função sintática de adjunto adverbial, o qual pode expressar muitas as circunstâncias, sendo as mais comuns as de: tempo, modo, lugar, causa, assunto, meio, instrumento, afirmação, negação, dúvida, intensidade, finalidade, companhia, condição e concessão.

Hoje é feriado. (tempo)

– Todos correram de medo. (causa)

– A esposa trabalha bastante. (intensidade)

3. Aposto

O aposto é um termo de valor substantivo que explica, especifica, amplia ou resume um termo sintático antecedente. Pode ser classificado em:

a) Aposto explicativo: amplia o significado do antecedente. Sempre vem isolado por pontuação.

– Neymar, o maior jogador do Brasil hoje, atualmente joga pelo Paris Saint-Germain.

b) Aposto especificativo: possui o mesmo valor semântico do antecedente e não é isolado por pontuação.

– O escritor Machado de Assis era carioca. 

c) Aposto enumerativo: enumera as partes que constituem o antecedente. Aparece após vírgula, dois-pontos ou travessão.

– Nas férias, visitei três países: Itália, França e Inglaterra.

d) Aposto resumidor: sintetiza o que foi dito anteriormente. Normalmente é um pronome indefinido.

– O sorriso, a voz, a educação, tudo nela encantava.

e) Aposto distributivo: normalmente, retoma dois ou mais termos anteriores.

– Tenho dois investimentos: um em renda fixa, outro em renda variável, 

f) Aposto de oração: refere-se a uma oração inteira.

– O furacão destruiu toda a cidade, fato lamentável.

Vocativo x aposto

Vocativo é usado para evidenciar o ser chamado ou ao qual se apela, isto é, indica a invocação de algo ou alguém. Deve sempre ser isolado por vírgula e pode se deslocar pela oração. Exemplos:

Mãe, pega a tolha pra mim!

– Que paz você me traz, ó mar!

Diferentemente do aposto, o vocativo não pertence à estrutura sintática da oração, ou seja, não se liga ao verbo nem ao nome, tampouco integra o sujeito ou o predicado. Portanto, ele não é considerado um termo da oração, apesar de ser tradicionalmente explicado na seção de termos acessórios da oração em muitas gramáticas.

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.

Aposto: 7 tipos que você precisa conhecer

A imagem mostra um caderno sobre uma mesa. Em cima, há uma tarja na qual está escrito: aposto - o que é, tipos e exemplos.
Aprenda quando utilizar cada tipo de aposto.

Um aposto é um termo usado junto a outro com valor substantivo ou pronominal para explicá-lo ou especificá-lo melhor.

Neste artigo, vamos explicar os 7 tipos que existem. Também vamos te mostrar quando utilizar cada um. Vamos lá!

1 – Aposto resumidor ou recapitulativo

Resume uma sequência de termos, usando os pronomes indefinidos “tudo”, “nada”, “nenhum”.

Deve-se usar pontuação antes do pronome indefinido.

Ex1: Falei com Márcia, Rafaela e Daniel, todos estavam bem.

Ex2: Bebida, festas, viagens, nada me alegrava.

Continue reading

Vírgula: guia completo de quando utilizar

O uso da vírgula é um dos temas que mais gera dúvidas na hora de produzir um texto. Por isso, neste artigo, listamos os casos em que esse sinal de pontuação é obrigatório, proibido e facultativo. Vamos lá!

Guia completo da vírgula

Ordem direta

Antes de avançarmos, é preciso lembrar que, para utilizar bem a vírgula,  é importante conhecer bem a ordem direta:

  • Sujeito + Verbo + Complemento Verbal;
  • Sujeito + Verbo de Ligação + Predicativo.

Em regra, alterações nessa sequência demandam o uso da vírgula. Dito isso, vamos explorar todas as situações que envolvem esse sinal de pontuação.

Quando utilizar a vírgula?

Vejamos abaixo quando usar vírgula obrigatoriamente.

1) Intercalações

Em geral, as intercalações ocorrem quando há uma quebra da ordem direta e o termo deslocado fica no meio da frase. Nessas situações, o trecho ou elemento intercalado deve ficar entre vírgulas.

Vejamos os principais casos de intercalação:

  1. a) Do adjunto adverbial:

Ex: saiu, naquela manhã, para assumir o novo posto.

  1. b) Da conjunção:

Ex: sabia, todavia, que não poderia mais retornar.

  1. c) Dos termos explicativos ou corretivos:

Ex: ele era um homem dedicado, isto é, não faltava nunca.

Continue reading

Aposto e Vocativo: conceitos, como diferenciar e exercícios

Tanto o aposto quanto o vocativo são termos de uma oração. No entanto, desempenham funções diferentes. O aposto é um termo que possui relação com o pronome ou substantivo da oração. 

Essa função pode explicar, resumir, especificar, indicar ou comentar algo. Em contrapartida, o vocativo é um termo independente, ou seja, um elemento isolado na oração, usado para evocar, chamar ou nomear a pessoa a qual nos dirigimos. 

Entenda essas diferenças em detalhes neste conteúdo!

Aposto x Vocativo: quando usar cada termo?

O que é aposto? 

O aposto é um termo acessório. Melhor dizendo, ele possui relação com o substantivo ou pronome de uma oração, fornecendo informações sobre esse outro termo. Essa relação pode:

  • explicar;
  • resumir;
  • especificar;
  • indicar;
  • comentar algo. 

No entanto, é válido dizer que o aposto não pode ser formado por um adjetivo, apenas por substantivo ou pronome substantivo (o qual exerce a função de substantivo).

Acompanhe os seguintes exemplos:

1. “Marcelo, o arquiteto do projeto, nasceu em Minas Gerais.”

Na oração acima, a expressão: “o arquiteto do projeto” é um aposto, pois desempenha a função de explicar quem é o Marcelo. 

2. “Marcelo, inteligente e disciplinado, se tornou um excelente arquiteto. 

Já nesse segundo exemplo, os adjetivos “inteligente e disciplinado” exercem a função de predicativo do sujeito. Melhor dizendo, atribuem uma qualidade ou condição ao sujeito que, nessa oração, é o arquiteto Marcelo. 

Para não ter mais dúvidas, conheça, agora, os tipos de aposto!

Tipos de aposto 

Existem 8 tipos de aposto, são eles:

  • Aposto explicativo: sua função é a de explicar ou esclarecer o termo a qual ele se refere. Ex: “Roberto Carlos, cantor e compositor, se apresenta hoje no evento”.
  • Aposto enumerativo: serve para enumerar os elementos de um único termo da oração. Ex: “Os meus autores favoritos são: Machado de Assis, Jorge Amado e Cecília Meireles.”
  • Aposto recapitulativo ou resumidor: resume, em um único termo, os diversos termos citados na oração. Ex: “Caetano Veloso, Chico Buarque e Gilberto Gil, todos cantam MPB.”
  • Aposto comparativo: realiza uma comparação não direta, melhor dizendo, implícita. Ex: “meu filho, um pequeno general, queria mandar em casa.”
  • Aposto distributivo: sua função é distribuir informações, ideias, qualificações, entre outros, nos elementos da oração. Ex: “Compre dois lanches: um para mim, outro para você.”
  • Aposto circunstancial: indica circunstância ou a qualidade de um ser. Ex: “Pedro, quando casado, não cumpria com as obrigações de pai.”
  • Aposto de especificação: específica, caracteriza um termo genérico na oração. Ex: “A cidade Alegrete é famosa no Rio Grande do Sul.”
  • Aposto da oração: comentário sobre o fato apresentado na oração. Ex: “Ficou um completo silêncio na sala, resultado de sua grosseria.”

Vale dizer que cada tipo de aposto é separado de uma forma, confira as regras, a seguir!

Como separar o aposto?

Normalmente, o aposto é separado por vírgulas do termo a qual ele se refere. Essa regra é válida nos seguintes tipos:

  • explicativo;
  • comparativo;
  • circunstancial;
  • da oração.

Exemplos:

  • Aposto explicativo: “A lanchonete do meu bairro, pedacinho do céu, tem sabores únicos.”
  • Aposto comparativo: “O conhecimento, ponte para o futuro, não deve ser rejeitado.”
  • Aposto circunstancial: Devido ao estado de saúde do cantor, o show foi adiado.”
  • Aposta da oração: “Antes de falar com ele, o corpo dela tremia inteiro. “

Já o aposto enumerativo deve ser separado por dois-pontos do termo a qual se refere. No entanto, os seus elementos são separados entre si por vírgulas e, em alguns casos, pela conjunção “e” entre seus dois últimos termos. 

Exemplo:

  • Aposto enumerativo: “O Matheus quer comprar tudo: bonecos, bolas e doces.”

Em relação ao aposto recapitulativo ou resumidor, ele é separado por vírgula nos elementos aos quais se refere. No entanto, os elementos da série seguem as mesmas regras anteriores: separados por vírgulas e conjunção “e” quando necessário. 

Exemplo:

  • Aposto recapitulativo ou resumidor: “Verso, estrofe, rima, métrica e ritmo, tudo isso deve ser considerado na produção de uma poesia.”

O aposto distributivo pode ser separado da palavra a qual se refere tanto pela vírgula, quanto pelos dois-pontos. 

Exemplo:

  • Aposto distributivo “Comprei três esmaltes: um para você, um para Glória e outro para mim.”

“Leve duas bebidas, uma para você e outra para o seu marido. “

Por fim, o aposto de especificação não deve ser separado. 

Exemplo:

  • Aposto de especificação: “A rua Amora fica em São Paulo.”

O que é vocativo? 

O vocativo é um termo da oração que se trata de um chamamento, apelo ou invocação. Assim, ele manifesta o diálogo com uma ou mais pessoas, sendo um termo independente, ou seja, o qual não faz parte da estrutura da oração.

Observe os exemplos:

  1. Carol, preciso falar com você!”
  2. “Não pense, João, que esqueci o que me deve.”
  3. Meu Deus, por que isso está acontecendo comigo?”
  4. Karina e Mirela, a professora quer ver vocês!”

Como diferenciar aposto e vocativo? 

Para diferenciar aposto e vocativo, você deve entender que:

TermoFunçãoExemplo
ApostoSubstantivo que se relaciona com outro termo da oração para especificá-lo, detalhá-lo, explicá-lo ou esclarecê-lo.Michel, o bancário, trabalha na melhor filial da cidade.
Vocativo Palavra ou expressão utilizada para fazer um chamamento ao interlocutor. Pode ser substantivo ou adjetivo. Não estabelece relação com outros termos da oração.Exemplo: “Michel, a filial desse banco é a melhor da cidade.
Como diferenciar aposto e vocativo?

No primeiro exemplo, é possível notar que o aposto “o bancário” se refere ao termo “Michel”, ou seja, esclarece quem ele é. Já no segundo exemplo, o vocativo “Michel”, é um termo isolado que não possui nenhuma relação com outros elementos da oração. 

Assim, o aposto é dependente dos termos de uma oração. Melhor dizendo, o aposto “bancário” não tem autonomia alguma, ele depende do termo Michel para fazer sentido. Em contrapartida, o vocativo é independente, isto é, mesmo se for excluído, a frase não perde o sentido.

Contudo, é importante dizer que, em alguns casos, a oração depende do vocativo. Veja o exemplo:

Você, que deseja passar no Enem, precisa estudar mais!”

Nesse exemplo, a oração está subordinada ao vocativo “você”. Isso porque foi usado o pronome relativo “que”, o qual se refere ao termo anterior. Assim, “você” é dependente dele. 

Exercícios de aposto e vocativo

Para encerrar este artigo, vamos conferir 3 questões sobre o uso de aposto e vocativo com gabarito comentado. Vamos lá!

Questão 1

Qual das seguintes definições melhor descreve a função do aposto e do vocativo:

a) Aposto é um termo utilizado para fazer um chamamento ao interlocutor.

b) Tanto o aposto como o vocativo se relacionam com outros termos da oração.

c) O vocativo é utilizado para explicar um termo dentro da oração.

d) O aposto pode ser somente um substantivo (ou expressão substantivada), mas o vocativo pode ser também um adjetivo.

Questões 2

Assinale a alternativa que indica a sequência correta:

I – Maria, vem aqui rápido. Preciso te contar uma coisa imporante. (vocativo)

II – Lula, presidente do Brasil, fez uma viagem para o Egito esta semana. (aposto explicativo)

III – Compre dois presentes: um para o meu filho, outro para meu sobrinho. (aposto enurmativo)

a) V, V, V

b) V, V, F

c) F, F, F

d) F, V, V

Questão 3

Qual das frases apresenta um vocativo?

a) Joe Biden, atual presidente dos Estados Unidos, concorrerá à reeleição.

b) Hoje fiz a feira completa: arroz, feijão, frutas, produtos de limpeza e itens de higiene pessoal.

c) Acalmai, ventania furiosa!

d) Pela manhã, fui ao hosptial universitário da minha cidade, o HUB.

Gabarito comentado dos exercícios

Questão 1 – Resposta: Letra D. De fato, o vocativo pode ser representado tanto por um substantivo quanto por um adjetivo. Já o aposto é necessariamente um substantivo ou um termo substantivado.

Na letra A, temos a definição do vocativo, e não do aposto. Na letra B, por sua vez, o erro está em dizer que o vocativo tem relação com outros termos da oração.

Por fim, na letra C, quem tem função de explicar outro termo na oração é o aposto explicativo.

Questão 2 – Resposta: Letra B. Na frase III, estamos diante de um aposto distributivo, e não de um aposto enumerativo.

Questão 3 – Resposta: Letra C. Perceba que a expressão “ventania furiosa” é um chamamento e não apresenta nenhuma conexão com termos da oração. Logo, trata-se de um vocativo.

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.

© 2024 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑

#CodigoClever