Após 11 anos de seu último romance, “Relato de um certo oriente”, o autor Milton Hatoum presenteou os seus leitores com “Dois irmãos”, livro publicado em 2000. A obra em questão foi traduzida para diversos países e ainda ganhou, em 2001, o Prêmio Jabuti com a história dos gêmeos Yaqub e Omar. 

Hatoum traz um enredo com doses de amor, conflitos, e diferenças sociais. Inclusive, por mais enxuto que o livro seja, se comparado ao seu romance anterior, ele também é repleto de sutilezas e nuances. 

Personagens principais da obra “Dois irmãos”

Os personagens principais da obra “Dois irmãos” são:

  • Yaqub e Omar: são os gêmeos, protagonistas da história.
  • Halim: é o pai dos gêmeos, marido de Zana.
  • Zana: é a mulher de Halim, mãe dos gêmeos. 
  • Rânia: irmã dos gêmeos.
  • Lívia: é a paixão em comum de Yaqub e Omar.
  • Domingas: é a empregada dos gêmeos.
  • Nael: é o filho da empregada, narrador-personagem. 

Resumo da obra “Dois irmãos”

A obra “Dois irmãos” conta a história de Yaqub e Omar, gêmeos que não se dão bem desde criança. Eles vivem em Manaus com seus pais, sua irmã Rânia e a empregada da casa que também tem um filho. 

Durante o enredo, conhecemos diferentes situações vivenciadas pela família, desde momentos bons até os ruins. Tudo isso narrado pelo personagem Nael, o filho da empregada. 

A narrativa é detalhada, e destaca tudo e mais um pouco. É o tipo de história que descreve todos os pontos, desde o nome da rua, até o alimento ingerido pelos personagens. Inclusive, conseguimos ter acesso a toda a cultura local de Manaus. 

A trama gira em torno da relação dos gêmeos que, devido a personalidades opostas, vivem em conflito. A criação dos pais também é algo que interfere bastante na trajetória dos dois.

Omar, o caçula, visto que nasceu após Yaqub, é um garoto mimado, ingrato e muito agressivo, já Yaqub é totalmente diferente. 

No entanto, desde o início da narrativa, ele demonstra sentir uma raiva profunda do irmão por algo feito na infância. Isso é explicado posteriormente, e se deu pelo fato de ambos se apaixonarem pela mesma mulher, Lívia. O que fez com que Omar cortasse o rosto de Yaqub com uma garrafa. 

O pai dos meninos, Halim, deixa claro que nunca quis ter filhos, porém passou por cima de sua decisão em nome do amor que sentia por Zana, sua esposa, que é uma mãe superprotetora e excessiva. Já a irmã, é uma mulher sensual que rejeita constantemente os pretendentes que a cercam. Isso porque, seu sonho era encontrar um homem que tivesse a personalidade de seus irmãos. 

Em paralelo à família, o leitor conhece a história de Domingas, a empregada vendida para a família. Todos os seus desejos foram perdidos devido à vida cansativa que ela levava como doméstica. 

No desenrolar do enredo há muitos “vai e vem” e, em um desses, Yaqub reencontra com Lívia e se casa com ela. Contudo, quando Yaqub descobre, o ódio entre os dois só aumenta, o qual só termina com a prisão de Omar e a morte de Yaqub.

Essa rivalidade, no entanto, é contada pelo narrador-personagem, Nael, o filho da empregada, bem como todas as situações e particularidades da família. Este é um ponto muito importante de ser citado, uma vez que durante toda a narrativa, Nael tenta persuadir o leitor a acreditar em tudo o que ele revela.

Entretanto, o que Nael quer mesmo é saber quem é seu pai, uma vez que ele sabe que Domingas, sua mãe, foi violentada quando mais nova. Por fim, é revelado que o seu pai é Yaqub. 

Contexto histórico de “Dois Irmãos” 

O contexto histórico por trás do livro “Dois Irmãos” é o período da Segunda Guerra Mundial, até o golpe de 64, ou seja, são mais de 30 anos narrados em fragmentos. A época em que a história se passa é guiada pela memória dos personagens que relatam acontecimentos importantes do início do século XX. 

No entanto, a cidade de Manaus tem grande relevância dentro da história. Isso porque, ela está totalmente ligada aos personagens. Ao longo dos 30 anos de narrativa, o leitor acompanha a destruição e a reconstrução do lugar, narrado por Nael, que busca pela cidade de sua infância, mas destaca que ela já não existe mais. 

Análise literária da obra “Dois Irmãos”

A trama, que gira em torno da conturbada relação de dois irmãos gêmeos, carrega uma camada extra de complexidade: o narrador-personagem que precisa conhecer a sua identidade e entender onde ele se encaixa na família a qual sua mãe é empregada doméstica.

No entanto, esse mistério, é revelado aos poucos e até boa parte do livro o leitor sequer sabe quem é o narrador e qual o seu real papel no enredo. A história que ele narra, por um longo período, só destaca a relação conflituosa de Yaqub e Omar. 

A narrativa não dispõe de uma cronologia linear e apresenta avanços e recuos no tempo. Assim, as situações vão sendo reveladas ao leitor conforme a memória do narrador. Entretanto, além de contar a história dos protagonistas, outra questão bastante explorada é a vida social brasileira. 

Durante o enredo, o narrador também fala sobre o crescimento da cidade de Manaus, o qual se deu pela cobiça de dinheiro, e a falta de estrutura do lugar. Essas mudanças acarretaram uma série de problemas. Nesse sentido, o autor também faz uma crítica a respeito das diferenças sociais. 

A obra faz com que os leitores consigam se aproximar dos personagens e adentrar em suas angústias e conflitos, as quais fazem parte de questões que atingem todos os seres humanos. Assim, é possível repensar sobre as próprias identidades e origens, pois estão articuladas a questões históricas e sociais. 

Adaptação da obra “Dois irmãos”

“Dois irmãos” teve duas grandes adaptações: os quadrinhos e uma minissérie de dez capítulos na Rede Globo

Os quadrinhos foram desenvolvidos pelos quadrinistas brasileiros, Gabriel Bá e Fábio Moon e publicado pela Quadrinhos na Cia, no Brasil, e pela Dark Horse Comics, nos EUA. O livro ganhou o Troféu HQMix de melhor adaptação para quadrinhos e o Eisner Award por melhor adaptação de outro meio. 

Já a minissérie, foi produzida por Maria Camargo em parceria com o diretor Luiz Fernando Carvalho. De 2008 até o seu lançamento em 2017, a história passou por três ajustes e ainda uma interrupção no projeto. 

No entanto, segundo Maria Camargo e o autor da obra original, Hatoum, as pessoas que assistirem à série, encontrarão cenas idênticas ao livro, bem como adaptações e criações. A produção conta com um grande elenco da rede globo, entre os nomes estão: Cauã Reymond, Matheus Abreu e Juliana Paes.

Sobre o autor “Milton Hatoum”

Nascido em Manaus, em 19 de agosto de 1952, Milton Hatoum, filho de imigrantes libaneses, passou boa parte da vida em São Paulo. Na década de 1970, cursou arquitetura na USP e depois iniciou os seus estudos literários. 

Hatoum também morou na Espanha e na França, local onde fez sua pós-graduação. No entanto, foi em Manaus que ele lecionou língua e literatura francesa na UFAM (Universidade Federal do Amazonas. Milton também foi professor-visitante na Universidade da Califórnia nos EUA. 

Aos 37 anos, o autor publicou o seu primeiro romance intitulado de “Relato de um certo oriente” e voltou a morar em São Paulo, em 1998, onde fez doutorado em teoria literária, também na USP. 

Após um tempo, publicou “Dois Irmãos”, em 2000 e “Cinzas do Norte”, em 2005. Os seus três romances foram ganhadores do Prêmio Jabuti. Além disso, muitas de suas histórias fizeram sucesso fora do país. As principais são:

  • Relato de um certo oriente – 1989.
  • Dois irmãos – 2000.
  • Cinzas do Norte – 2005.
  • Órfãos do Eldorado – 2008.
  • A cidade ilhada – 2009.
  • Um solitário à espreita – 2013.
  • A noite da espera – 2017.
  • Pontos de fuga – 2019.

*

Gostou do artigo? Então, continue seus estudos com o nosso Guia da Literatura.