Clube do Português

Língua Portuguesa e Literatura para o Enem

Introdução para a redação do Enem: 5 estratégias infalíveis

A redação é a nota de maior peso no Exame Nacional do Ensino Médio e, por essa razão, gera muitas dúvidas e inseguranças nos candidatos. Como iniciar um bom texto, normalmente, é uma delas.

Assim, há alguns fatores indispensáveis para não errar durante a produção escrita. Além disso, é fundamental lembrar que o primeiro parágrafo é a porta de entrada para chamar a atenção do leitor. 

Para você entender o assunto em detalhes, neste artigo falaremos como fazer introdução para a redação do Enem. Acompanhe!

Introdução para a redação do Enem: como fazer e exemplos

Passo a passo de como fazer introdução para a redação do Enem

Como mencionamos, a redação do Enem é uma das partes da prova que vale mais pontos. Por esse motivo, é fundamental saber como construí-la de forma correta. 

Dito isso, é importante destacar que a introdução não pode ter menos de 2 linhas. Isso porque pode ser considerada embrionária, ou seja, mal-desenvolvida. Além disso, precisa ter 3 principais elementos: o contexto, o tema e a tese. 

No entanto, esses elementos podem aparecer em qualquer ordem, desde que abordem o assunto e apontem a necessidade de discutir o problema em questão. Confira, agora, o passo a passo de como fazer introdução para a redação do Enem. 

Contexto

A contextualização é imprescindível quando o assunto é como fazer a introdução para a redação do Enem. Em outras palavras, você precisa iniciar o texto falando sobre o assunto central, atribuindo-lhe um sentido para que ele fique totalmente esclarecido. 

Assim, vamos lembrar do tema da redação do Enem de 2020: “O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira”. Veja abaixo, a introdução da candidata Julia Vieira.

“No filme estadunidense Coringa, o personagem principal, Arthur Fleck, sofre de um transtorno mental que o faz ter episódios de riso exagerado e descontrolado em público, motivo pelo qual é frequentemente atacado nas ruas. Em consonância com a realidade de Arthur, está a de muitos cidadãos, já que o estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira ainda configura um desafio a ser sanado. Isso ocorre, seja pela negligência governamental nesse âmbito, seja pela discriminação desta classe por parcela da população verde-amarela. Dessa maneira, é imperioso que essa chaga social seja resolvida, a fim de que o longa norte-americano não mais reflita o contexto atual da nação.”

No exemplo acima, é possível notar que a candidata contextualizou o assunto, citando o filme “Coringa” como exemplo. Ela evidencia que a doença mental do personagem principal o faz ser atacado constantemente nas ruas. 

Partindo dessa premissa, o tema é ilustrado, tornando-o mais simples ao leitor. Em outras palavras, o personagem é atacado com frequência, porque a sociedade brasileira é preconceituosa. 

Vale dizer que citar referências de livros, filmes, músicas ou dados históricos é uma excelente forma de mostrar repertório sociocultural. 

Tema

Após a contextualização, você deve mostrar ao leitor como o contexto leva ao tema da redação. Assim, voltando ao exemplo anterior, temos o seguinte trecho:

“Em consonância com a realidade de Arthur, está a de muitos cidadãos, já que o estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira ainda configura um desafio a ser sanado.”

Embora a candidata tenha copiado o tema dentro da frase, você também pode abordá-lo com as suas próprias palavras.  

Tese

Por fim, a introdução precisa de tese. Melhor dizendo, você tem que descrever a sua opinião, ou seja, o que será defendido ao longo do texto. 

Vale dizer que essa parte é uma das mais importantes na redação do Enem. Isso porque, somente após ela, você conseguirá desenvolver a sua escrita. Observe, mais uma vez, o trecho da introdução da candidata Julia Vieira.

“Dessa maneira, é imperioso que essa chaga social seja resolvida, a fim de que o longa norte-americano não mais reflita o contexto atual da nação.”

É notório que a candidata defende a tese de que a situação do estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira deve ser resolvido. A partir disso, o texto deve ser formulado para reforçar a sua defesa. 

Continue reading

Dadaísmo: conceito, características e questões

Também chamado de “Dadá”, o Dadaísmo foi um movimento artístico e literário das vanguardas europeias no século XX. Além disso, é considerado um grande impulsionador das ideias surrealistas.

Por intermédio das suas características radicais, o movimento pregava o lema de “a destruição também é criação”. Assim, a sua proposta era desvincular a produção artística das regras de estética.

O Dadaísmo escandalizou o gosto popular e, neste artigo, você irá entender o conceito e as características desse movimento. Confira!

Dadaísmo: características do movimento artístico e literário.

Origem e conceito do Dadaísmo

Começando pela origem da palavra, Tristan Tzara (1896-1963), o poeta e criador do movimento, afirmou que “Dadá” não significa nada. O termo surgiu por acaso ao abrir o dicionário. No entanto, a palavra, que diz pouco ou quase nada, tornou-se muito importante nas produções artísticas e literárias.

Isso porque o Dadaísmo tem como principal conceito a estética do surreal, do absurdo, do incoerente. Criado na Suíça, em 1916, por meio dos textos de manifestos, o movimento tinha como objetivo promover uma nova manifestação artística.

A proposta era de uma arte espontânea e irreverente, pautada pela liberdade, ironia, absurdo, pessimismo e irracionalidade. Sua finalidade era de ir contra a guerra e o sistema, impactando os burgueses da época.

Inclusive, o termo “Dadá”, do francês, significa “cavalo de madeira”. Ele foi escolhido, justamente, para expressar a falta de sentido e as inconsistências do novo movimento. Desse modo, o Dadaísmo foi criado para questionar a arte e produzi-la com todas as suas imperfeições.

Continue reading

Ultrarromantismo: o que é, características e questões

Movimento literário português e brasileiro, o Ultrarromantismo ocorreu na segunda metade do século XIX. As suas obras se caracterizam pela melancolia, pessimismo e idealização do amor e do sofrimento. 

Assim, esse movimento é uma das tendências da literatura romântica, marcada pelo egocentrismo e pelo exagero sentimental. Neste artigo, você vai conhecer seu conceito e suas características. Acompanhe!

Ultrarromantismo: características desse movimento literário

Qual é o Ultrarromantismo?

O Ultrarromantismo tem um conceito associado à estética literária. Trata-se de um movimento que surgiu na Europa, no século XIX, marcado por uma postura sentimentalista exagerada.

Os seus princípios eram a combinação das emoções e o subjetivismo. Em outras palavras, os escritores do movimento investiam na criatividade para criar suas obras, distanciando-as dos padrões estéticos antigos. 

Contexto histórico do Ultrarromantismo

O contexto histórico do Ultrarromantismo em Portugal foi marcado por muitos conflitos políticos. Isso porque ele surgiu em meio a transição do Absolutismo para o Constitucionalismo, ocorrido na segunda regência de Maria II (1819-1853), em 1834. No entanto, com o falecimento da rainha, o rei Pedro V (1837-1861) assumiu o poder e, assim, houve a harmonia na gestão política. 

Já no Brasil, o Ultrarromantismo se iniciou durante o Segundo Reinado, isto é, quando o país era governado por D.Pedro II (1825-1891). A época foi marcada pela centralização política e pela Guerra do Paraguai.

Devido à situação política desses países, alguns artistas românticos submeteram-se à alienação social. Em outras palavras, abdicaram dos seus anseios coletivos, para dar espaço aos seus sentimentos individuais.  

Continue reading

Humanismo na literatura: o que é, características e questões comentadas

O Humanismo na literatura foi o movimento de transição entre a Idade Média e a Idade Moderna. Melhor dizendo, foi a transição entre o Trovadorismo e o Classicismo. 

O período valorizou a cultura greco-latina e os ideais que exaltavam o ser humano. Foi por intermédio das mudanças sociais e econômicas que a sociedade passou a pensar diferente e uma nova produção artística surgiu.

Se você deseja saber o que é Humanismo na literatura e suas principais características, continue a leitura deste artigo.

Humanismo na literatura: guia completo sobre esse movimento literário

O que é o Humanismo na literatura?

Em linhas gerais, o Humanismo na literatura foi um movimento que mudou a forma de pensar da sociedade. Em outras palavras, ele exaltou a racionalidade humana, uma vez que as pessoas na época não tinham acesso à informação e eram fortemenete influenciadas pelas igrejas, especialmente a Católica. 

Assim, surgido no final da Idade Média, na Itália, no século XIV, o Humanismo na literatura foi o ponto de partida para o Classicismo, durante o Renascimento

Contexto histórico do Humanismo na literatura

O Humanismo na literatura surgiu em um contexto histórico repleto de mudanças econômicas, sociais e políticas. Para se ter uma ideia, na época de seu surgimento, o feudalismo perdia espaço para o capitalismo, que se desenvolvia fortemente, criando uma nova classe social, a burguesia. 

Os burgueses, por sua vez, eram crias do sistema feudal. No entanto, o pensamento da classe foi se transformando de forma gradual. Assim, a mentalidade da submissão às ordens da igreja foi se quebrando e novas teorias foram aparecendo.

A partir do rompimento com a igreja pelas reformas religiosas, os pensadores passaram a priorizar a razão. Nesse sentido, a sociedade passou a ser vista como responsável por seus próprios atos, valorizando a cultura greco-romana.

Continue reading

Trovadorismo – o que é, autores, obras e contexto histórico

Marcado pela produção de cantigas líricas, o Trovadorismo é considerado o primeiro movimento literário europeu. Suas produções são um composto de música e poesia, com cantigas divididas em temas que falam de amor, amizade, zombaria e depreciação. 

Esse movimento literário e poético ocorreu somente na Europa, especialmente na França, Espanha e Portugal, e registrou escritos entre os séculos XI e XIV. Para saber seu conceito e características, continue a leitura deste artigo. 

Trovadorismo: característica do movimento literário

Qual o conceito do Trovadorismo?

O conceito do Trovadorismo teve origem no Sudeste da Europa, durante a Idade Média, a  partir do termo “trovador”, o qual significa: “cantor e compositor de cantigas”. 

As cantigas, principais produções literárias da Península Ibérica, eram cantadas com o auxílio de instrumentos musicais. Assim, claramente, se espelhavam na poesia lírica grega, tornando-se a base desse movimento. 

Confira no vídeo abaixo a declamação de uma cantiga do tempo do Trovadorismo:

Contexto histórico do Trovadorismo

Como dito anteriormente, o Trovadorismo iniciou-se na Idade Média, por volta dos séculos XI e XII. Nesse período, os países europeus estavam em formação e a sociedade medieval estava fragmentada entre clero, nobreza e povo. Além disso, a maior parte das nações tinha o Feudalismo como abordagem vigente, e a Igreja Católica como denominação religiosa.

Nesse cenário, o teocentrismo prevalecia. Assim, entendia-se Deus como centro do mundo e o homem como personagem secundário submetido aos valores cristãos. Nesse sentido, era a igreja que ditava os valores e influenciava no pensamento e comportamento humano.  Inclusive, somente os fiéis tinham acesso à educação. 

A Europa se mantinha em uma guerra entre os cristãos e os muçulmanos e o Tribunal do Santo Ofício tinha a tortura e à fogueira como prática aos que não seguiam a igreja.

Quais as características do Trovadorismo?

As características do Trovadorismo são:

  • conexão da música com a poesia;
  • recitais acompanhados de instrumentos musicais;
  • produção de cantigas líricas ou satíricas;
  • temas de amor, amizade, zombaria e depreciação;
  • escritos com referências de submissão e fidelidade amorosa;
  • produção de textos em prosa.

Cantigas do Trovadorismo

As cantigas do Trovadorismo podem ser divididas em líricas e satíricas. Veja abaixo, alguns exemplos. 

Cantigas líricas

No grupo das cantigas líricas, há temas de amor e amizade. Ambos possuem a manifestação de sentimento do sujeito lírico como característica principal. No entanto, há algumas diferenças nas cantigas de amor e amigo. Observe:

Cantigas de amor

  • o eu lírico é sempre masculino;
  • o trovador fala sobre o amor não correspondido;
  • a mulher é tratada como superior, por meio de adjetivos como “senhora” ou “dama”;
  • a maioria das cantigas apresenta refrão;
  • o trovador está sempre enlouquecido por amor;
  • a mulher é vista como figura idealizada;
  • as poesias são compostas em redondilha maior (possuem 7 sílabas poéticas).
Exemplo de cantiga de amor do Trovadorismo
Fonte da imagem

Cantigas de amigo

  • o eu lírico é sempre feminino;
  • o trovador é um homem que cria um eu lírico feminino;
  • o tema é a relação amorosa entre duas pessoas do campo;
  • a mulher fala sobre sentir saudades em decorrência da ausência do homem (namorado ou amante);
  • todas as cantigas apresentam refrão;
  • o cenário é sempre um ambiente do campo;
  • além da mulher e seu amigo, outras pessoas podem aparecer nos versos;
  • as poesias são compostas em redondilha menor (possuem 5 sílabas poéticas).
Exemplo de cantiga de amigo doi Trovadorismo
Fonte da imagem

Cantigas satíricas

As cantigas satíricas, por sua vez, trazem um tom de crítica social. Criadas por trovadores que não pertenciam à nobreza e até mesmo por membros da igreja. Os versos zombavam das regras do tempo. 

No entanto, embora muito semelhantes, as cantigas satíricas eram divididas também em dois grupos: temas de escárnio e de maldizer. Conheça abaixo as diferenças sutis entre elas:

Cantigas de escárnio

  • diversas críticas ao comportamento social;
  • termos de duplo sentido;
  • presença de trocadilhos e ironias;
  • textos sem palavrões;
  • não há menção a pessoa ofendida.
Exemplo de cantiga satírica do Trovadorismo
Fonte da imagem

Cantigas de maldizer 

  • críticas feitas a pessoas identificadas;
  • termos de duplo sentido;
  • presença de linguagem ofensiva e palavrões.
Exemplo de cantiga de maldizer do Trovadorismo
Fonte da imagem

Trovadorismo em Portugal

O Trovadorismo em Portugal teve destaque nos séculos XII e XIII, declinando no século XIV. Assim, o movimento se iniciou com a obra “Cantiga da Ribeirinha” do trovador Paio Soares de Taveirós, escrita para Maria Pais Ribeiro. 

É válido dizer que a literatura portuguesa do século XII não dispunha de nenhuma identidade nacional. Isso porque o território era parte do Condado Portucalense e Galícia. Foi D. Afonso I Henriques quem transformou tais condados em um reinado, embora só tenha sido reconhecido como monarca após reconquistar essas terras posteriormente.

Devido a este fato, a identidade dos trovadores era ibérica e hispânica, e não portuguesa. Somente no final do século XII que Dom Dinis I, rei trovador, estabeleceu a língua galego-portuguesa como oficial. O movimento foi essencial para o idioma e a cultura do lugar. 

Principais autores do trovadorismo em Portugal

Além de Paio Soares de Taveirós, primeiro trovador, e D. Dinis, grande impulsionador do movimento, com 140 cantigas líricas e satíricas, houve outros trovadores em Portugal, dentre eles:

  • João Soares Paiva;
  • João Garcia de Guilhade;
  • Martim Codax;
  • Aires Teles;
  • Afonso Sanches;
  • Ricardo Coração de Leão.

As cantigas do Trovadorismo podem ser encontradas em compilações denominadas de “Cancioneiros”. 

Questão sobre Trovadorismo

Para fechar o artigo, vamos ver como esse movimento é cobrado em provas de vestibulares. Para isso, vamos analisar uma questão da Universidade Estadual de Goiás:

Leia os textos a seguir e responda a questão:

Senhora, que bem pareceis!
Se de mim vos recordásseis
que do mal que me fazeis
me fizésseis correção,
quem dera, senhora, então
que eu vos visse e agradasse.

Ó formosura sem falha
que nunca um homem viu tanto
para o meu mal e meu quebranto!
Senhora, que Deus vos valha!
Por quanto tenho penado
seja eu recompensado
vendo-vos só um instante.

De vossa grande beleza
da qual esperei um dia
grande bem e alegria,
só me vem mal e tristeza.
Sendo-me a mágoa sobeja,
deixai que ao menos vos veja
no ano, o espaço de um dia.

Rei D. Dinis

CORREIA, Natália. Cantares dos trovadores
galego-portugueses. Seleção, introdução, notas e
adaptação de Natália Correia. 2. ed. Lisboa: Estampa, 1978.
p. 253.

Quem te viu, quem te vê

Você era a mais bonita das cabrochas dessa ala
Você era a favorita onde eu era mestre-sala
Hoje a gente nem se fala, mas a festa continua
Suas noites são de gala, nosso samba ainda é na rua
Hoje o samba saiu procurando você
Quem te viu, quem te vê
Quem não a conhece não pode mais ver pra crer
Quem jamais a esquece não pode reconhecer
[…]

Chico Buarque

A cantiga do rei D. Dinis, adaptada por Natália Correia, e a canção de Chico Buarque de Holanda expressam a seguinte característica trovadoresca:

a) a vassalagem do trovador diante da mulher amada que se encontra distante.
b) a idealização da mulher como símbolo de um amor profundo e universal.
c) a personificação do samba como um ser que busca a plenitude amorosa.
d) a possibilidade de realização afetiva do trovador em razão de estar próximo da pessoa amada.

Resposta: Letra A. Como vimos no artigo, uma das principais características do Trovadorismo eram os escritos com referências de submissão e fidelidade amorosa. É exatamente o que vemos no dois textos, um homem se colocando como vassalo de sua amada.

*

Gostou do artigo? Então, continue seus estudos com o nosso Guia da Literatura.

Surrealismo: o que é, obras, autores e questões

Movimento artístico e literário, o Surrealismo é caracterizado pela expressão espontânea do pensamento. Em outras palavras, a sua produção artística e literária é pautada pela criatividade, ou seja, seguindo os impulsos do subconsciente. 

Neste artigo, detalhamos tudo sobre esse movimento para você não ter mais dúvidas na hora da prova. Confira!

Surrealismo: características, artitas e autores.

Qual é a origem do Surrealismo?

O termo “Surrealismo” teve origem em 1917, por meio de uma fala do escritor Guillaume Apollinaire. Após assistir a uma peça de teatro, o autor descreveu a apresentação como: “acima da realidade”, usando a palavra “Sur” que, em francês, significa “sobre”. Assim, o termo “surrealista” foi criado. 

No entanto, o movimento artístico e literário só se manifestou em 1920, na França, visando compreender melhor o inconsciente humano. Melhor dizendo, o Surrealismo surgiu para ultrapassar os limites da imaginação, deixando de lado o pensamento lógico e os ideais impostos pelos burgueses no Renascimento.

Porém, nem todos foram a favor e diferentes pensadores alegaram que não iriam seguir os propósitos do Surrealismo. Embora diversas manifestações contra tenham ocorrido, o movimento prosperou, criando uma nova concepção do mundo e dos seres humanos.

Assim, muitos afirmam que o Surrealismo só desabrochou após 1924, quando André Breton escreveu a obra “Manifesto do Surrealismo”. 

Continue reading

Artigo de opinião: características e questões sobre esse gênero textual

O artigo de opinião é um gênero argumentativo, muito encontrado em jornais, revistas e blogs. Normalmente, o autor desse tipo de texto é um jornalista ou uma figura pública com autoridade no assunto abordado. No entanto, alguns vestibulares também solicitam a produção desse gênero textual. 

Esse tipo de texto tem o objetivo de apresentar um determinado ponto de vista a respeito de algum assunto relevante. Em outras palavras, o artigo de opinião é motivado geralmente por um acontecimento ou notícia atual de interesse da sociedade. 

Assim, o autor do texto se baseia na discussão, validando a sua opinião por meio de um artigo, com teor subjetivo. Continue a leitura, para saber mais sobre esse assunto. 

Artigo de opinião: estrutura do gênero textual e questões do Enem

O que é um artigo de opinião?

Como dissemos anteriormente, o artigo de opinião é um texto que defende determinado ponto de vista, por intermédio da argumentação. Normalmente publicado em veículos informativos digitais ou impressos, o gênero aborda temas de interesse social. 

Entretanto, por se tratar de uma opinião pessoal do autor, nem sempre o texto reflete o ponto de vista do veículo que o publicou. Inclusive, o maior objetivo é, exatamente, provocar um debate sobre um tema específico. 

Assim, também chamado de articulista, o autor deve usar recursos argumentativos que visam persuadir e convencer o leitor sobre as suas convicções. Contudo, para isso, também é válido apostar na inserção de dados e informações que justifiquem a sua concepção sobre o assunto.  

Quais são as características do artigo de opinião?

Por se tratar de um texto de gênero argumentativo e jornalístico, o artigo de opinião apresenta as seguintes características:

  • uso de linguagem acessível a todos;
  • voz ativa;
  • escrita leve e coerente;
  • linguagem argumentativa e subjetiva;
  • ausência de gírias e palavrões;
  • períodos curtos;
  • argumentação persuasiva com base em evidências;
  • temas atuais e de relevância social;
  • títulos provocativos;
  • escrita em 1ª ou 3ª pessoa;
  • assinatura do autor. 

Qual a estrutura do artigo de opinião?

A estrutura do artigo de opinião é feita da seguinte maneira:

  • título;
  • introdução;
  • desenvolvimento;
  • conclusão.

Essa é a estrutura padrão dos textos dissertativo-argumentativos. Nesse sentido, para escrever um artigo de opinião é preciso respeitar essa lógica, expondo os argumentos e fornecendo dados para convencer o leitor sobre a opinião acerca do assunto. 

Exemplo de artigo de opinião

Vamos conferir agora um exemplo de artigo de opinião com a estrutura acima.  Vejamos primeiro a estrutura da introdução do texto.

Introdução

Exemplo de introdução de artigo de opinião

Na imagem acima, é possível notar que há um título: “De olho nos falsos médicos”, e que o autor fez uma breve introdução apresentando o assunto abordado. Além disso, ele também inseriu dados que comprovam o fato, ao citar o número de denúncias feito ao Cremers – Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul. 

Nem todos os artigos de opinião possuem apenas um parágrafo de introdução ao tema. No entanto, em caso de redações para vestibulares essa é a melhor maneira de respeitar o limite de linhas. 

Desenvolvimento

Pois bem, vamos analisar agora o desenvolvimento do texto:

Exemplo de desenvolvimento de artigo de opinião

No desenvolvimento do texto, encontramos a argumentação que defende o ponto de vista de que há médicos falsos exercendo a medicina. O autor em questão, usou dois parágrafos.  O primeiro apresentava a fundamentação e o segundo, a análise do fundamento. 

Em outras palavras, no primeiro ele apresentou um fato: “uma mulher foi presa em flagrante, com um diploma falso”, informação essa que embasa a sua opinião. Já no segundo parágrafo, ele faz uma análise mais profunda dos dados, ao dizer que: “foram identificados mais nove diplomas falsos da mesma universidade”. Ou seja, ele fundamenta a tese que defende sobre a atuação de falsos médicos. 

É importante destacar que todas as informações usadas são verídicas. Isso significa que ele utilizou dados reais para comprovar a sua teoria. Isso é fundamental e, do contrário, o texto não teria relevância alguma. 

Conclusão

Agora, vamos observar a conclusão:

Exemplo de conclusão de artigo de opinião

O ideal é que a conclusão de um artigo de opinião apresente um resumo do desenvolvimento e renove o ponto de vista do autor. Assim, é perceptível que o criador do texto acima, repetiu os argumentos e reteve a sua opinião: “Não podemos, de forma alguma, permitir que pessoas não capacitadas lidem com vidas humanas”.

Como fazer um artigo de opinião?

Como visto no exemplo acima, para fazer um artigo de opinião, é preciso:

  • definir o tema a ser abordado (no caso dos vestibulares, o tema é previamente definido);
  • buscar por referências que comprovem a sua tese;
  • usar um título provocativo e/ou polêmico;
  • contextualizar o tema na introdução e suas perspectivas já na introdução;
  • construir suas argumentações no desenvolvimento, de forma organizada, persuadindo o leitor;
  • resumir o tema, reiterando o seu ponto de vista na conclusão, apontando caminhos para a solução dos problemas ou deixando uma reflexão final. 

Questões do Enem sobre artigo de opinião

O Enem costuma cobrar o conhecimento sobre o gênero artigo de opinião de forma mais indireta. Em geral, as questões pedem, principalmente, que você identifique a tese que o autor do artigo está defendendo e também seus principais argumentos. Vejamos alguns exemplos.

Exemplo de questão 1

Devagar, devagarinho

Desacelerar é preciso. Acelerar não é  preciso. Afobados e voltados para o próprio umbigo, operamos, automatizados, falas robóticas e silêncios glaciais. Ilustra bem esse estado de espírito a música Sinal fechado (1969), de Paulinho de Viola. Trata-se da história de dois sujeitos que se encontram inesperadamente em um sinal de trânsito. A conversa entre ambos, porém, se deu rápida e rasteira. Logo, os personagens se despedem, com a promessa de se verem em outra oportunidade. Percebe-se um registro de comunicação vazia e superficial, cuja tônica foi o contato ligeiro e superficial construído pelos interlocutores: “Olá, como vai? / Estou indo, e você, tudo bem? / Tudo bem, eu vou indo correndo, / pegar meu lugar no futuro. E você? / Quanto tempo… / Pois é, quanto tempo… / Me perdoe a pressa / é a alma dos nossos negócios… / Oh! Não tem de quê. / Eu também só ando a cem”.

O culto à velocidade, no contexto apresentado, se coloca como fruto de um imediatismo processual que celebra o alcance dos fins sem dimensionar a qualidade dos meios necessários para atingir determinado propósito. Tal conjuntura favorece a lei do menor esforço – a comodidade – e prejudica a lei do maior esforço – a dignidade.
Como modelo alternativo à cultura fast, temos o movimento slow life, cujo propósito, resumidamente, é conscientizar as pessoas de que a pressa é inimiga da perfeição e do prazer, buscando assim reeducar seus sentidos para desfrutar melhor os sabores da vida.

SILVA, M. F. L. Boletim UFMG, n. 1 749, set. 2011 (adaptado).

Nesse artigo de opinião, a apresentação da letras da canção Sinal Fechado é uma estratégia argumentativa que visa sensibilizar o leitor porque

a) adverte sobre os riscos que o ritmo acelerado da vida oferece.

b) exemplifica o fato criticado no texto com uma situação concreta.

c) contrapõe situações de aceleração e de serenidade na vida das pessoas.

d) questiona o clichê sobre a rapidez e a aceleração da vida moderna

e) apresenta soluções para a cultura da correria que as pessoas vivenciam hoje.

Resposta: Letra B. Note que a questão pediu para identificar a estratégia argumentativa por traz do uso de determinado trecho no artigo de opinião.

Nele o autor utilizou a canção para expressar um exemplo concreto da tese que ele está defendendo, que é a de que a sociedade vive atualmente de forma desnecessariamente acelarada. A letra de Paulinho da Viola nesse sentido retrata um desses diálogos vazios causados pelo excesso de pressa.

(Enem 2020 / 2ª Aplicação)

Questão – Enem 2021 – Prova Azul

Resposta: Letra B. Note que, neste artigo de opinião, o autor defende a tese de que vivemos em uma sociedade desnecessariamente acelerada. Isso traz diversas consequências, como, por exemplo, a superficialidade das interações cotidianas.

Nesse sentido, a letra da música de Paulinho da Viola apresenta um exemplo concreto desses diálogos vazios que caracterizam os tempos modernos.

Exemplo de questão 2

Novas tecnologias

Atualmente, prevalece na mídia um discurso de exaltação das novas tecnologias, principalmente aquelas ligadas às atividades de telecomunicações. Expressões frequentes como “o futuro já chegou”, “maravilhas tecnológicas” e “conexão total com o mundo” “fetichi – zam” novos produtos, transformando-os em objetos do desejo, de consumo obrigatório. Por esse motivo carregamos hoje nos bolsos, bolsas e mochilas o “futuro” tão festejado.

Todavia, não podemos reduzir-nos a meras vítimas de um aparelho midiático perverso, ou de um aparelho capitalista controlador. Há perversão, certamente, e controle, sem sombra de dúvida. Entretanto, desenvolvemos uma relação simbiótica de dependência mútua com os veículos de comunicação, que se estreita a cada imagem compartilhada e a cada dossiê pessoal transformado em objeto público de entretenimento.

Não mais como aqueles acorrentados na caverna de Platão, somos livres para nos aprisionar, por espontânea vontade, a esta relação sadomasoquista com as estruturas midiáticas, na qual tanto controlamos quanto somos controlados.

SAMPAIO A. S. A microfísica do espetáculo. Disponível em: http://observatoriodaimprensa.com.br. Acesso em: 1 mar 2013 (adaptado).

Ao escrever um artigo de opinião, o produtor precisa criar uma base de orientação linguística que permita alcançar os leitores e convencê-los com relação ao ponto de vista defendido. Diante disso, nesse texto, a escolha das formas verbais em destaque objetiva

a) criar relação de subordinação entre leitor e autor, já que ambos usam as novas tecnologias.

b) enfatizar a probabilidade de que toda população brasileira esteja aprisionada às novas tecnologias.

c) indicar, de forma clara, o ponto de vista de que hoje as pessoas são controladas pelas novas tecnologias.

d) tornar o leitor copartícipe do ponto de vista de que ele manipula as novas tecnologias e por elas é manipulado.

e) demonstrar ao leitor sua parcela de responsabilidade por deixar que as novas tecnologias controlem as pessoas.

Enem 2013

Reposta: Letra D. Ao usar a 1ª pessoa do plural, o autor usa a estratégia argumentativa de incluir o leitor como parte constituinte da tese que ele defende no seu artigo de opinião.

*

Gostou do artigo? Então, continue seus estudos com o nosso Guia da Redação.

Tema, tese e título na redação do Enem: qual a diferença?

Saber qual a diferença entre tema, tese e título na redação do Enem é fundamental para a construção correta do texto e para a garantia de uma boa nota. No entanto, é muito comum confundir esses três termos.

Embora pareçam o mesmo, é importante deixar claro que se trata de coisas distintas. Em resumo, tema é o recorte de um assunto, título é o nome dado a um texto e a tese é a opinião sobre o recorte. 

Para tirar as suas dúvidas, neste artigo, falaremos detalhadamente sobre cada um desses itens. Acompanhe!

Tema, tese e título na redação do Enem: como diferenciar cada conceito?

Diferenças entre tema, tese e título na redação do Enem

Nesta parte do artigo, vamos falar detalhadamente sobre os pontos que caracterizam e diferenciam os conceitos de tema, título e tese na redação do Enem. Confira!

Tema

O tema é o fator mais importante quando falamos de Enem, uma vez que a “fuga ao tema” pode te fazer zerar a redação. Assim, podemos dizer que o tema é o recorte do assunto que será a base da construção do seu texto. 

Em outras palavras, vamos imaginar que o assunto da redação seja: “Desafios da mulheres na sociedade atual”. No entanto, esse tópico é algo muito amplo. Nesse sentido, se o tema da redação fosse esse, você ficaria perdido, pois haveria milhares de possibilidades distintas de tratar esse assunto.

Além disso, a vida dos corretores de redação ficaria bem complicada, porque eles teriam que trabalhar com parâmetros muito amplos para avaliar as redações. 

Por isso, se faz um recorte mais específico no assunto, como, por exemplo foi o tema da redação do Enem de 2023: “Desafios para o enfrentamento da invisibilidade do trabalho de cuidado realizado pela mulher no Brasil”.

Perceba que o tema está englobado no tópico mais geral (“Desafios da mulheres na sociedade atual”), mas traz um aspecto pontual dele. Dessa forma, discorrer sobre o assunto fica muito mais fácil, pois se tem um panorama definido. 

Para te ajudar a fixar melhor o conceito, confira abaixo a tabela de temas cobrados nas últimas provas do Enem:

Anos Tema da redação do Enem
2023“Desafios para o enfrentamento da invisibilidade do trabalho de cuidado realizado pela mulher no Brasil”
2022“Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil”
2021“Invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil” (tema do Enem impresso e do digital)
2020“O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira” (tema do Enem impresso)
2020“O desafio de reduzir as desigualdades entre as regiões do Brasil” (tema do Enem digital)
2019“Democratização do acesso ao cinema no Brasil”
2018“Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na Internet”
2017“Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”
2016“Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”
2015“A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”
2014“Publicidade infantil em questão no Brasil”
2013“Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil”
2012“Movimento imigratório para o Brasil no século 21”
2011“Viver em rede no século XXI: os limites entre o público e o privado”
2010“O trabalho na construção da dignidade humana”
2009“O indivíduo frente à ética nacional”
2008“Como preservar a floresta Amazônica”
2007“O desafio de se conviver com a diferença”
2006“O poder de transformação da leitura”
2005“O trabalho infantil na realidade brasileira”
2004“Como garantir a liberdade de informação e evitar abusos nos meios de comunicação”
2003“A violência na sociedade brasileira: como mudar as regras desse jogo?”
2002“O direito de votar: como fazer dessa conquista um meio para promover as transformações sociais de que o Brasil necessita?”
2001“Desenvolvimento e preservação ambiental: como conciliar interesses em conflito?”
2000“Direitos da criança e do adolescente: como enfrentar esse desafio nacional?”
1999“Cidadania e participação social”
1998“Viver e aprender”
Tabela de temas de redação Enem

Como identificar o tema da redação do Enem?

Identificar o tema da redação do Enem é um passo fundamental. Afinal, como dissemos antes, fugir ou tangenciar o tema pode te fazer perder pontos preciosos, ou até zerar a redação.

A frase tema da redação do Enem é aquela que aparece na parte da “Proposta de redação” da prova, logo depois dos textos motivadores, como você pode ver na imagem abaixo:

Como identificar o tema da redação do Enem

Tese

Além do tema, temos a tese que nada mais é que o ponto de vista que você vai defender sobre o tema. Em outras palavras, ela é a sua delimitação da temática. Dito isso, vamos retomar ao exemplo do “Desafios para o enfrentamento da invisibilidade do trabalho de cuidado realizado pela mulher no Brasil”:

  • O que você pensa sobre esse tema?
  • Quais você considera os principais desafios para o enfrentamento desse problema?
  • Por quais motivos o trabalho de cuidado realizado pelas mulheres é invisilizado no Brasil?

Essas e outras perguntas são as que vão te ajudar a formular a sua opinião e a convencer o leitor a confiar nela. Inclusive, você pode estruturar a sua tese com mais de um argumento. Essa sugestão entra, por exemplo, nas vantagens e desvantagens da prática. 

Vale dizer que a exposição da tese deve vir logo na introdução e que os parágrafos do desenvolvimento devem reforçá-la e confirmá-la.

Exemplo de tese na redação do Enem

Para deixar o conceito mais claro, vamos analisar uma redação que alcançou a nota mil no Enem 20222, cujo o tema era “Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil”.

Na música “Imagine”, de John Lennon, é retratada uma sociedade que se une, apesar das diferenças culturais, a fim de alcançar a felicidade. Assim como na obra, fora da canção, a harmonia social é imprescindível para o desenvolvimento de uma nação. Contudo, no Brasil, desafios como a negligência estatal, somada à presença de um ideário colonial no pensamento coletivo, prejudicam a valorização das comunidades e dos povos tradicionais, impedindo a concretização dessa união. esse modo, torna-se fundamental a atuação do Estado para solucionar esse óbice.

Diante disso, é válido analisar, primeiramente, a improficuidade estatal perante o cumprimento dos benefícios normativos. Nesse sentido, segundo a Constituição Federal de 1988, todo cidadão brasileiro possui o direito à educação, cabendo ao Estado a sua efetivação no corpo social. Todavia, percebe-se, na realidade, que esse preceito não é difundido por completo, haja vista que, em virtude da escassa mobilização governamental referente à promoção de campanhas educacionais sobre as distintas comunidades tradicionais que residem no Brasil, diversas pessoas desconhecem a importância desses povos para a nação, a exemplo da utilização do conhecimento indígena para a preservação das florestas nativas, o que contribui para a desvalorização dessa população na atualidade. Logo, conclui-se que as autoridades públicas devem promover ações sensibilizadoras para reverter essa conjuntura.

Ademais, é imperioso postular como a perpetuação de um pensamento retrógrado afeta a sociedade tradicional. Nesse contexto, durante a colonização do Brasil, houve um processo de imposição da cultura eurocêntrica dos colonos nas comunidades colonizadas, ocasionando uma desvalorização dos povos tradicionais. Tendo isso em vista, observa-se, na contemporaneidade, a existência desse fenômeno, dado que persiste a exaltação de uma cultura globalizada em detrimento dos costumes das comunidades originárias, o que gera, por consequência, o apagamento de diversos hábitos tradicionais, como a mudança da vestimenta utilizada por algumas tribos indígenas, destacando a adaptação à cultura hegemônica. Dessa forma, faz-se essencial a criação de projetos governamentais que combatam esse pensamento antigo.

Evidencia-se, portanto, que atitudes são necessárias, com o fito de extinguir os desafios para valorização das comunidades e dos povos tradicionais no Brasil. Posto isso, o Estado deve, por meio do Ministério da Educação — órgão federal detentor do papel educacional da nação —, realizar parcerias com os meios de comunicação existentes, a exemplo dos canais televisivos, com a finalidade de divulgar informações acerca da importância das distintas populações que residem no país, elucidando os brasileiros e eliminando a mentalidade colonial da sociedade. Somente assim, diferentes povos serão valorizados e a harmonia cantada por Lennon se concretizará no Brasil.

Redação nota mil do estudante ZECK FERREIRA GOMES – Enem 2022

Análise: Na redação acima, marcamos em negrito na introdução a tese do estudante sobre o tema “Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil”.

Perceba que o candidato defende que para lidar com os desafios propostos, é preciso promover a harmonia social. Ele lista, contudo, obstáculos para alcançar esse objetivo. Com isso, ele evidencia seu ponto de vista (tese) sobre a temática proposta.

Nos dois parágrafos seguintes, ele desenvolve cada um dos argumentos que vão sustentar a sua tese.

Título

Por fim, vamos tratar do título, que é o conceito mais fácil, pois consiste no nome que você dará ao seu texto. No entanto, é recomendado que ele seja desenvolvido por último. Isso porque somente após argumentar, você saberá como deve nomear a produção. Inclusive, não colocar título te proporciona maior liberdade de escrita. 

A principal dica, no entanto, é se atentar à coerência. Voltando ao exemplo anterior, se o seu tema foi “Desafios para o enfrentamento da invisibilidade do trabalho de cuidado realizado pela mulher no Brasil”, não esqueça de citá-lo no título e de focar nas principais informações que estão na sua redação. Ou seja, nada de mencionar o tema no título, e escrever um texto que o contradiga.  

Devo colocar título na redação do Enem?

Colocar título na redação do Enem é permitido, mas não é recomendável. Afinal, a Cartilha do Participante da Redação do Enem diz que “o título é um elemento opcional na produção da sua redação. Assim, embora seja considerado linha escrita, não é avaliado em qualquer aspecto relacionado às competências da matriz de referência”.

Contudo, como ele não vai te ajudar a conseguir mais pontos na sua redação, não faz sentido desperdiçar uma linha de texto inteira com ele. Por isso, opte por não colocar título na sua redação do Enem.

Resumo: tema, tese e título

Para não esquecer qual a diferença entre tema, título e tese na redação do Enem, anote:

DEFINÇÃODICA
TEMARecorte de um determinado assuntoO tema está na parte “proposta de redação, logo após os textos motivadores
TESEPonto de vista que você vai defender sobre o tema.A tese deve aparecer logo na introdução da sua redação
TÍTULO Expressão inicial que introduz a redação, “nome” do textoApesar de ser permitido, sugerimos não colocar título na redação do Enem.

Simples, não é mesmo? Caso queira mais dicas, confira o nosso conteúdo sobre: Redação do Enem 2024: como conseguir pelo menos 900 pontos?

Compreensão e interpretação de texto para o Enem: dicas e exercícios resolvidos

Apostar em estratégias de interpretação de texto para o Enem é o melhor caminho para se dar bem nas provas. Isso porque saber interpretar é a base para responder corretamente às questões do exame. 

Assim, identificar comandos, objetivos e linguagem textual são algumas das premissas para compreender um texto e conseguir interpretá-lo. Uma vez que, quando se compreende um conteúdo, se chega à conclusão da sua mensagem. 

Em outras palavras, é importante analisar o que está explícito no texto para, só assim, entender o que está além dele. É exatamente isso que vamos lhe ensinar neste artigo. Acompanhe!

Compreensão e interpretação de textos para o Enem.

Compreensão x Interpretação

Antes de prosseguirmos, é preciso saber diferenciar questões que cobram a compreensão do texto das que cobram interpretação de texto.

Questão de compreensão de texto

Nas questões de compreensão, o que o examinador espera é que você seja capaz de idenficar informações que estão dentro do texto. Em outras palavras, esse tipo de questão não exige uma contextualização ou uma interpretação do que foi lido.

O objetivo é saber se você é capaz de navegar pela estruturar textual e gramatical e identificar pontos-chaves do que está escrito.

As questões de compreensão buscam trabalhar a competência 6 da Matriz de Referência do Enem, assim como suas habilidades:

Competência 6: Compreender e usar os sistemas simbólicos das diferentes
linguagens como meios de organização cognitiva da realidade pela constituição de significados, expressão, comunicação e informação.
Habilidades:Identificar os elementos que concorrem para a progressão temática e para a organização e estruturação de textos de diferentes gêneros e tipos.
Analisar a função da linguagem predominante nos textos em situações específicas de interlocução
Reconhecer a importância do patrimônio linguístico para a preservação da memória e da identidade nacional.
Fonte: Matriz de Referência do Enem

Para deixar mais claro, vejamos um exemplo de questão do Enem de 2020:

O que é música?

A pergunta “o que é música” tem sido alvo de discussão há décadas. Alguns autores defendem que música é a combinação de sons e silêncios de uma maneira organizada. Vamos explicar: um ruído de rádio emite sons, mas não de uma forma organizada, por isso não é classificado como música. Essa definição parece simples e completa, mas definir música não é algo tão óbvio assim. Podemos classificar um alarme de carro como música? Ele emite sons e silêncios de uma maneira organizada, mas garanto que a maioria das pessoas não chamaria esse som de música.

Disponível em: <https://www.descomplicandoamusica.com/o-que-e-musica/>. Acesso em 23 jul. 2021.

O fragmento define o que é a música de forma simplificada. Como estratégia de construção do texto, o autor faz uso recorrente de:

a) enumerações para sustentar o ponto de vista apresentado.

b) exemplificações para ilustrar a distinção entre a música e outros sons cotidianos.

c) generalizações para sintetizar as diversas percepções sobre o que é a música.

d) adjetivações para descrever os tipos de música.

e) sinonímias para retomar as características das obras musicais.

Fonte: Brasil Escola

Resposta: Letra B. Note que a resolução da questão está dentro do próprio texto. Ao ler o artigo, você consegue identificar que o autor lança mão de exemplos para sustentar seus argumentos. Essa informação está explícita no texto. Assim, fica caracterizado um típico caso de item de compreensão de texto.

Questão de interpretação de texto

Já nas questões de interpretação, o que o avaliador deseja é que você seja capaz de fazer inferências a partir das informações que aparecem. Aqui a resposta da questão está fora do texto, está relacionada com o conhecimento de mundo do estudante. O texto é um ponto de partida.

As questões de interpretação estão relacionadas com a competência 7 da Matriz de Referência e com suas respectivas habilidades:

Competência 7: Confrontar opiniões e pontos de vista sobre as diferentes linguagens e suas manifestações específicas.
linguagens como meios de organização cognitiva da realidade pela constituição de significados, expressão, comunicação e informação.
Habilidades:Reconhecer em textos de diferentes gêneros, recursos verbais e não-verbais utilizados com a finalidade de criar e mudar comportamentos e hábitos.
Relacionar, em diferentes textos, opiniões, temas, assuntos e recursos linguísticos
Inferir em um texto quais são os objetivos de seu produtor e quem é seu público alvo, pela análise dos procedimentos argumentativos utilizados.
Reconhecer no texto estratégias argumentativas empregadas para o convencimento do público, tais como a intimidação, sedução, comoção, chantagem, entre outras.
Fonte: Matriz de Referência do Enem

Para deixar isso mais evidente, vamos conferir uma questão do Enem de 2020:

Chiquito tinha quase trinta quando conheceu Mariana num baile de casamento na Forquilha, onde moravam uns parentes dele. Por lá foi ficando, remanchando. Fez mal à moça, como costumavam dizer, tiveram de casar às pressas. Morou uns tempos com o sogro, descombinaram. Foi só conta de colher o milho e vender. Mudou pra casa do velho Chico Lourenço [seu pai]. Fumaça própria só viu subir um par de anos depois, quando o pai repartiu as terras. De tão parecidos, pai e filho nunca combinaram direito. Cada qual mais topetudo, muitas vezes dona Aparecida ouvia o marido reclamar da natureza forte do filho. Ela escutava com paciência e respondia dum jeito sempre igual:

— “Quem herda, não rouba”.

Vinha um brilho nos olhos, o velho se acalmava.

ROMANO, O. Casos de Minas. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

Os ditados populares são frases de sabedoria criadas pelo povo, utilizadas em várias situações da vida. Nesse texto, a personagem emprega um ditado popular com a intenção de:

a) criticar a natureza forte do filho.

b) justificar o gênio difícil de Chiquito.

c) legitimar o direito do filho à herança.

d) conter o ânimo violento de Chico Lourenço.

e) condenar a agressividade do marido contra o filho.

Enem 2020

Resposta: Letra B. Perceba que, nessa questão, para chegar à resposta correta, você precisa inferir que dona Aparecida usa o ditado popular para justificar o comportamento do filho, lembrando ao marido que o menino herdou dele o gênio conflituoso.

Essa informação não está explícita no texto. Para chegar a ela, é preciso fazer uma interpretação com base no que foi dito.

Como fazer uma boa compreensão e interpretação de texto para o Enem: 10 estratégias

A seguir, conheça 10 estratégias de interpretação de texto para o Enem. Lembre-se que o exame dispõe de questões com objetivos claros, porém a desatenção ou a pressa para terminar a prova pode fazer com que sejam mal interpretados.

1. Inicie pelo comando da questão

Iniciar a questão pelo seu comando é uma das formas mais simples de conseguir interpretá-la. O ideal é ler o enunciado mais de uma vez, para ter a certeza do que a pergunta está pedindo. 

Para facilitar, encontre o verbo de comando e grife. A partir dessa compreensão, você conseguirá entender o que deve executar na proposta e terá mais segurança para responder o exercício. 

Exemplo de questão

Para você entender como o comando da questão já permite eliminar várias alternativas erradas, vamos conferir um item do Enem de 2019:

De vez em quando, nas redes sociais, a gente se pega compartilhando notícias falsas, fotos modificadas, boatos de todo tipo. O problema é quando a matéria é falsa. E, pior ainda, se é uma matéria falsa que não foi criada por motivos humorísticos ou literários (sim, considero o “jornalismo ficcional” uma interessante forma de literatura), mas para prejudicar a imagem de algum partido ou de algum político, não importa de que posição ou tendência.
Inventa-se uma arbitrariedade ou falcatrua, joga-se nas redes sociais e aguarda-se o resultado. Nesse caso, a multiplicação da notícia falsa (que está sempre sujeita a ser denunciada juridicamente como injúria, calúnia ou difamação) se dá em várias direções.
Antes de curtir, comentar ou compartilhar, procuro checar as fontes, ir aos links originais.
TAVARES, B. Disponível em: www.cartafundamental.com.br. Acesso em: 20 jan. 2015 (adaptado).

O texto expõe a preocupação de uma leitora de notícias on-line de que o compartilhamento de conteúdos falsos pode ter como consequência a:
A) displicência natural das pessoas que navegam pela internet.
B) desconstrução das relações entre jornalismo e literatura.
C) impossibilidade de identificação da origem dos textos.
D) disseminação de ações criminosas na internet.
E) obtenção de maior popularidade nas redes.

Enem/2019 – PPL

Resposta: Letra D. Note que apenas com a leitura atenta do comando da questão já é possível eliminar várias alternativas. Perceba que o examinador usa a palavra “consequência”, ou seja, ele quer saber um desdobramento do compartilhamento de conteúdos falsos.

Só com essa informação, já podemos riscar as letras A e C, pois ambas indicam problemas anteriores ao compartilham da notícia falsa.

Outra palavra-chave é “preocupação”. Ela indica algo negativo, que pode trazer problemas para alguém. Assim, podemos eliminar também a letra E, pois popularidade nas redes não é uma consequência danosa e não gera preocupação.

Viu que só lendo o comando da questão já foi possível eliminar metade dos itens? Daí, ficamos entre as letras B e D. Como a alternativa B não faz nenhum sentido com o que foi dito no texto, a resposta está na letra D.

2. Identifique o objetivo do texto

Além do comando da questão, identificar o objetivo do texto faz parte das estratégias de interpretação de texto para o Enem. Para isso, você deve se perguntar:

  • Qual é a ideia básica do texto?
  • O que o autor queria mostrar ao leitor?
  • O que todos os parágrafos têm em comum?
  • Se fosse necessário resumir o texto, qual fragmento não poderia faltar?

As questões da prova sempre se referem ao objetivo do texto. Por isso, entender as intenções do autor fará com que a sua interpretação seja mais simples e clara.

É válido dizer que nem sempre interpretamos um texto de forma única. No entanto, compreender a mensagem transmitida ajuda na formação de uma opinião com base em fatos.

3. Grife as palavras mais significativas

Uma forma muito eficaz para melhorar a interpretação é grifar as palavras mais significativas do texto. Dessa forma, você reconhecerá o que há de mais importante no conteúdo e ampliará as chances de responder à questão sem erros.

Em geral, essas palavras-chaves são representadas pelos substantivos e pelos verbos. Afinal, o substantivos dão nome às coisas e os verbos trazem as ações realizadas.

4. Releia a questão pausadamente

Após identificar o verbo de comando, os objetivos do texto e grifar as palavras mais significativas, você deve reler a questão pausadamente. Isso porque a leitura se tornará mais dinâmica e profunda. Inclusive, o ideal é realizar a interpretação de texto para o Enem de parágrafo a parágrafo. 

Uma estratégia interessante é ficar de olho nos termos que atuam como modalizadores discursivos. Mas o que é isso? São palavras que indicam o posicionamento do autor em um texto, conforme você pode ver no quadro abaixo.

MODALIZADORES DISCURIVOS
TipoDescriçãoExemplos
Asseverativos Expressam certeza, podendo ser afirmativos ou negativosafirmativos: sim, com certeza, evidentemente, claramente, absolutamento, sem dúvida, lógico, etc.
negativos: não, de forma alguma, de jeito nenhum, nunca, etc.
DubtáveisExpressam dúvida, impressão ou incertezatalvez, quem sabe, possivelmente, em tese, é provávle que, etc.
DelimitadoresEstabelecem uma delimitação ou um campo de observaçãoquase, tipo de, espécie de, tecnicamente, linguisticamente, matematicamente, geograficamente
DeontológicosExpressam obrigatoriedades, proibições e permissõesnecessariamente, obrigatoriamente, definitivamente, sem exceções, indistintamente, etc.
AfetivosIndicam emoções ou o estado de espírito do autorinfelizmente, curiosamente, espantosamente, sinceramente, francamente, lamentavelmente, etc.

5. Conheça os principais gêneros textuais

Os gêneros textuais são formatos de textos que apresentam uma função social, ou seja, apresentam uma finalidade. São padrões pré-definidos de escrita que foram se consolidando com o tempo. Por exemplo, uma carta, uma receita, uma lista de compras, uma história em quadrinho, um conto, um bilhete, etc.

Exemplo de questão

Muitas vezes, é possível resolver uma questão só identificando a qual gênero o texto pertence. Vejamos uma exemplo do Enem de 2023:

Carta aberta à população brasileira

      Prezados Cidadãos e Cidadãs,
    O envelhecimento populacional é um fenômeno mundial. Infelizmente, nosso país ainda não está preparado para atender às demandas dessa população.
     Este é o retrato da saúde pública no Brasil, que, apesar dos indiscutíveis avanços, apresenta um cenário de deficiências e falta de integração em todos os níveis de atenção à saúde: primária (atendimento deficiente nas unidades de saúde da atenção básica), secundária (carência de centros de referência com atendimento por especialistas) e terciária (atendimento hospitalar com abordagem ao idoso centrada na doença), ou seja, não há, na prática, uma rede de atenção à saúde do idoso.
      Diante desse cenário, a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) vem a público manifestar suas preocupações com o presente e o futuro dos idosos no Brasil. É preciso garantir a saúde como direito universal.
        Esperamos que tanto nossos atuais quanto os futuros governantes e legisladores reflitam sobre a necessidade de investir na saúde e na qualidade de vida associada ao envelhecimento.
         Dignidade à saúde do idoso!
         Rio de Janeiro, 15 de setembro de 2014.

Disponível em: www.sbgg.org.br. Acesso em: 20 out. 2021 (adaptado).

O objetivo desse texto é:

a) sensibilizar o idoso a respeito dos cuidados com a saúde.

b) alertar os governantes sobre os cuidados requeridos pelo idoso.

c) divulgar o trabalho da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.

d) informar o setor público sobre o retrocesso da legislação destinada à população idosa.

e) chamar a atenção da população sobre a qualidade dos serviços de saúde pública para o idoso.

Enem 2023

Resposta: Letra E. Note que o texto é do gênero “carta aberta”, que tem como objetivo evidenciar o posicionamento de uma instituição ou grupo da sociedade civil sobre determinado tema relevante para a sociedade. Trata-se de uma carta direcionada ao público em geral, sem um remetente específico a princípio. Sabendo disso, já fica claro qual o objetivo do texto.

Agora, o próximo passo é verificar sobre qual tema a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia está se posicionando. Isso fica claro no seguinte trecho: “vem a público manifestar suas preocupações com o presente e o futuro dos idosos no Brasil.” Em outras palavras, a carta não foco em um agente ou em uma ação específica, como o governo ou a legislação.

Ela fala sobre a qualidade dos serviços em geral para a população idosa. Por isso, a alternativa E é a correta.

6. Considere os elementos não verbais

Quando pensamos em estratégias de interpretação de texto para o Enem, não podemos esquecer que algumas questões contam com elementos não verbais, ou seja, pode haver tabelas, gráficos, imagens, charges e assim por diante.

Dito isso, é importante que você também analise esses elementos, pois há possibilidade de encontrar a resposta neles. Uma charge, por exemplo, pode trazer detalhes que contribuem para identificar a alternativa correta.

Exemplo de questão

Para ilustrar essa situação, vamos analisar a questão abaixo:

Arte de “João Montanaro”. Disponível em: <https://relatividade.wordpress.com/2010/11/06/olha-mae-um-twitter/>. Acesso em 23 jul. 2021.

O humor na charge é provocado porque a personagem comete um deslize referente a um dos fatores pragmáticos do texto, sendo ele:

a) a intencionalidade, considerando que o deslize cometido pela personagem foi proposital.

b) a informatividade, pois a personagem desconhece a figura de um pássaro, assim como desconhece o símbolo da rede social mencionada.

c) a situacionalidade, já que a situação comunicativa permite facilmente que um pássaro seja confundido com o símbolo de uma conhecida rede social.

d) a informatividade, uma vez que o humor decorre do fato de que ele não conhece o pássaro e faz referência ao símbolo do Twitter devido ao seu desconhecimento de mundo e conhecimento de mídias sociais.

e) a intertextualidade, visto que a personagem propositalmente menciona a rede social Twitter com a única intenção de que o diálogo entre os textos desperte o humor na narrativa.

Fonte: Brasil Escola

Resposta: Letra D. Para resolver essa questão, é preciso saber interpretar os elementos não verbais da charge. Assim, você consegue fazer um paralelo entre a imagem do pássaro e o símbolo da rede social. É daí que nasce a mensagem que o texto deseja passar ao leitor.

7. Tenha atenção às vozes do discurso

Ter atenção às vozes do discurso é fundamental para uma boa interpretação. Em outras palavras, saber quem está contando e como está contando já garante um passo à frente na compreensão do texto.

Em um poema, por exemplo, é importante saber que existe o eu lírico e o eu poético. Assim como é essencial entender todas as denominações possíveis de um discurso. Para isso, você precisa analisar pronomes e verbos para identificar a voz do texto e conseguir interpretá-lo mais facilmente.

8. Lembre-se das escolas literárias 

Quando a poesia e a prosa caem em uma questão do Enem, normalmente elas reforçam as escolas literárias. Por essa razão, você deve conhecer as principais características de cada um dos períodos para uma melhor interpretação. 

Assim, será mais fácil de encontrar a resposta correta, quando a pergunta fizer referência às particularidades dos movimentos. 

9. Analise a linguagem textual

Analisar a linguagem textual do autor é uma das melhores estratégias de interpretação de texto para o Enem. Isso porque as expressões, as gírias e até mesmo a forma de pontuar pode dizer muito sobre uma mensagem. 

Basta pensar na forma como você se expressa com seus amigos e com seu professor, por exemplo. O tom formal ou informal pode deixar explícito as intenções de um texto. Em razão disso, é importante analisar sempre a linguagem para entender os motivos de o autor ter feito o uso dela. 

Exemplo de questão

Para entender melhor a utilidade da análise textual, vamos conferir uma questão do Enem de 2023:

Era um gato preto, como convinha a um cultor das boas letras, que já lera Poe traduzido por Baudelaire. Preto e gordo. E lerdo. Tão gordo e lerdo que a certa altura observei que ia perdendo inteiramente as qualidades características da raça, que são em suma o ódio de morte aos ratos. Já nem os afugentava! Os ratos de Ouro Preto são também dignos e solenes — não ria — tradicionalistas… descendentes de outros ratos que naqueles mesmos casarões presenciaram acontecimentos importantes da nossa história… No sobrado do desembargador Tomás Antônio Gonzaga, imagine o senhor uma reunião dos sonhadores inconfidentes, com os antepassados daqueles ratos a passearem pelo sótão ou mesmo pelo assoalho por entre as pernas dos homens absortos na esperança da independência nacional! E depois, os ancestres daqueles roedores que eu via agora deslizar sutilmente no meu quarto podiam ter subido pelo poste da ignomínia colonial, onde estava exposta a cabeça do Tiradentes! E quando as órbitas se descarnaram ignominiosamente, podiam até ter penetrado no recesso daquele crânio onde verdadeiramente ardera a literatura, com a simplicidade do heroísmo, a febre nacionalista…

ALPHONSUS, J. Contos e novelas. Rio de Janeiro: Imago; Brasília: INL, 1976.

Descrevendo seu gato, o narrador remete ao contexto e a protagonistas da Inconfidência para criar um efeito desconcertante centrado noAlternativasA

a) desenho imaginativo do casario colonial de Ouro Preto. 

b) efeito de apagamento de limites entre ficção e realidade. 

c) vínculo estabelecido entre animais urbanos e literatura.

d) questionamento sutil quanto à sanidade dos inconfidentes.

e) contraste entre austeridade pomposa e imagem repugnante

Enem 2023

Reposta: Letra E. Note que o autor mescla palavras pomposas sobre os inconfidentes com termos altamente pejarativos sobre seu gato. O objetivo aqui é mostrar como, em um mesmo ambiente, em tempos diversos, poderiam viver seres tão distintos.

10. Esquematize o texto

Esquematizar o texto com as suas próprias palavras, pode ajudar e na compreensão e na interpretação. Fazer um resumo ou criar um mapa mental também pode ser uma excelente estratégia.

É claro que nem sempre será possível seguir essa estratégia para todos os textos, devido ao tempo de prova. Mas, em algumas questões, essa prática pode ajudar muito em uma melhor compreensão da mensagem do autor.

Interpretação de texto é uma prática relevante não apenas para as provas de humanas, como também para as outras áreas de conhecimento contidas na avaliação do Enem. Ou seja, para se dar bem em um exame é fundamental que você saiba interpretar todo o tipo de questão. 

Por isso, não basta estudar somente os conteúdos, é necessário ler bastante e treinar constantemente por meio de simulados e provas anteriores. Inclusive, apostar em estratégias de interpretação de texto para o Enem é uma forma de se dar bem na avaliação. 

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.

Literatura no Enem: temas que mais caem

Uma das premissas para obter uma boa nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é estudar os conteúdos de Literatura que mais caem na prova. Isso porque essa disciplina é uma das que compõem a avaliação de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

As questões de Literatura abordam, normalmente, as escolas literárias, bem como suas principais obras e autores. No entanto, você não precisa estudar tudo o que diz respeito ao assunto em detalhes. Até porque, como sabemos, a prova do Enem é extensa e há muitas outras áreas e temas abordados. 

Para lhe ajudar, neste artigo, você terá acesso aos conteúdos de Literatura que mais caem no Enem. Dessa forma, poderá planejar os seus estudos, apostando nas temáticas que mais aparecem na avaliação. Acompanhe!

Literatura no Enem: guia dos temas mais cobrados

Quais são os conteúdos de Literatura que mais caem no Enem?

Os conteúdos de Literatura que mais caem no Enem são os relacionados às escolas literárias. Eles vão desde a interpretação de textos literários, até o reconhecimento de estilos da época.

Entretanto, é fundamental que você também estude estrutura textual, gêneros literários e figuras de linguagem, assuntos muito presentes na prova.

A seguir, falaremos sobre cada um deles, detalhadamente. Confira!

Escolas literárias

Como dito anteriormente, as escolas literárias fazem parte dos conteúdos de Literatura que mais caem no Enem. Dentre elas, podemos destacar:

É fundamental que você saiba os principais pontos de cada uma dessas escolas e conheça as suas particularidades. Isso porque as questões costumam pedir para que você identifique a qual escola determinado texto ou obra pertence. 

Exemplo de questão sobre escolas literárias

Para entender melhor como as escolas literárias são cobradas no Enem, vejamos uma questão do Enem de 2016 sobre esse tema:

Estas palavras ecoavam docemente pelos atentos ouvidos de Guaraciaba, e lhe ressoavam n’alma como um hino celestial. Ela sentia-se ao mesmo tempo enternecida e ufana por ouvir aquele altivo e indómito guerreiro pronunciar a seus pés palavras do mais submisso e mavioso amor, e respondeu-lhe cheia de emoção: — Itajiba, tuas falas são mais doces para minha alma que os favos da jataí, ou o suco delicioso do abacaxi. Elas fazem-me palpitar o coração como a flor que estremece ao bafejo perfumado das brisas da manhã. Tu me amas, bem o sei, e o amor que te consagro também não é para ti nenhum segredo, embora meus lábios não o tenham revelado. A flor, mesmo nas trevas, se trai pelo seu perfume; a fonte do deserto, escondida entre os rochedos, se revela por seu murmúrio ao caminhante sequioso. Desde os primeiros momentos tu viste meu coração abrir-se para ti, como a flor do manacá aos primeiros raios do sol.

GUIMARÃES, B. O ermitão de Muquém. Disponível em: www.dominiopublico.gov.br. Acesso em: 7 out. 2015.

O texto de Bernardo Guimarães é representativo da estética romântica. Entre as marcas textuais que evidenciam a filiação a esse movimento literário está em destaque a

a) referência a elementos da natureza local.

b) exaltação de Itajiba como nobre guerreiro.

c) cumplicidade entre o narrador e a paisagem.

d) representação idealizada do cenário descrito.

e) expressão da desilusão amorosa de Guaraciaba.

Resposta: Letra A. Uma das princiapais característica do movimento literário chamado Romantismo é a exaltação do nacionalismo, da natureza e da pátria, como vemos no texto desta questão.

Interpretação de textos literários

Outro assunto que faz parte dos conteúdos de Literatura que mais caem no Enem é a interpretação de textos literários. A maioria das questões dessa área são desenvolvidas com o intuito de avaliar qual o seu nível de compreensão desse tipo de texto. 

É válido dizer que um conteúdo está interligado ao outro, ou seja, mesmo conhecendo todas as escolas literárias, é preciso também saber interpretar as obras de cada movimento. Normalmente, as questões trazem trechos de narrativas e poemas dos mais diversos períodos e você deve compreendê-los para identificar a qual escola pertencem.

Exemplo de questão sobre interpretação de textos literários

Para entender melhor como esse tema é cobrado nas provas do Enem, vejamos um exemplo de questão:

Sou um homem comum

brasileiro, maior, casado, reservista,

e não vejo na vida, amigo

nenhum sentido, senão

lutarmos juntos por um mundo melhor.

Poeta fui de rápido destino

Mas a poesia é rara e não comove

nem move o pau de arara.

Quero, por isso, falar com você

de homem para homem,

apoiar-me em você

oferecer-lhe meu braço

que o tempo é pouco

e o latifúndio está aí matando

[…]

Homem comum, igual

a você,

[…]

Mas somos muitos milhões de homens

comuns

e podemos formar uma muralha

com nossos corpos de sonhos e margaridas.

FERREIRA GULLAR. Dentro da noite veloz. Rio de Janeiro: José Olympio, 2013 (fragmento).

No poema, ocorre uma aproximação entre a realidade social e o fazer poético, frequente no Modernismo. Nessa aproximação, o eu lírico atribui à poesia um caráter de

a) agregação construtiva e poder de intervenção na ordem instituída.

b) força emotiva e capacidade de preservação da memória social.

c) denúncia retórica e habilidade para sedimentar sonhos e utopias.

d) ampliação do universo cultural e intervenção nos valores humanos.

e) identificação com o discurso masculino e questionamento dos temas líricos.

Resposta: Letra A. Note que, para resolver essa questão, você não precisa necessariamente saber as características do movimento modernista, pois estamos diante de uma questão de interpretação de texto. Perceba que o poema fala sempre sobre a importância do trabalho em conjunto e do poder que ele tem para transformar a realidade (“Mas somos muitos milhões de homens comuns e podemos formar uma muralha com nossos corpos de sonhos e margaridas.”)

Continue reading
« Older posts

© 2024 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑

#CodigoClever