Você sabe o que é letramento político? Alguma vez ouviu falar sobre ele? É muito comum que a resposta para essa pergunta seja, na maioria das vezes, negativa. Isso porque, grande parte das pessoas veem a escola como um ambiente onde apenas  se ensina português, matemática e as demais matérias da grade curricular. 

No entanto, o letramento político é definido como o processo de conhecimento para a manutenção e o aprimoramento da democracia. Porém, mesmo com os discursos aos quais temos acesso a respeito da importância desse tipo de ensino em sala de aula, ele ainda é deixado de lado. 

No artigo de hoje, vamos falar sobre o tema e qual a importância dele no ambiente escolar e no desenvolvimento dos estudantes. Acompanhe!

Como ensinar o letramento político?

Para ensinar o letramento político, é necessário fazer uso de conteúdos e documentos relacionados ao funcionamento do estado, bem como a ênfase nos mecanismos democráticos, os quais envolvem o conhecimento sobre partidos, eleições e instituições. 

Em outras palavras, é fundamental que os assuntos abordados falem sobre os direitos e deveres dos cidadãos e como é formada uma sociedade democrática. 

Segundo os críticos, esse tipo de letramento não deve ser restrito aos limites nacionais dados pela Constituição, pois, com isso, é arriscado que os alunos limitem suas crenças ao que é local, ignorando outros pontos de vistas sociais, políticos e econômicos.

Contudo, para passar por cima dessas restrições e saber o que deve ser ensinado no campo do letramento político, o Centro para Educação Multicultural da Universidade de Washington convidou diversos especialistas da área para desenvolverem um painel com o objetivo de orientar os educadores ao ensino da democracia por meio de programas educativos.

Assim, foram criados princípios, divididos em duas seções, uma com três e outra com um. São eles:

  • Primeira seção: princípios dos direitos humanos, a conexão com a globalização e o equilíbrio entre unidade e diversidade nas relações sociais. Tudo isso em nível nacional e mundial.
  • Segunda seção: o quarto princípio que é o próprio letramento político, isto é, a repetição do conteúdo tradicional que fala sobre a democracia e suas instituições. Além disso, engloba a oferta de práticas efetivas de democracia para que o conhecimento não seja perdido com o tempo. 

Essa divisão de conteúdos para o ensinamento do letramento político torna o conhecimento mais amplo e visa não inibir ou restringir ações. Além disso, coopera para que os estudantes aprendam e saibam fazer escolhas mais conscientes no que tange a democracia. 

Quais atividades podem ser aplicadas para o ensino do letramento político?

O letramento político é um conteúdo que não deve apenas ser exposto, e sim experienciado para que os seus ensinamentos sejam significativos e efetivos. Em razão disso, as atividades que podem ser aplicadas para esse tipo de ensino são os que provocam o engajamento dos alunos na sociedade, como:

  • discussão de temas controversos;
  • participação em atividades reais ou simuladas;
  • análise das experiências realizadas.

Vale ressaltar que os estudos que se preocupam com o ensino da democracia destacam que os conhecimentos e valores a serem ensinados por meio do letramento político não dependem apenas de conteúdos e metodologias. É fundamental entender o contexto por trás da democracia e experienciá-la para que de fato seja aprendida.

Nessa perspectiva, fica claro que o letramento político só será bem-sucedido se os estudantes vivenciarem a sua aprendizagem.

Uma aprendizagem diária!

Podemos concluir que apenas o conteúdo não é o suficiente para o letramento político. Afinal, é o dia a dia que mostra como ser democrata, são as experiências de ontem que fazem com que o amanhã seja ainda mais promissor. 

Embora os princípios sirvam de orientação para que os educadores possam trabalhar temas ligados à democracia, não há uma metodologia ou estratégia única para o letramento político. É a exposição do conhecimento e dos valores democráticos que fará com que a aprendizagem seja efetivada.

Em razão disso, não há disciplina escolar ou qualquer programa capaz de ignorar as experiências que os alunos viverão no decorrer da vida, pois a democracia é algo que se aprende na prática, seja na escola seja em qualquer outro contexto.

Por fim, mais do que um ensinamento, o letramento político deve provocar questionamentos e um convite ao debate daquilo que deve ser ensinado e sob quais condições. 

*

Gostou do artigo? Então, vale a pena aprofundar seus conhecimentos com o Guia da Alfabetização.