Tanto gasto quanto gastado estão corretos, mas devem ser utilizados em situações distintas. Neste artigo, vamos explicar quando usar cada um. Vejamos!

Particípio abundante

Gastar é um verbo abundante. Segundo os gramáticos Celso Cunha e Lindley Cintra, “são chamados de abundantes os verbos que possuem duas ou mais formas equivalentes. […] Na quase totalidade dos casos, essa abundância ocorre apenas no particípio”.

Em outras palavras, nesse caso, o verbo tem dois particípios: um regular (gastado) e outro irregular (gasto).

Quando usar “gastado”?

O particípio regular (aquele terminado em -do) deve ser utilizado na constituição de tempos compostos da voz ativa acompanhados dos verbos ter e haver. Vejamos alguns exemplos:

  • A empresa tem gastado muito dinheiro com o novo projeto.
  • Quando a oportunidade surgiu, eu já havia gastado todas minhas economias.
  • A moça já tinha gastado muito tempo com aquele amor não correspondido.

Quando usar “gasto”?

Já o particípio irregular deve ser utilizado quando a locução verbal for formada pelos verbos ser e estar. Vamos conferir alguns casos dessa regra:

  • Todos os recursos da empresa foram gastos com o novo projeto.
  • Meu sapato já está gasto demais.
  • Para ser gasto, o recurso precisa ser repassado para o ente executor.

Em geral, o particípio irregular é usado em frases na voz passiva.

Substantivo e adjetivo

Para finalizar, vale destacar que a palavra gasto também pode ser utilizado como substantivo e adjetivo. Nesse contexto, o termo pode apresentar flexão de gênero e de número.

Vejamos exemplos de uso do termo com essas funções:

  • Os gastos do governo deve ter como meta a erradicação da miséria. (substantivo)
  • As roupas gastas, em vez de serem doados para alguém, foram jogados no lixo. (adjetivo)

*

Gostou do texto e quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.