Um dos questionamentos mais comuns na língua portuguesa é o uso do hífen. Neste artigo, vamos falar sobre um caso específico, o hífen com os falsos prefixos macro- e micro-. Confira!

O hífen com “Micro-”

 “Micro-” é um falso prefixo de composição na formação de determinadas palavras. De acordo com o Acordo Ortográfico, ele é separado por hífen apenas nos casos em que o seu segundo elemento inicia-se com a letras “o” ou “h”. Observe os exemplos abaixo:

  • micro-ondas;
  • micro-organização;
  • micro-ônibus;
  • micro-hábitos;
  • micro-história;
  • micro-hospital. 

Contudo, caso o segundo elemento se inicie pelas consoantes “s” ou “r”, é obrigatório dobrá-las e descartar o uso de hífen. Veja os exemplos:

  • microssatélite;
  • microssaia;
  • microsserviços;
  • microssistema;
  • microrruptor;
  • microrregião.

Já se o segundo elemento se iniciar por quaisquer outras vogais e consoantes, não há hífen. Atente-se:

  • microempresa;
  • microcomputador;
  • microempreendedor;
  • microempresário;
  • microambiente.

O hífen com “Macro-”

O falso prefixo “macro-” passou a ser separado do seu segundo elemento pelo hífen após a reforma ortográfica. No entanto, isso só ocorre em casos nos quais esse segundo elemento se inicia com “o” ou “h”. Observe:

  • macro-história;
  • macro-organismo;
  • macro-organizacional.

Já quando o segundo elemento começa com as consoantes “s” ou “r”, é necessário duplicá-las, sem usar o hífen. Veja os exemplos:

  • macrossérie;
  • macrossistema;
  • macrossomia;
  • macrossômico;
  • macrorregião;
  • microsserviços;
  • macrossocial.

Nas demais situações, não se deve usar o hífen. Atente-se:

  • macroestado;
  • macronutriente;
  • macroambiente;
  • macroclima;
  • macroeconômico.
  • macroanálise. 

Falso prefixo

“Macro” e “micro” são considerados falsos prefixos. Para entender melhor esse conceito, é necessário antes compreender o que é um prefixo.

Um prefixo é um termo que se junta a outra palavra para formar um novo termo, com um novo significado. Apesar de possuir um significado por si só, a função principal do prefixo é formar outros vocábulos.

Já o falso prefixo é um termo que, conquanto tenha aparência e funcione como prefixo, possui seu próprio radical, ou seja, ele poderia ser utilizado de forma isolada, sem precisar do complemento de outro vocábulo.

Dito de outra forma, trata-se de uma palavra que surgiu como termo independente e, com o tempo, passou a ser utilizada como prefixo.

Outros exemplos de falsos prefixos são: contra, pseudo e semi.

*

Quer aprofundar seus conhecimentos sobre o hífen? Leia também: