As pessoas comentam às vezes com razão: “é igual, só que é diferente”. O caso do uso de “com nós” e do “conosco” é meio assim. Ambas as construções são corretas, mas, também como se ouve por aí, “cada macaco no seu galho”. Moral da história: cada expressão tem um jeito certo de usar.

As opções – “com nós” e “conosco” – devem ser usadas em situações diferentes. Tudo é uma questão de referência. Observe:

Quando usar “com nós”?

Nas sentenças em que o pronome “nós” está referenciado (definido) por um grupo (pelo menos um par) de pessoas que completam (ou reforçam) de quem está se falando. Veja como, nos exemplos a seguir, “nós” se conecta às ideias de “duas” e de “todos”:

  • Você vem à praia com nós duas?
  • Fique aqui com nós todos!

Então, guarde consigo: a expressão é obrigatoriamente seguida de um numeral ou de palavras como: mesmos, mesmas, próprios, próprias, todos, todas, outros, outras, ambos, ambas. Exemplos:

  • A professora ficou brava com nós todos.
  • Devemos ficar felizes com nós mesmas.
  • Ele está flertando com nós três!

Quando usar “conosco”?

Formado da combinação da preposição “com” com o pronome oblíquo “nós”, o “conosco” é, ironicamente, um termo solitário, ou seja, não é acompanhado de complemento/referência nem reforça o sentido do “nós”. Assim:

  • Você vem à praia conosco?
  • Ele ontem saiu daqui conosco.

Quem seriam as pessoas com quem o agente “você” deveria ir à praia? Quantas seriam? A qual(is) gênero(s) pertence(m)? Sem um contexto, sem mais informações, não se sabe ao certo. É nesse momento que cabe sacar a expressão “conosco” que, justamente por não indicar um gênero, não pode ser flexionada para o feminino.

É curioso observar que alguns gramáticos (são minoria) aceitam o uso das expressões “conosco mesmos” ou “conosco próprios”…

Diferente, só que igual

Do ponto-de-vista gramatical, o pronome “nós”, que está contido tanto na expressão “com nós” quanto no termo “conosco”, é um pronome pessoal oblíquo tônico indicativo da primeira pessoa do plural.

Em geral, tais expressões são usadas quando substituem, na oração, o substantivo com função de objeto indireto. Dessa forma, esses pronomes devem ser sempre precedidos de uma preposição – neste caso, da preposição “com”.

Mais umas dicas:

1) as mesmas regras valem para o pronome “vós”:

  • Queriam conversar convosco.
  • Contamos com vós todos.

2) preste atenção às formas contraídas “comigo”, “contigo” e “consigo”: elas nunca são escritas de forma separada, mesmo quando estão juntas a palavras como outro, outra, mesmo, mesma.

  • Reclamo disso comigo mesmo.
  • Resolva isso consigo mesmo.

3) a expressão com a gente é coloquial demais, portanto, convém evitá-la em textos formais.

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.