Tanto “extrema-direita“, com hífen, quanto “extrema direita“, sem hífen, são construções que existem na língua portuguesa. Contudo, elas possuem significados e usos distintos.

Neste artigo, vamos mostrar quando e como utilizar cada uma. Confira!

Quando usar “extrema direita”?

A expressão “extrema direita“, sem hífen, indica a ideologia política, que represente, de maneira radical, ideias conservadoras e ultraconservadora. Vejamos alguns exemplos de uso desse termo:

  • Manifestantes de extrema direita depredaram prédios públicos.
  • A 2ª Guerra Mundial foi marcada por regimes de extrema direita.

Quando usar “extrema-direita”?

Já o substantivo composto masculino “extrema-direita“, com hífen, é utilizado no meio futebolísitco para indicar o jogador que atua na região direita do campo de futebol. O termo é sinônimo de “ponta-direita”.

  • O cruzamento do extrema-direita foi parte fundamental no gol do centro-avante.
  • Na partida de ontem, o técnico escalou Messi como extrema-direita.

Resumo

Em suma, a expressão “extrema direita“, sem hífen, denomina uma corrente política-ideológica. Já o termo “extrema-direta“, com hífen, indica uma posição de um jogador de futebol.

Por fim, vale destacar que a mesma regra vale para as construções “extrema esquerda” (política) e “extrema-esquerda” (futebol).

*

Gostou do artigo? Então, continue seus estudos com o Guia Completo do Hífen.