Movimento do início do século XX que defendia a liberdade de criação, o Futurismo foi uma das vanguardas europeias que se concentrou na Itália. Embora ele não tenha, de fato, chegado ao Brasil, conseguiu influenciar diretamente no movimento modernista. 

Duas fases marcaram esse estilo: “verso livre”, de 1909 a 1913, e a “palavras em liberdade”, de 1914 a 1944. As principais características e temas trabalhados pelo movimento futurista eram a velocidade e a aceleração, além do culto à violência e à guerra. A seguir, falaremos mais detalhadamente sobre ele. Acompanhe!

Origem e conceito do Futurismo

A origem do Futurismo se deu a partir da publicação de Filippo Tommaso Marinetti, intitulada de: Fundação e Manifesto do Futurismo”, em 1909. 

Criador do Manifesto do Movimento Futurista

Embora o movimento tenha surgido e se centralizado na Itália, a veiculação do seu manifesto foi algo de repercussão internacional. Inclusive, vale destacar que a publicação em questão serviu como exemplo para tantas outras seguintes de diferentes movimentos, como o cubismo, o dadaísmo e o surrealismo. 

Como toda vanguarda, o conceito do Futurismo era criar novos padrões estéticos que rompessem com as tradições do passado. Assim, a sua ideia principal era trabalhar com elementos que evidenciassem o progresso e a modernidade de uma produção. 

A ideia principal do movimento futurista era introduzir em suas obras – seja nas artes plásticas, seja na literatura – o conceito de velocidade, ilustrando esse movimento acelerado que se intensificava a cada dia.

Principais características do Futurismo 

As principais características do Futurismo são:

  • destruição das tradições do passado;
  • foco na renovação de padrões;
  • liberdade para a criação;
  • uso de verso livre e mudanças na ordem sintática;
  • temas sobre violência e guerra;
  • utilização de frases fragmentadas para passar a ideia de velocidade;
  • uso de onomatopeias;
  • expectativas otimistas sobre o futuro;
  • exaltação da rapidez e progresso das máquinas;
  • destruição do “eu” evidenciado no movimento simbolista e no romantismo.

Além das características mencionadas, o Futurismo também usava muitos verbos no infinitivo e poucos adjetivos. No que diz respeito à pontuação, os sinais eram vistos como algo sem necessidade ou de utilização diferenciada. Tudo isso fruto das duas fases do movimento:

  • Verso livre (1909 a 1913)
  • Palavras em liberdade (1914 a 1944)

Assim, o verso livre era usado pelos poetas sem a necessidade de uma métrica definida, isto é, a medição de sílabas poéticas. Já a fase das “Palavras em liberdade” consistia numa tradição ainda mais questionada, abolindo a pontuação, a ordem sintática e o subjetivismo.

Fases do Futurismo

Principais artistas do Futurismo

O Futurismo contou com diferentes artistas. Dentre eles, podemos destacar:

  • Aldo Palazzeschi (1885-1974) – escritor e poeta italiano.
  • Armando Mazza (1884-1964) – poeta, escritor e jornalista italiano.
  • Auro D’Alba (1888-1965) – poeta italiano.
  • Corrado Govoni (1884-1965) – poeta italiano.
  • Filippo Tommaso Marinetti (1876-1944) – escritor, poeta, editor, ideólogo, jornalista e político italiano.
  • Francesco Cangiullo (1884-1977) – escritor, poeta e pintor italiano.
  • Carlo Carrà (1881-1966) – pintor italiano.
  • Pino Masnata (1901-1968) – poeta e dramaturgo italiano.

Futurismo no Brasil 

Como dito anteriormente, o Futurismo não chegou, de fato, ao Brasil. Entretanto, ele influenciou o Modernismo (1922-1960) com a sua oposição a tradições e seu incentivo à liberdade de criação. 

Futurismo no Brasil

Contudo, é importante dizer que os modernistas não chegaram à dominância e, em razão disso, o movimento não teve muito destaque. Porém, a influência em questão atingiu escritores como Oswald de Andrade e Fernando Pessoa. 

Podemos citar como exemplo de influência do Futurismo as seguintes obras de Andrade:

  • Os Condenados – 1922
  • Memórias Sentimentais de João Miramar – 1924
  • Pau-Brasil – 1925
  • Primeiro Caderno de Poesia do aluno – 1927
  • Manifesto Antropófago – 1928
  • Serafim Ponte Grande – 1933
  • Marco Zero I: A Revolução Melancólica – 1943
  • Marco Zero II: Chão – 1945
  • Um Homem Sem Profissão – 1954

Exemplos de poesias futuristas

Abaixo, você acompanha alguns exemplos de poesias futuristas:

Boom boom boom, boom boom boom, boom boom boom!

Explosões de cor e som,

Em um frenesi de luz e sombra,

Manifestação da energia do universo.

“Pum Pum Pum” de Filippo Tommaso Marinetti

Pum pum pum, pum pum pum, pum pum pum!

Tiros que ecoam no ar,

Em uma sinfonia de guerra e destruição,

Retrato da brutalidade do mundo.

Poema “Boom Boom Boom” de F.T. Marinetti

O Futurismo foi um movimento que destacava o desejo da sociedade por um futuro que mudava muito rapidamente. O estilo retratava as máquinas, os novos meios de transporte e novas maneiras de encarar a vida. 

Nesse sentido o culto à velocidade evidenciava como alguém poderia sair rapidamente da razão para ser influenciado pelas novidades de um período. 

Questões sobre Futurismo

Para concluir este artigo, vamos conferir duas questões, com gabarito comentado, sobre o movimento futurista:

Questão 1 – Enem 2019

1. Nós queremos cantar o amor ao perigo, o hábito da energia e da temeridade.

2. A coragem, a audácia, a rebelião serão elementos essenciais de nossa poesia.

3. A literatura exaltou até hoje a imobilidade pensativa, o êxtase, o sono. Nós queremos exaltar o movimento agressivo, a insônia febril, o passo de corrida, o salto mortal, o bofetão e o soco.

4. Nós afirmamos que a magnificência do mundo enriqueceu-se de uma beleza nova: a beleza da velocidade. Um automóvel de corrida com seu cofre enfeitado com tubos grossos, semelhantes a serpentes de hálito explosivo… um automóvel rugidor, que parece correr sobre a metralha, é mais bonito que a Vitória de Samotrácia.

5. Nós queremos entoar hinos ao homem que segura o volante, cuja haste ideal atravessa a Terra, lançada também numa corrida sobre o circuito da sua órbita.

6. É preciso que o poeta prodigalize com ardor, fausto e munificiência, para aumentar o entusiástico fervor dos elementos primordiais.

MARINETTI, F. T. Manifesto futurista. In: TELES, G. M. Vanguardas europeias e Modernismo brasileiro. Petrópolis: Vozes, 1985.

O documento de Marinetti, de 1909, propõe os referenciais estéticos do Futurismo, que valorizam a:

a) composição estática.
b) inovação tecnológica.
c) suspensão do tempo.
d) retomada do helenismo.
e) manutenção das tradições.

Questão 2 – Fuvest 2018

O Futurismo de Marinetti e o fascismo de Benito Mussolini têm em comum:

a) A constatação da falência cultural da Itália, que se agarrou ao passado romano e ignorou os grandes avanços da Primeira Revolução Industrial.
b) O desejo de proporcionar aos cidadãos italianos o acesso aos bens de consumo e a implantação do Estado de bem-estar social.
c) O esforço de modernização cultural e a tentativa de demolir as edificações que restaram do passado romano.
d) A valorização e a adoção das bases e dos princípios das teorias revolucionárias anarquistas e socialistas.
e) A glorificação da ideologia da guerra e da velocidade proporcionada pelos avanços técnicos e militares.

Gabarito comentado

Questão 1 – Resposta: Letra B. Como visto no artigo, o movimento futurista valorizava o progresso e inovação tecnológica. Isso era representado em suas obras pelo conceito de velocidade e aceleração, retratando o rápido desenvolimento advindo das novas tecnologias.

Questão 2 – Resposta: Letra E. Como vimos, uma das principais característica dos futuristas era a exaltação à guerra e à violência, como evidencia o ponto 9 do Manisfesto de Marinetti: “Nós queremos glorificar a guerra – única higiene do mundo – o militarismo, o patriotismo, o gesto destruidor dos libertários, as belas idéias pelas quais se morre e o desprezo pela mulher”.

Essa valorização da guerra também era uma marca do Fascimo de Mussolini. O movimento defendia ser necessária a mobilização da sociedade sob um estado totalitário para preparar a nação para o conflito armado, que traria protagonismo e desenvolvimento à nação.

    *

    Gostou do artigo? Então, continue seus estudos com o nosso Guia da Literatura.