Antes de tudo, vale dizer que a expressão oque, escrita junta, não existe na língua portuguesa e, por isso, está errada. Dito isso, neste artigo, vamos mostrar quando utilizar as estruturas o que e o quê. Vejamos!

O que

Usamos a expressão o que em duas situações.

1) Encontro do pronome interrogativo “que” com o pronome expletivo “o”.

Nesse caso, “o” exerce somente uma função de realce. Dessa forma, pode ser retirado da frase sem prejudicar o sentido, como se pode ver nos exemplos abaixo:

  • O que você vai fazer hoje à noite?
  • Que você vai fazer hoje à noite?

2) Combinação do pronome demonstrativo “o” com o pronome relativo “que”.

Nesse contexto, “o que” corresponde a “aquele que”, conforme pode ser visto nos casos abaixo.

  • Este é o termo que usei no casamento e esse o que usei na formatura.
  • Este é o termo que usei no casamento e esse aquele que usei na formatura.

O quê

Já a expressão o quê, escrita com acento circunflexo, pode exercer três funções distintas.

1) Pronome interrogativo

Nessa situação, a expressão só é acentuada quando vier no final das perguntas, semelhante ao que ocorre com o termo por quê.

  • Você quis dizer o quê?
  • Você comprou o quê?
  • Ela está buscando o quê?

2) Substantivo

Quando exerce a função de substantivo, a partícula “quê” deve sempre ser acentuada e pode ser acompanhada do artigo definido masculino “o”. Nesse caso, a expressão é sinônima de “algo” ou de “certa coisa”.

  • Seu caráter é o quê que o difere dos outros homens.
  • O quê dessa empresa é o atendimento diferenciado.

3) Interjeição

A interjeição é uma classe gramatical utilizada para expressar emoções. Quando o quê atua como interjeição, deve vir acentuado.

  • O quê!? Não acredito nisso!

Gostou do texto? Então, vale a pena assistir ao nosso vídeo sobre quando utilizar porque, por que, por quê e porquê:

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e para receber dicas para te deixar afiado na língua (link para uma nova página do site).