Na gramática, os complementos verbais são aqueles cuja função é a de complementar o sentido de determinados verbos. Objeto direto e objeto indireto são exemplos de complementos verbais. 

O objeto direto complementa um verbo transitivo direto, sem a preposição, como nos exemplos a seguir:

  • Maria ama João. 
  • Ele vendia doces.
  • Adoramos o cabelo dela.

O objeto indireto complementa um verbo transitivo indireto, com a preposição, como nos exemplos a seguir:

  • Maria gosta do João.
  • Pedro precisa da sua ajuda.
  • Necessito de água.

Há casos, porém, em que temos o objeto direto preposicionado, mas, antes de chegarmos a ele, vamos a uma explicação detalhada sobre como diferenciar objeto direto e objeto indireto.

Como identificar o objeto direto e o objeto indireto?

Para identificar o objeto direto da oração, pergunte “Quem?” ou “O quê?” após o verbo. Assim:

  • As meninas seguiram a receita atenciosamente. (Verbo: seguiram / Pergunta: o que as meninas seguiram? A receita, o objeto direto).
  • Luis comeu o bolo com muita rapidez. (Verbo: comeu / Pergunta: o que Luis comeu? O bolo, o objeto direto).
  • Ana namora André. (Verbo: namora / Pergunta: quem namora? Ana, o objeto direto).
  • Bruno empurrou Alice duas vezes. (Verbo: empurrou / Pergunta: quem empurrou? Bruno, o objeto direto).

Para identificar o objeto indireto da oração, pergunte “Quem/A quem?” ou “Quê/A quê?” depois do verbo + preposição. Assim:

  • Luana gosta de livros. (Verbo: gosta / Pergunta: Luana gosta de quê? De livros, o objeto indireto).
  • Sabrina se dirigiu ao colega. (Verbo: ver / Pergunta: Sabrina se dirigiu a quem? Ao colega, o objeto indireto).
  • Ele gritou com a professora. (Verbo: pegou / Pergunta: Ele gritou com quem? Com a professora, o objeto indireto).

O que é objeto direto preposicionado?

Quando um verbo transitivo direto for seguido de preposição, precedendo o objeto direto, temos o objeto direto preposicionado.

Assim, vale a pena conhecer os casos em que usaremos o objeto direto preposicionado, para não confundir com o objeto indireto (que também requer preposição).

  • Tu não falarás a mim. (Caso 1: pronomes pessoais tônicos, como mim, ti, ele, eles, ela, elas).
  • Amar a Deus fortalece. (Caso 2: na representação do nome de Deus).
  • O presidente ofendeu a todos. (Caso 3: pronomes substantivos demonstrativos indefinidos ou interrogativos).
  • Não quero magoar a ninguém. (Caso 4: para acompanhar verbos transitivos diretos que exprimem sentimentos).

E aí, conseguimos esclarecer as diferenças entre objeto direto preposicionado e objeto indireto? Qualquer coisa, deixe nos comentários.

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.