Os sinais de pontuação existem para facilitar a nossa compreensão diante de uma frase ou de um texto. Certamente, você já se deparou com algo escrito sem ponto final ou com alguém dizendo que a vírgula é pausa para a respiração, não é mesmo?

No entanto, a história dos sinais de pontuação vai muito além do que a maioria conhece. É sobre isso que falaremos neste artigo. Acompanhe!

Quando e como surgiram os sinais de pontuação?

Grande parte da pontuação surgiu entre os séculos XIV e XVII, na Europa. Antes disso, toda a forma de comunicação escrita era realizada sem o uso de sinais gráficos. Logo, imaginamos que os textos e frases eram muito mais complicados de serem interpretados, algo não tão simples e com grandes chances de erros. 

O momento em que apareceram as primeiras vírgulas, pontos de interrogação e os dois pontos corresponde ao período em que o hábito da leitura cresceu pelo surgimento da impressão tipográfica.

Ponto e espaços

No entanto, o ponto, que hoje conhecemos como “ponto-final”, já era usado antes disso, no antigo Egito. Porém, sua função era bem diferente da atual, ele servia apenas para separar uma palavra da outra.

Era muito utilizado, especialmente para ensinar as crianças a escrita hierática, que era bem semelhante à letra de forma que conhecemos. Assim, quando os estudantes aprendiam a escrever e a ler,, os pontos eram eliminados. 

Os espaços que hoje separam as palavras, apareceram no século VII, na Europa, mesmo momento no qual o ponto passou a ser usado para finalizar as frases.  Além disso, o ponto final, durante a Idade Média, também tinha outra finalidade. Ele era inserido antes do nome de personagens importantes ou heróicos em narrativas para demonstrar enfatização ou respeito. 

Outros sinais de pontuação

Já os pontos de interrogação e exclamação são uma invenção italiana, que surgiu no século XIV. Além deles, os italianos também criaram a vírgula e o ponto e vírgula, que apareceram no século XV. Contudo, o ponto e vírgula também já era utilizado pelos antigos gregos, como sinal de interrogação.

Por fim, os dois pontos surgiram no século XVI. E somente no século XVII é que as aspas aparecem. Já as reticências e o travessão, apesar de não terem uma data específica de criação, são recentes, uma vez que estão incluídos na Ortografia da Língua Portuguesa do autor Duarte Nunes de Leão (1606). 

Para não esquecer!

Apesar de alguns sinais de pontuação terem sofrido alterações ao longo do tempo, o surgimento de cada um deles ocorreu, conforme destacado abaixo:

  • Ponto final (.) – apareceu, pela primeira vez, 3000 a.C (Egito).
  • Interrogação (?) / Exclamação (!) – surgiram no Século XIV (Itália).
  • Vírgula (,) / Ponto e vírgula (;) – apareceram no Século XV (Itália).
  • Dois pontos (:) – surgiram no Século XVI.
  • Aspas (“) – apareceram no Século XVII.
  • Reticências (…) e Travessão (-) – apareceram no século XVII (data provável).

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.