O tema da diversidade tem ganhado força a cada dia. Isso é fruto da mobilização de diversos grupos que foram historicamente minorizados. Nesse contexto, é fundamental trabalhar diversidade cultural também nas escolas, afinal um dos objetivos da educação é formar cidadãos mais conscientes.

Por isso, neste artigo, vamos trazer 10 propostas para abordar essa temática nas salas de aula. Vamos lá!

10 propostas para trabalhar a diversidade cultural nas escolas.

O que é diversidade cultural?

Antes de mais nada, é preciso definir o que é diversidade cultural. Trata-se do conjunto das diferentes culturas que convivem juntas em determinado território.

A cultura é composta por diversos elementos que a tornam particular, como costumes, linguagem, folclore, culinária, modelo de organização familiar, religiões e credos, organização política, entre outros.

Promover a diversidade cultural nas escolas é fundamental para estimular as 5 competências socioemocionais trazidas pela BNCC.

Feita essa contextualização, vamos às propostas.

1) Promover rodas de conversas sobre representatividade e diversidade

As rodas de conversa são dinâmicas que consistem em reunir os estudantes em círculo para debater um tema específico.

Nesse sentido, é muito proveitoso trazer temas ligados à pauta da representatividade e da diversidade para que os participantes possam compartilhar seus pontos de vista e também aprofundar seu conhecimento sobre esses assuntos.

Além disso, esses momentos de conversa aberta e franca contribuem para criar um ambiente onde os estudantes se sentem livres para se expressar e para serem atores ativos da comunidade escolar.

2) Trabalhar livros com protagonistas diversos

Atualmente, há muitos livros que trazem protagonistas mais diversos, com representantes negros, indígenas, pessoas com deficiência e de outros grupos historicamente discriminados. Trazemos aqui três sugestões de leitura:

a) O pequeno príncipe preto

Neste livro, o ator e articulador cultural Rodrigo França faz uma releitura do clássico da literatura mundial com o protagonista sendo um menino negro. A narrativa também agrega várias referências da cultura africana.

b) Tudo bem ser diferente

Nesta obra, o autor Todd Parr fala sobre as diferenças das pessoas de forma leve e divertida. O livro aborda temas como respeito às pessoas com deficiência, adoção, racismo, aceitação, entre outros.

c) A boca da noite

Os autores Cristino Wapichana e Graça Lima contam a história de Kupai, menino do povo Wapichana. A obra trabalha a cultura indígena, tendo como pano de fundo a relação entre os irmãos Kupai e Dum com as histórias que seu pai conta para eles.

3) Dinâmicas de integração

As dinâmicas de integração ajudam a promover o espírito comunitário entre os estudantes. Nesses momentos, é possível realizar atividades que permitam que os participantes conheçam a trajetória de vida de seus colegas.

Uma proposta interessante é dividir a turma em duplas e fazer com que cada aluno apresenta seu parceiro. Assim, eles têm a possibilidade de entender a história um dos outros.

4) Dar luz às datas que promovam a diversidade cultural

A celebração de datas comemorativas é um ótimo momento para trabalhar a diversidade cultural. Nesse sentido, listamos aqui 5 datas que se relacionam com essa temática:

Dia Internacional das Mulheres8 de março
Dia de Povos Indígenas19 de abril
Dia do Orgulho LQBTQIA+28 de julho
Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência21 de setembro
Dia da Consciência Negra20 de novembro

5) Visitar centros de promoção cultural

Visitar centros de promoção cultural é uma ótima forma de trabalhar a temática da diversidade. Nesse sentido, vale organizar passeios a museus dos povos indígenas e da cultura africana, a embaixadas de diferentes países, a centros de preservação da cultura de diferentes regiões, entre outros.

6) Promover encontros com pessoas de outros países

Trazer pessoas de outros países permite que os estudantes façam perguntas sobre a cultura e aprendam mais sobre costumes e tradições de diferentes lugares do mundo.

Também é muito válido trazer convidados indígenas, LQBTQIA+, com deficiência, entre outros. Isso contribui para que os alunos encontrem também pontos em comum e tenham uma visão humanizada sobre as diferenças.

7) Criar um mural de diversidade cultural

Criar um mural que traga particularidade de diferentes locais e culturas ajuda os estudantes a terem um contato diário com a pauta da diversidade cultural.

Nesse sentido, o educador pode separar os alunos em grupos e cada equipe ficará responsável por um tema específico.

8) Trabalhar temas de diversidade cultural em redações

A produção textual é uma atividade que promove a reflexão e a estruturação do pensamento. Nesse contexto, é válido trazer temas ligados à diversidade cultural para que os estudantes produzam redações.

Assim, eles terão a oportunidade de se aprofundar sobre o tema e enriquecer e consolidar uma visão de mundo mais diversa e respeitosa.

9) Debater notícias que tenham relação com temas de diversidade

Debater notícias sobre questões de diversidade ajuda a conectar o tema ao dia a dia dos estudantes.

Assim, vale a pena repercutir em sala de aula casos de racismo em estabelecimentos comerciais, questões ligadas à demarcação de terras indígenas e quilombolas, episódios de discriminação de gênero, entre outros.

10) Promover uma política de diversidade na seleção dos profissionais da escola

Por fim, mas não menos importante, é fundamental que as escolas promovam a diversidade também nas suas políticas de contratação.

De nada adianta falar sobre diversidade cultural, se os estudantes não convivem no seu dia a dia com pessoas negras, com deficiência, indígena, LGBTQIA+, de outras nacionalidades, etc.

A educação ocorre principalmente pelo exemplo. Então, a diversidade cultural floresce onde há pessoas diversas, com diferentes histórias e trajetórias.

Diversidade cultural na BNCC

Para fechar este artigo, vale destacar que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) trata da temática da diversidade cultural dentro da competência geral nº 3, conhecida como Repertório Cultural, que tem como objetivo fazer o estudante:

Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural.

BNCC, página 9

Essa competência visa formar os estudantes não só para que sejam capazes de respeitar e apreciar as diversas manifestações culturais, mas também para que se tornem produtores de cultura, contribuindo para enriquecer ainda mais a diversidade cultural nas escolas.

*

Gostou do artigo? Então, vale assistir aos vídeos abaixo sobre o ensino e aprendizagem do português para pessoas surdas:

Parte 1
Parte 2

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.

*

No infográfico abaixo, você encontra as 10 atividades apresentadas neste artigo:

Infográfico com 10 ativdades para trabalhar diversidade cultural na escola.