Se você quer saber o que são parlendas, veio ao lugar certo. Basicamente, trata-se de um gênero textual que engloba rimas ritmadas e de fácil memorização. Neste artigo, falaremos mais sobre o assunto. Confira!

O que são parlendas?

A palavra parlenda é derivada do verbo italiano “parlare”, que significa “conversar”, em tradução livre. 

E, como mencionamos, as parlendas são pequenos versos, que podem ou não ser rimados, com ritmo — o que facilita a compreensão e a memorização do leitor, visto que os torna atrativos e chamativos.

Características das parlendas

Identificar e interpretar parlendas é relativamente simples, pois as características são bem básicas. 

O que realmente a diferencia de um versinho comum é o caráter lúdico, que aguça a imaginação e entretém especialmente as crianças.

Entre as principais características das parlendas, podemos destacar:

  • texto curto;
  • presença de humor:
  • história incompleta (com início, mas sem desenvolvimento e conclusão);
  • presença de rimas;
  • versos e estrofes;
  • presença de jogos de palavras, onomatopeias e repetições.

Parlendas na educação infantil 

Embora nem sempre façam sentido, os versos ritmados e com sonoridade das parlendas são trabalhados de forma lúdica, o que torna o processo de aprendizagem infantil mais prazeroso e desperta a imaginação das crianças. 

Na educação infantil, diversos recursos são usados para reter a atenção e facilitar a compreensão das crianças. Por meio das parlendas, os educadores fazem uso de histórias e ilustrações, estimulando a criatividade dos alunos.

As parlendas enriquecem o vocabulário infantil por meio da assimilação entre o escrito e o oral, além de proporcionar uma capacidade maior de memorização.

Isso porque, quando os professores trabalham o texto memorizado, os alunos pensam sobre as palavras que aparecem nos versos, o que aumenta o vocabulário.

Exemplo de parlendas

Hoje é domingo, pede cachimbo.

Cachimbo é de barro, dá no jarro.

O jarro é fino, dá no sino.

O sino é de ouro, dá no touro.

O touro é valente, dá na gente.

A gente é fraco, cai no buraco.

O buraco é fundo, acabou-se o mundo!

Três, quatro, feijão no prato.

Cinco, seis, chegou minha vez.

Sete, oito, comer biscoito.

Nove, dez, comer pastéis.

Dedo mindinho,

seu vizinho,

pai de todos,

fura bolo

e mata piolho. 

Batatinha quando nasce espalha a rama pelo chão.

Menina quando dorme põe a mão no coração.

Sou pequenininha do tamanho de um botão.

Carrego papai no bolso e mamãe no coração

O bolso furou e o papai caiu no chão.

Mamãe que é mais querida ficou no coração.

*

Gostou deste artigo? Então continue aprofundando seus conhecimentos em língua portuguesa com a Gramática On-line do Clube do Português.