Na construção de uma sentença, vários elementos são importantes.

Nesse texto vamos mostrar duas figuras muito importantes para que uma frase tenha sentido, o sujeito e o predicado. E mostrar quais tipos de sujeito e predicado existem, como conseguir identificar cada um deles, e como empregá-los corretamente nas frases.

O que é sujeito?

O sujeito é o personagem principal de uma frase, sobre quem se fala. 

E é ele quem controla a conjugação verbal da sentença, pois é o sujeito quem realiza ou sofre a ação, e pode numa mesma frase, ser mais de um, objeto, pessoa, local, animal, enfim, normalmente o sujeito é um substantivo, ou pronome. 

Como por exemplo: Os avós da minha prima deram a ela de presente de formatura um cruzeiro.

Sendo “os avós da minha prima” o sujeito.

Tipos de sujeito

Podemos encontrar numa sentença cinco tipos distintos de sujeito, avaliando seu núcleo, ou a parte principal, que dá sentido ao sujeito. E são eles:

Sujeito simples

O sujeito é classificado como simples quando possui apenas um núcleo.

Ex: Carmen vai viajar para Porto Seguro.

O núcleo é Carmen.

Sujeito composto

Quando o sujeito possui dois ou mais núcleos, é chamado composto.

Ex:O gato e o cachorro se dão bem.

O gato e o cachorro são o núcleo.

Sujeito oculto

O sujeito oculto também é conhecido como determinado, implícito, elíptico ou desinencial. Se dá quando permanece a dúvida sobre quem cometeu ou sofreu a ação.

Ex: Quebraram as vidraças com a bola. (Quem quebrou?)

Sujeito inexistente

Também chamada de oração sem sujeito, esse tipo de frase não apresenta o sujeito.

Ex: Está na hora de sair.

Sujeito indeterminado

Se o verbo estiver conjugado na terceira pessoa do plural e não houver sujeito claro, a classificação é sujeito indeterminado.

Ex: Falaram que vai chover.

Como identificar o sujeito na frase

Para conseguir saber quem, numa sentença, é o sujeito, basta utilizarmos o verbo da própria oração para formular uma questão.

Exemplo: A encomenda do buffet chegou agora.

O que chegou agora? A encomenda do buffet. Esse é o sujeito.

Por causa da chuva, nós cancelamos o programa.

Quem cancelou o programa? Nós. O sujeito dessa oração, mesmo que não esteja no começo, é nós.

O que é predicado

Já o predicado, em uma sentença, é o que faz ou sofre o sujeito, ou seja, tudo que é dito ou feito pelo sujeito.

Basta separar o sujeito, logo o restante da frase será o predicado.

Por exemplo: Os avós da minha prima deram a ela de presente de formatura um cruzeiro.

O predicado é tudo que exclui o sujeito, ou seja “deram a ela de presente de formatura um cruzeiro”.

Tipos de predicados 

Assim como no caso do sujeito, o predicado pode ser classificado de acordo com o seu núcleo, ou a parte mais importante do predicado. Veremos abaixo quais os tipos de predicado encontramos:

Predicado verbal

Ocorre quando o núcleo do predicado é um verbo.

Ex: O aluno faltou aula.

Faltou, verbo na terceira pessoa do singular, é o núcleo do predicado.

Predicado nominal

Nesse caso o núcleo do predicado não é um verbo, e sim um nome.

Ex: Minha mãe está tranquila.

O núcleo do predicado é tranquila.

Predicado verbo-nominal 

Esse caso de predicado se dá quando as duas palavras mais importantes do predicado são um verbo e um nome.

Ex: Júlia viajou e ficou doente.

As duas palavras mais importantes do predicado são: viajou e doente, um verbo e um nome respectivamente.

Como identificar o predicado na frase

Para identificar o predicado numa oração, basta formular uma questão com o verbo utilizado na frase, e após identificar o sujeito, o que restar, será o predicado.

Exemplo: A série Grey ‘s Anatomy tem uma nova temporada. 

Para que possamos descobrir o sujeito, devemos perguntar: o que tem uma nova temporada? “A série Grey ‘s Anatomy”. O que sobrou é o predicado: “tem uma nova temporada”.

Então, excluindo o sujeito da frase, o que resta será o predicado.

Onde usar o sujeito e o predicado

O sujeito pode ser usado tanto no começo quanto no meio ou final da frase. Para que fique mais clara a identificação do sujeito, basta formular uma questão utilizando o verbo da frase, como veremos nos exemplos abaixo:

A conta foi encerrada. (O que foi encerrada? A conta)

Por conta do apagão, o evento foi cancelado. (O que foi cancelado? O evento.)

Em razão da chuva de ontem, foi fechada a piscina. (O que foi fechada? A piscina)

E como visto acima, o predicado também pode ser encontrado em diferentes posições dentro das orações, desde que haja concordância entre ele, o verbo e o sujeito.

Como utilizar corretamente o sujeito e predicado

Agora um passo a passo de como devemos utilizar tanto o sujeito quanto o verbo e o predicado, termos essenciais na construção de uma oração, de maneira que a concordância  construa o sentido da frase de forma certa.

Sujeitos concordantes com os verbos

Como o sujeito das frases é o responsável pela conjugação verbal, é certo que haverá concordância entre ambos.

Ex: A chuva espantou os turistas. (Tanto chuva quanto espantou estão na terceira pessoa do singular)

Lúcia e Vitória trabalham na escola da família. (Lúcia e Vitória = elas, o sujeito composto está na terceira pessoa do plural, assim como o verbo trabalham)

Predicados coerentes com os substantivos ou verbos

Para que a oração tenha sentido, é preciso que o verbo que fará parte do predicado concorde com o sujeito, independente da construção da frase.

Exemplo: Kim latia assustada. (“Latia” é o verbo do predicado, e está em concordância com o sujeito, ambos na terceira pessoa do singular, já “assustada” é o predicativo do sujeito)