Em todos os idiomas os acentos gráficos são extremamente importantes para identificação da sílaba tônica de cada palavra, e na língua portuguesa não é diferente.

Saber como acentuar e as regras sobre como utilizar cada tipo de acento são conhecimentos fundamentais, e torna sua capacidade de escrever e pronunciar as palavras de forma correta maior e mais fácil.

Para relembrar as regras da acentuação gráfica, os tipos de acentos e enfatizar sua importância no nosso idioma em especial, vamos discorrer sobre o tema, e esclarecer qualquer dúvida que você possa ter.

O que é acento gráfico?

O acento gráfico é o elemento usado dentro de cada idioma que serve para indicar a sílaba tônica de cada palavra, demonstrando assim, como cada uma deve ser pronunciada. Sua utilização é muito importante na língua portuguesa, uma vez que temos muitas palavras com mesma grafia, mas sentidos e pronúncias diferentes. 

Quais são os tipos de acentos gráficos?

Para compreender melhor como funciona a acentuação gráfica, vamos mostrar seus elementos e funções dentro do português, sim, pois em outros idiomas os acentos possuem funções diversas das que utilizamos por aqui.

São três tipos de acentos utilizados, o acento agudo, o circunflexo e o grave. Vamos saber mais sobre cada um deles:

Acento Agudo (´)

O acento agudo, um dos mais comuns no portugês, é utilizado apenas em vogais e sua função é indicar um som mais aberto. Podemos demonstrar a grande diferença que o acento agudo causa nas palavras utilizando como exemplo pele e Pelé. 

Apesar de possuírem a mesma grafia, são palavras que diferem em pronúncia e significado.

Outro bom exemplo do uso de acento agudo está nas palavras: 

  • Sabia – verbo saber conjugado na terceira pessoa do singular no pretérito perfeito.
  • Sábia – adjetivo
  • Sabiá – substantivo comum, um pássaro comum no Brasil. 

A grafia das três palavras é a mesma, mas o acento ou sua ausência faz toda a diferença na sua pronúncia, classificação gramatical e sentido.

Acento Circunflexo (^)

No caso do acento circunflexo, ao contrário do acento agudo, ele denota um som mais fechado ou mesmo anasalado. Utilizado apenas nas vogais “a”, “e” e “o”. Para compreender como o uso do acento circunflexo é importante, vamos a dois exemplos bastante significativos. Avô e avó. 

Ao pronunciarmos as duas palavras, podemos perceber a diferença que o acento circunflexo tem em relação ao acento agudo, e o som mais fechado que ele dá às palavras. Avó com acento agudo é a mãe do pai ou da mãe, um substantivo comum feminino. Avô com acento circunflexo é também um substantivo comum, mas no masculino e significa pai do pai ou da mãe.

Acento Grave (`)

No caso do acento grave a explicação é bastante simples. Ele denota a conjunção do artigo feminino “a” ou “as” com a preposição “a”. Ou a contração da preposição “a” com os pronomes aquilo, aquele, aquela estando no plural ou não. Então o acento grave é usado apenas quando há a junção desses dois termos, e só conseguimos identificá-lo através de frases, pois ele depende da palavra que o antecede.

Exemplos: Vamos à ópera esse final de semana.

(A preposição é usada pois quem vai, vai “a” algum lugar. E ópera é um substantivo feminino precedido de artigo definido feminino “a”.

Para que servem os acentos gráficos?

A maior função dos acentos gráficos é realmente enfatizar as sílabas tônicas das palavras, ou a sílaba forte. Eles servem para diferenciar palavras que são escritas de forma idêntica, mas possuem significados e pronúncias diferenciadas entre si.

Ao ler um texto, a falta de acentuação pode tirar palavras de contexto, mudando totalmente o sentido do que pretendia ser dito.

Como usar corretamente os acentos gráficos

Para dirimir qualquer dúvida, e servir de manual caso não tenha certeza sobre a acentuação correta de determinadas palavras, vamos montar um pequeno manual com as regras de acentuação do nosso idioma, vejamos abaixo:

Palavras oxítonas

Uma das regras de acentuação está relacionada a palavras oxítonas. Confira a seguir alguns exemplos.

  • Terminadas em “a”, “e” e “o”, seguidas ou não de “s”. Exemplos: Sofá; pás; sopé; cafés; jiló; cipós.
  • Terminadas em “em” ou “ens” quando possuírem mais de uma sílaba. Exemplos: Neném; reféns.
  • Terminada em ditongos crescentes “éi”, “éu” e “ói” seguidas ou não de “s”. Exemplos: Povaréu; troféus; chapéu; réis; destrói.
  • Palavras oxítonas terminadas em mesóclise e ênclise.

Exemplos: Comê-lo-ei; empurrá-lo.

Palavras paroxítonas

Já nas palavras paroxítonas, os acentos gráficos são usados da seguinte forma:

  • Terminadas com “i” e “u” seguidas ou não de “s”. Exemplos: Bijú; táxis.
  • Terminadas com as consoantes “l”, “r”, “s”, “n” e “x”. Exemplos: Látex; córtex; dócil; sêmen; lápis; ímpar.
  • Terminadas em “ã”, “ão” e “um”, seguidas ou não de “s”. Exemplos: Álbuns; órfã, sótãos.
  • Terminadas em ditongos abertos. Exemplos: Réguas; tênue; ingênuos.

Palavras proparoxítonas

Todas as palavras proparoxítonas são acentuadas na língua portuguesa. Com acento agudo se sua pronúncia for mais aberta, ou com acento circunflexo em caso de pronúncias mais fechadas.

Exemplos: Tímpano; êmbolo; rótulo; cágado; xícara; prática; âmbito.

Diferença entre acento gráfico e acento tônico

Para que fique totalmente clara a diferença entre acentos gráficos, nosso tema de hoje, e os acentos tônicos, vamos explicar o que os diferencia. Os acentos gráficos, como dito acima, são elementos que denotam a sílaba mais forte da palavra, de acordo com o aspecto ortográfico. Enquanto os acentos tônicos são usados para ressaltar a sílaba tônica, de acordo com a fonética.

Vale ressaltar que o til (~) não é um acento gráfico, mas sim um sinal que indica que a sílaba deve ser pronunciada de forma anasalada, e em alguns casos pode aparecer em palavras juntamente com acentos gráficos. 

Exemplo: Bênção – Note que a sílaba tônica é a primeira, mas o til surge para expressar o tom anasalado da segunda sílaba.

O trema (¨) é outro caso que não é considerado como acento gráfico, e sim um sinal que ajudava a mostrar a pronúncia correta de algumas palavras, em sílabas formadas por “que”, “qui”, “gue” e “gui”. 

Porém com a criação do Novo Acordo Ortográfico o trema foi abolido em palavras de origem portuguesa, unificando assim a forma de escrever nos países que utilizam o português.

Exemplos: 

  • Eloqüente – eloquente
  • Lingüiça – Linguiça.

Porém vale ressaltar que em palavras que são originárias de outros idiomas, o trema segue sendo utilizado para auxiliar a pronunciar corretamente determinadas sílabas. Como no nome da modelo Gisele Bündchen por exemplo.

Agora que você tem uma melhor compreensão sobre acentos gráficos, por que não dar um passo adiante? Conheça a nossa categoria de conteúdos sobre Gramática, repleta de artigos detalhados que o ajudarão a dominar as regras e estruturas do português. Não há nada melhor do que aprender algo novo todos os dias, certo? Então, vamos lá! 🎓