A leitura colaborativa ou compartilhada, como também é chamada, consiste em uma estratégia que visa melhorar o desempenho da compreensão leitora dos alunos. Em outras palavras, trata-se de uma atividade na qual os estudantes realizam a compreensão de um texto específico, com a mediação do professor.

Por meio dessa prática, é possível avaliar os conhecimentos prévios de um determinado tema, fazer levantamento de conclusões, trabalhar a intertextualidade e ainda identificar valores apresentados pelo autor do texto. Neste artigo, vamos falar um pouco sobre a importância da leitura colaborativa e qual o papel do professor nesse método. Acompanhe!

Qual é a importância da leitura colaborativa?

A prática da leitura colaborativa contribui para que os alunos melhorem a sua capacidade leitora. Em outras palavras, mais do que ler um texto, por intermédio desse método, o professor ensina aos alunos estratégias para que consigam atribuir sentido ao que foi lido, bem como para que a compreensão seja a melhor possível. 

Ainda que pareça simples, na leitura colaborativa, o professor não apenas orienta, como também corrige os alunos sempre que necessário. Além disso, essa técnica pode ser utilizada desde os anos iniciais até o ensino superior. Nesse último cenário, a finalidade é compartilhar as visões de mundo para uma melhor produção do conhecimento. 

O papel do professor como mediador da leitura colaborativa

O professor tem um papel fundamental para que a leitura colaborativa tenha resultados eficientes. É por meio de sua mediação, de forma trabalhada e sem improvisos, que os objetivos devem ser propostos. As estratégias precisam ser elaboradas visando mediar a leitura e o seu papel é atuar como uma espécie de intercessor do mundo construído pelo autor. 

Neste contexto, o professor precisa estimular os estudantes a ampliarem sua visão para que eles possam compreender a obra. O docente deve apresentar as características bem como as demais referências que beneficiarão a interpretação do texto em questão. No entanto, o maior desafio do professor é fazer com que os alunos discutam aquilo que foi lido e compartilhem uns com os outros o que compreenderam da leitura e qual o seu sentido. 

Dessa forma, a proposta será cumprida, pois, de maneira coletiva, constrói-se um sentido mais amplo daquilo que foi lido. Em outras palavras, quando o aluno lê um texto individualmente, ele também atribui um sentido a ele, porém isso acontece somente com base nos próprios conhecimentos. Já quando essa leitura ocorre de forma compartilhada, esses sentidos são ressignificados e avaliados de acordo com as experiências de outros leitores. Há uma troca de ideias e uma construção conjunta.

Assim, na leitura colaborativa, os alunos ouvem as interpretações uns dos outros e conseguem avaliar os argumentos apresentados, diante de visões diferenciadas. Isso faz com que outros pontos de vista sejam percebidos e que os estudantes consigam rever os próprios conceitos, obtendo resultados como: ampliação, modificação e reforço.

Portanto, o papel do professor é promover toda essa associação de informações e estímulos. Cabe a ele, por meio de sua intervenção planejada, encorajar os alunos a refletirem, tornando a prática mais enriquecedora e assertiva. 

Ações que auxiliam para uma boa leitura colaborativa

Algumas ações são fundamentais para que a mediação durante a leitura colaborativa seja mais produtiva. Confira algumas delas abaixo: 

  • planejamento cuidadoso da atividade: o professor precisa planejar a atividade com cuidado, escolhendo com antecedência o texto e as perguntas que farão parte da proposta. Também é possível utilizar diversos gêneros textuais para que os objetivos sejam alcançados, além da articulação da linguagem verbal;
  • construção de um clima que traga liberdade: os diálogos entre os alunos devem ocorrer em um ambiente no qual eles se sintam seguros para expressar suas ideias, sem medo de qualquer tipo de julgamento. Para isso, é fundamental que o professor crie um clima que traga liberdade para que os estudantes não tenham receio de tornar o debate mais significativo e profundo;
  • possibilidade de pausas durante a leitura: é imprescindível que sejam planejadas pausas durante a leitura colaborativa para que os alunos possam avaliar se compreenderam o texto em questão. Dessa forma, o professor deve interromper a leitura em determinados momentos para que os estudantes façam deduções e prestem atenção nos mínimos detalhes;
  • organização de falas: nem sempre os alunos conseguem organizar as suas ideias, fazendo com que elas nem sempre pareçam interessantes. Em razão disso, é fundamental criar estratégias para reformular, recapitular e até mesmo sintetizar o que cada um dos estudantes deseja transmitir.

A leitura colaborativa é uma prática fundamental

Como vimos no decorrer do artigo, a leitura colaborativa é uma prática fundamental para que os alunos consigam compreender um texto em sua totalidade. Incorporá-la às práticas pedagógicas dentro da sala de aula, garantirá inúmeros benefícios. 

Essa é, sem dúvida alguma, uma das dinâmicas mais importantes e que melhor integra as percepções dos alunos. Além disso, trata-se de uma estratégia essencial para promover o engajamento entre os estudantes. 

*

Gostou do artigo? Então, vale a pena aprofundar seus conhecimentos com o Guia da Alfabetização.