Durante toda a infância, as crianças passam por períodos de evolução. Isso acontece desde muito novas, quando precisam aprender a sentar, andar, falar e ainda a expressar a sua individualidade. Dentre todas essas experiências, uma que se destaca é a alfabetização, um dos maiores desafios da vida dos pequenos. 

Nesse contexto, algumas crianças demonstram dificuldades nesse processo, o que pode ser considerado normal de acordo com o ritmo de cada estudante. Contudo, quando o problema persiste, pode ser importante buscar o auxílio de um fonoaudiólogo para auxiliar a alfabetização. 

Para que você entenda melhor qual o papel desse profissional quando o assunto são as dificuldades no processo de aprendizagem da leitura e da escrita, acompanhe este artigo até o fim, que iremos explicar! 

Quais são as principais dificuldades relacionadas à alfabetização?

Quando falamos sobre dificuldades no processo de alfabetização, nem sempre haverá uma correlação com algum tipo de problema. Em alguns casos, como já citamos, a criança pode ter um ritmo de aprendizagem mais lento, ou o próprio sistema de ensino ser um tanto falho. 

Por essa razão, é fundamental que os pais e professores trabalhem juntos para identificar se o pequeno precisa de mais atenção ou se se trata de algum problema sério. As crianças que já possuem atrasos na fala, por exemplo, tendem a demonstrar maior dificuldade na leitura e na escrita. Isso porque a percepção dos sons não é tão clara para elas.

Dessa forma, surgem trocas de letras, erros ao tentar fazer a identificação de um som para uma figura e, até mesmo, a não compreensão de determinados conteúdos. Isso não é considerado um distúrbio grave, porém é fundamental que exista um acompanhamento profissional.

Entretanto, em casos mais sérios, a explicação para a dificuldade na alfabetização pode ser um indicativo de problemas associados à aprendizagem, o que demanda a assistência de alguns profissionais especializados, como o  fonoaudiólogo. Entre o distúrbios mais comuns, destacam-se:

  • Dislexia: dificuldade de aprendizagem que compromete a escrita, a leitura e a capacidade de soletrar. Isso ocorre porque o pequeno não consegue relacionar os sons às suas devidas representações gráficas. 
  • Alexia: também chamada de dislexia adquirida, a alexia também afeta a capacidade de ler e escrever, porém esse tipo de distúrbio acontece em razão de uma lesão na região determinante do cérebro, resultante de um acidente ou AVC. Inclusive, esse tipo de problema pode ocorrer mesmo após a criança já ter sido alfabetizada.
  • Discalculia: este tipo de distúrbio causa danos às habilidades matemáticas da criança, ou seja, dificuldades com números, tamanhos, formas, quantidades e assim por diante. A discalculia também faz referência a um problema de aprendizagem associado à leitura e escrita, pois também se faz necessário ter a percepção dos sons para compreender as operações ou representações matemáticas.

Como ocorre o trabalho do fonoaudiólogo na alfabetização?

O trabalho do fonoaudiólogo na alfabetização é multidisciplinar, ou seja, ele é o responsável por dar as coordenadas aos outros especialistas do caso. 

O profissional de fonoaudiologia planeja junto com a equipe pedagógica as atividades que irão trabalhar a oralidade. Dessa forma, são utilizados materiais gráficos que estimulam a leitura e analisam as dificuldades da criança.

Ainda que o fonoaudiólogo não faça parte da área pedagógica, ele tem um importante papel na construção de soluções que auxiliam a criança a desenvolver melhores resultados em sua linguagem. Por isso, esse profissional procura exercer suas atividades por intermédio do uso de técnicas que cercam o aprendizado lúdico.

Entretanto, o profissional de fono também pode fazer o uso de propostas que se conectem diretamente à fala e à audição, ou seja, trabalha com exercícios que atuam diretamente na musculatura da face. Dessa forma, quando o fonoaudiólogo está alinhado com a escola, o seu trabalho passa a estar completo, pois ambas as partes desempenham metodologias que influenciam na aprendizagem e alfabetização.

Vale ressaltar que, em casos mais severos, é fundamental que o profissional também conte com o auxílio de psicólogos para ajudar na identificação de outros problemas que afetam a criança, como bloqueio de comunicação, gagueira e assim por diante. 

O fonoaudiólogo na alfabetização tem um grande papel!

Como você notou, o fonoaudiólogo é o profissional que auxilia a resolver grande parte das dificuldades durante o processo de alfabetização. No entanto, para que isso seja possível é fundamental entender a causa do problema. 

Para isso, os pais e professores devem trabalhar juntos para identificar a necessidade da ajuda de um profissional, pois o diagnóstico precoce é o melhor caminho para que a criança consiga ler e escrever bem. 

*

Gostou do artigo? Então, vale a pena aprofundar seus conhecimentos com o Guia da Alfabetização.