Todo processo de aprendizado de uma língua ocorre, primeiramente, de forma natural, longe das formalidades escolares. Tanto a comunicação verbal por meio da fala quanto a comunicação não verbal podem ser aprendidas no decorrer do dia a dia de um ser humano.

Mas por que então frequentamos a escola?

Bom, quando passamos a frequentar a escola é para aprendermos uma outra parte da comunicação verbal que não nos é natural e necessita de regras: a escrita. Ademais, todo idioma possui um sistema de regras que dita o bem falar e o bem escrever, e a escola necessita nos ensinar esse sistema, o qual se chama gramática normativa.

Contudo, engana-se quem pensa que só existe esse tipo de gramática e que só ela é estudada nas escolas. A gramática descritiva também tem ganhado o seu espaço nas salas de aula devido à sua abordagem sociolinguística. Hoje, ela é amplamente abordada em avaliações importantíssimas, como o ENEM e as provas de concurso.

Logo, a educação formal tem duas grandes funções na área da linguagem:

  1. nos ajudar a elevar o nosso nível de comunicação por meio do aprendizado da norma culta;
  2. nos mostrar que cada contexto exige um nível de formalidade comunicativa.

Portanto, apesar de até mesmo uma pessoa com pouco ou nenhum grau de instrução ser capaz de se comunicar, uma boa comunicação só é atingida a partir de muito estudo gramatical.

E o que é uma boa comunicação?

Uma boa comunicação não é apenas aquela que não possui desvios gramaticais. Tampouco comunicar-se bem é somente conseguir passar a mensagem que deseja, como muitos dizem.

De fato, passar a mensagem certa ao público certo é o principal objetivo de qualquer ato comunicativo. No entanto, pode ser que essa mensagem ainda assim venha a ser expressa de modo inadequado.

Pense junto comigo…

  • Quantas vezes você já recebeu um textão que poderia ter sido reduzido a uma frase?
  • Quantas vezes você conversou com alguém que ficou dando voltas e mais voltas antes de falar o que realmente importava?
  • E as mensagens sem pontuação, as quais te fizeram ler e reler o texto dezenas de vezes até entendê-lo… você consegue contá-las?

Por outro lado…

  • Não é tão bom quando a comunicação é sucinta e economiza o nosso tempo?
  • Também não é ótimo quando ela está sem ambiguidades, pois assim não corremos o risco de entender o que não deveria?
  • E ler um texto bem pontuado, que nos permite respirar, hein? Não é maravilhoso?

Pois bem, esses são só alguns exemplos de como é prazeroso nos depararmos com a mensagem certa, para o público certo e, ainda, expressa de modo certo.

Assim podemos dizer que saber se comunicar implica, principalmente:

  • adaptar o discurso de acordo com o contexto;
  • ter segurança no que diz;
  • ser coerente;
  • utilizar mecanismos de coesão;
  • saber expressar o que pensa;
  • saber expressar o que sente;
  • saber interpretar;
  • ser objetivo, etc.

Por que então todo mundo precisa estudar gramática?

Infelizmente, estamos acostumados a um estudo de gramática reduzido a meras decorebas para o aluno passar de ano. Como não há certa preocupação do sistema educacional em mostrar a utilidade e aplicabilidade da gramática em nossa vida cotidiana, a visão que muitos de nós temos é que ela não passa de um amontoado de regras inúteis, que não utilizamos para nada.

Mas a verdade é que o principal motivo para se estudar a gramática é a ascensão social.

Quem lê bem, fala bem e escreve bem tem muito mais chances de se destacar no mercado de trabalho. Veja:

  • Toda prova de concurso, vestibular e ENEM exige o domínio da norma culta tanto para resolver questões quanto para escrever redações;
  • Pesquisas mostram que a maioria dos currículos são descartados por conta de erros de português;
  • O profissional que se comunica bem normalmente tem bom relacionamento interpessoal, pois compreende melhor o outro e o que acontece à sua volta devido à sua aguçada capacidade interpretativa;
  • Esse profissional também consegue evitar processos de retrabalho, pois as chances de alguém não entender ou entender errado o que ele diz é menor. 

Além desses pontos, essa pessoa começa a chamar a atenção de amigos, familiares e demais membros da sociedade. Geralmente, uma pessoa que se comunica bem tem segurança ao falar e, consequentemente, torna-se mais interessante, mais cativante, mais desenvolta.

Além disso, precisamos dominar a gramática até mesmo se quisermos subvertê-la. É nesse ponto que entram as ambiguidades, as repetições e os pleonasmos com intencionalidade, por exemplo.

Outra maravilha permitida pela gramática é a construção de uma ponte que nos leva até os nossos antepassados. Por ser conservadora, ao estudá-la desenvolvemos mais facilidade para compreender textos de outras épocas.

Em resumo, estudar gramática só nos faz bem! Ruim mesmo é não a estudar e sermos refém das palavras, em vez de tê-las como nossas servas.

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.

*

Assista também ao vídeo em que mostramos três prejuízos que os erros de português podem trazer para sua carreira: