Se você é professor ou estudante, com toda a certeza, já deve ter aplicado ou assistido a uma aula que não prendeu a atenção dos alunos, não é mesmo? Isso é algo muito comum, especialmente na Educação Básica, quando a escola segue os métodos tradicionais e expositivos de ensino. 

Uma forma de mudar essa realidade, é colocando em prática um planejamento escolar que estruture os conteúdos aplicados por bimestres e semestres. Esse tipo de estratégia é chamada de sequência didática. Ela tende a apresentar resultados positivos, principalmente na alfabetização das crianças. 

As sequências didáticas auxiliam na aplicação de um conteúdo eficiente e interessante, fazendo com os que os alunos se conectem com a matéria. Esse método é composto por um planejamento feito por meio de um guia de aulas, no qual o professor consegue acompanhar se os estudantes estão, de fato, assimilando os conteúdos. 

A preocupação com os métodos de ensino é o que move os estudos na área educacional, principalmente no que tange a Educação Básica e a alfabetização. Nesse contexto, a sequência didática aparece como uma estratégia eficaz. No entanto, é preciso entender como organizar sequências didáticas na alfabetização. Com esse objetivo, neste artigo, falaremos em detalhes sobre este tema. Acompanhe!

Afinal, o que são sequências didáticas?

As sequências didáticas fazem parte da estratégia educacional que visa auxiliar os alunos com as suas dificuldades nos mais diferentes temas e disciplinas. Seus resultados aparecem quando os conteúdos, antes de serem aplicados, são planejados e executados seguindo um período pré-determinado. 

Em outras palavras, o professor deve definir um ponto de partida e um de chegada para a aplicação desse método. Esse período de tempo pode variar conforme o tema e as necessidades de cada turma. No entanto, para as sequências didáticas serem bem sucedidas, é preciso considerar os conhecimentos prévios dos alunos, compreender suas dificuldades e relacionar as atividades com o cotidiano de cada um deles. 

O diferencial dessa estratégia é a elaboração de conteúdos sequenciais que auxiliam na participação dos alunos nas atividades propostas, ampliando assim o aprendizado em sua totalidade.  

A seguir, você confere como organizar sequências didáticas na alfabetização

Sequências didáticas na alfabetização: como organizá-las?

Para entender como organizar as sequências didáticas na alfabetização, deve-se lembrar que elas são chamadas de sequência justamente porque os conteúdos aplicados precisam se conectar e funcionar como uma escala. Em outras palavras, cada um deles deve representar um passo rumo ao alcance do objetivo pedagógico proposto. Para isso, as seguintes etapas são necessárias:

1. Apresentação da proposta

Antes de tudo, é fundamental apresentar a proposta aos alunos, desde a escolha dos temas até os resultados esperados. Além disso, é papel do professor justificar as escolhas aos estudantes para não haver dúvidas ou discordâncias durante o processo. 

2. Definição dos conteúdos e objetivos

É no momento de definir conteúdos e objetivos que os alunos precisam ser ouvidos. Todo conhecimento prévio e expectativas sobre o processo precisam ser colocados na mesa. 

Vale lembrar que o conteúdo é o que será ensinado e o objetivo é o que o professor almeja que as crianças aprendam. Por essa razão, é importante compreender o que os alunos esperam das aulas, para desenvolver um planejamento que seja coerente para a turma. 

Assim, fica mais simples determinar quais serão os objetivos e quais os caminhos para alcançá-los por meio da sequência didática. 

3. Planejamento das etapas da sequência

Após definir conteúdos e objetivos, é a hora de planejar as etapas da sequência didática, ou seja, a forma como as atividades serão colocadas em prática. Como mencionamos anteriormente, é fundamental que os exercícios sejam atrativos, dinâmicos e sigam uma sequência lógica. Assim, é importante que uma atividade esteja ligada a outra, isto é, que dê continuidade ao que já foi realizado. 

Por exemplo, caso o conteúdo aplicado seja a leitura e interpretação de um texto, a atividade 1 deve ser a leitura, e a 2 a interpretação. Além disso, é necessário ter atenção à complexidade, sempre começando pelo mais simples e aumentando a dificuldade conforme as crianças demonstram compreensão.   

4. Produção final

A produção final é a etapa que irá avaliar como foi o processo. Aqui, o professor precisa analisar as atividades bem como as notas atribuídas e escutar o que as crianças têm a dizer. Dessa forma, é possível identificar melhorias para os próximos planejamentos. 

Ademais, é importante se atentar se os objetivos foram alcançados e se a turma conseguiu, de fato, aprender tudo o que foi proposto. 

Qual a importância das sequências didáticas na alfabetização?

Como ressaltado no início do artigo, as sequências didáticas na alfabetização colaboram para melhorar a atenção e a compreensão dos temas trabalhados com os alunos em sala de aula. Além disso, essa estratégia valoriza os conhecimentos prévios dos alunos, auxiliando os professores em um planejamento conforme a compreensão do tema.

As sequências didáticas também estão ligadas aos princípios da BNCC, que sugerem a progressão do conhecimento por meio da complexidade de atividades que vão se intensificando conforme o nível do estudante. 

Por fim, as sequências didáticas são importantes para a alfabetização, pois auxiliam as crianças no desenvolvimento de competências e habilidades, e ainda tornam os alunos protagonistas no processo de aprendizagem. 

Resumo

Para fechar este artigo, confira abaixo o fluxograma completo de como planejar, executar e avaliar sequências didáticas para alfabetização:

Fluxograma: como organizar sequências didáticas para alfabetização.

*

Gostou do artigo? Então, vale a pena aprofundar seus conhecimentos com o Guia da Alfabetização.