Talvez você ainda não saiba, mas a visão é a grande responsável pelo aprendizado de uma imensidão de coisas. No entanto, para que o cérebro consiga processar as informações que são registradas pelos olhos, é necessário que a percepção visual não apresente nenhum problema. 

Quando falamos em aprender a ler e a escrever, por exemplo, a percepção visual e a alfabetização caminham lado a lado. Isso porque o reconhecimento e a interpretação dos estímulos visuais são fundamentais para o progresso da aprendizagem.

Isso significa que, ainda que uma criança enxergue bem, se ela apresentar dificuldades em compreender e processar as informações visuais captadas pelos seus olhos, ela será prejudicada no ensino da leitura e da escrita. 

Para entender melhor, neste artigo, vamos falar detalhadamente sobre a relação entre a percepção visual e a alfabetização. Acompanhe!

O que é percepção visual?

A percepção visual consiste na capacidade do cérebro de compreender, interpretar e organizar os mais diversos estímulos captados pelos olhos. Ainda que a maioria das pessoas nasça com um sistema visual pronto para funcionar, é a partir das experiências que ele vai aprender a atribuir um significado àquilo que os olhos veem. 

Em outras palavras, para que um objeto seja percebido, ele precisa, antes de tudo, de uma classificação, ou seja, um ato de compreensão que permite que a pessoa saiba o que ele é e para que funciona. Esse é o papel da percepção visual, interpretar as informações que os olhos recebem. 

Quais habilidades fazem parte da percepção visual?

As habilidades que fazem parte da percepção visual são:

  • discriminação visual: faz referência à capacidade de notar as semelhanças e as diferenças entre os objetos, com referência na sua cor, formato ou tamanho, por exemplo;
  • memória visual: é a habilidade de se lembrar dos estímulos visuais recebidos, sejam eles recentes sejam mais antigos;
  • relação especial: consiste na capacidade de compreender as noções de direção e posição no espaço;
  • memória sequencial: trata-se da habilidade de recordar uma determinada sucessão de estímulos visuais;
  • constância de forma: é a capacidade em identificar um estímulo visual, ainda que a sua cor, tamanho ou direção tenha sido modificada;
  • figura-fundo: consiste na habilidade de discernir um objeto impresso do seu fundo, ou seja, conseguir focar na figura principal, ainda que existam outros estímulos visuais sendo apresentados simultaneamente;
  • fechamento visual: trata-se da capacidade de reconhecer determinado objeto, mesmo que falte uma parte dele. 

Qual é a relação entre a percepção visual e a alfabetização?

A percepção visual e a alfabetização possuem uma relação entre si, uma vez que, para a aprendizagem da leitura e da escrita, são fundamentais habilidades cognitivas, motoras e linguísticas. Nas cognitivas, por exemplo, podemos encontrar o desempenho perceptivo visual, ou seja, é comum que todas as atividades de alfabetização envolvam a percepção da visão.

Por intermédio do desenvolvimento das habilidades da percepção visual, a criança passa a absorver as imagens das letras e dos números. Além disso, aprende a reproduzir suas formas, compreender a orientação espacial das letras e a direcionalidade da escrita. Em razão disso, quando os pequenos apresentam qualquer dificuldade com a percepção visual, eles comprometem o aprendizado da leitura e da escrita.

Isso ocorre devido à incapacidade de discriminar as formas e direcionar a visão espacial, de modo que a criança não consiga diferenciar as formas gráficas de letras como “b” e “d” ou “p” e “q”, por exemplo. Ademais, a percepção visual também está associada com a coordenação olho-mão, ou seja, para escrever é necessário que os movimentos dos olhos e das mãos estejam coordenados.

Assim, em caso de qualquer problema com o desenvolvimento perceptivo visual, a alfabetização pode não ter o sucesso esperado pelos pais e professores. Portanto, quando a criança apresenta qualquer dificuldade relacionada a sua percepção visual, é indicado a realização de uma avaliação multidisciplinar a fim de se alcançar um diagnóstico.

Dessa forma, é mais simples promover intervenções que sejam apropriadas para cada uma das dificuldades apresentadas. A psicopedagogia, por exemplo, poderá auxiliar a criança a desenvolver essas habilidades.

Caminhando juntas

Por fim, é fundamental destacar que o desenvolvimento da percepção visual e a alfabetização devem caminhar juntas! Isso quer dizer que as habilidades visuais devem ser estimuladas desde a educação infantil e com base na fase do desenvolvimento em que os pequenos se encontram. 

Atividades com o uso de materiais de educação sensorial, por exemplo, ajudam a criança a discriminar os materiais pela sua altura, largura, comprimento e formato. Esse tipo de trabalho ajuda a melhorar as habilidades necessárias para o processo de alfabetização. 

*

Gostou do artigo? Então, vale a pena aprofundar seus conhecimentos com o Guia da Alfabetização.