Aplicado desde 1990, o SAEB (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica) é um dos principais instrumentos avaliativos, cuja função é medir a qualidade de ensino da Educação Infantil ao Ensino Médio no país. 

O conjunto de avaliações, composto por três exames diferentes, é aplicado anualmente nas escolas da rede pública e privada. Sua finalidade é permitir que o INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) realize um diagnóstico da educação brasileira, identificando o nível de aprendizagem dos alunos avaliados.

Se você ainda não conhece o SAEB ou têm dúvidas sobre o assunto, acompanhe a leitura deste artigo, no qual falaremos detalhadamente sobre esse tipo de avaliação. 

O que é SAEB?

SAEB: como funciona o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica.

O SAEB é um exame que avalia escolas da rede pública e privada no quesito qualidade de ensino ofertada aos estudantes. Por meio do resultado das provas aplicadas, é possível monitorar e aprimorar as políticas educacionais. 

Em outras palavras, as médias de desempenho dos alunos são analisadas em conjunto com outras taxas apuradas no Censo Escolar (como aprovação, reprovação e evasão escolar, etc.) para compor a nota do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). 

Dessa forma, o Ideb consegue ter uma ampla visão de quais escolas e sistemas de ensino cumprem com os requisitos educacionais previamente definidos pelo Plano de Desenvolvimento da Educação. 

É importante destacar que, sem avaliações ou métricas, não há evidências que comprovem as dificuldades das instituições de ensino, bem como o nível de aprendizagem dos alunos. Em razão disso, o SAEB é aplicado para avaliar a qualidade da educação básica do Brasil. 

Como funciona o SAEB?

O SAEB funciona por meio da aplicação realizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Trata-se do mesmo órgão responsável pelo Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), ligado diretamente ao MEC (Ministério da Educação).

A sua função é realizar o diagnóstico sobre a qualidade de ensino da educação no país, a fim de contribuir com as políticas públicas que possibilitem um melhor desenvolvimento econômico e social do Brasil. 

Atualmente, o SAEB é composto por três tipos de exames:

  • Avaliação Nacional da Educação Básica (Aneb);
  • Avaliação Nacional do Rendimento Escolar (Prova Brasil ou ANRESC);
  • Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA).

Esses exames são elaborados seguindo as matrizes de cada área do conhecimento. No entanto, é válido dizer que eles não compreendem todo o currículo escolar e são alinhados com a BNCC. Nesse sentido, não devem ser confundidos com estratégias de ensino, pois a avaliação é ligada aos conteúdos curriculares já ofertados aos alunos.

Mudanças

É importante destacar que o SAEB era uma prova aplicada a cada 2 anos, na qual apenas os alunos de 2.º, 5.° e 9.º ano do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio das escolas públicas participavam. O exame era facultativo para as escolas privadas. 

Contudo, após algumas mudanças realizadas entre 2019 a 2021, a avaliação passou a ser anual. Ela também passou a ser aplicada a todas as escolas públicas e privadas a partir do 2.º ano do Ensino Fundamental, até a 3ª série do Ensino Médio. Além disso, a Educação infantil também foi incluída no SAEB. Porém a avaliação é feita pelos professores, diretores e gestores, a cada dois anos, por meio de questionários eletrônicos.

Outra mudança é no que diz respeito às áreas de conhecimento. Determinadas escolas, do 5.º ao 9.º ano do Ensino Fundamental, são selecionadas para realizarem também os testes de Ciências da Natureza e Ciências Humanas. As instituições sorteadas recebem um aviso do Inep, por e-mail. 

Particularidades

O SAEB possui algumas particularidades. Nesse sentido, ele se difere das demais provas aplicadas nas escolas. Começando pela metodologia de correção, a Teoria de Resposta ao Item (TRI). Esse método permite que questões escolhidas de forma aleatória sejam desconsideradas. Assim, é avaliado somente o conhecimento real de cada aluno. 

Outra especificidade é que as escolas selecionadas para a aplicação das provas de Ciências realizam o exame em datas diferentes das avaliações de Língua Portuguesa e Matemática. Além disso, essas escolas não recebem o resultado dessas provas, pois os dados gerados são apenas para compor a nota final do Brasil. 

Por fim, é importante destacar que o SAEB apoia que alunos com deficiência também participem da avaliação. No entanto, para isso, é necessário comunicar os responsáveis pela aplicação com antecedência para que os estudantes da Educação Especial tenham:

  • tempo adicional para a realização do teste;
  • recursos e profissionais especializados;
  • sala que atenda às necessidades educacionais especiais;
  • instrumentos adaptados para alunos com baixa visão.

Com o resultado da avaliação do SAEB, é possível implementar e monitorar políticas públicas eficientes, além de oferecer formação adequada aos professores. Desse modo, as escolas e os profissionais de ensino conseguem incorporar metodologias ativas e eficazes para melhorar o processo de ensino-aprendizagem. 

SAEB e alfabetização

Para finalizar, vale destacar que o Saeb, por meio da Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA), é o principal instrumento de mensuração da aprendizagem de leitura e escrita dos estudantes brasileiros.

A ANA mede os níveis de alfabetização e letramento em língua portuguesa. Ela também mensura a alfabetização em matemática e as condições de oferta do ciclo de alfabetização das redes públicas.

Por meio dela, também é possível mapear locais que estão se destacando e que podem servir de referência para os demais. Um dos principais exemplos no campo da alfaebtização é o município de Sobral.

*

Gostou do artigo? Então, vale a pena aprofundar seus conhecimentos com o Guia da Alfabetização.