Se você já prestou concurso público ou está se preparando para isso, deve saber que cada banca tem as suas próprias exigências. Ademais, é importante falar da importância de se preparar para a redação da prova, pois além do caráter classificatório, ela também pode eliminar o candidato.

Assim como cada banca tem a sua exigência, cada uma delas também dispõe de produções de textos diferentes. Por isso, neste artigo, vamos falar como são as redações nas provas FGV (Fundação Getúlio Vargas). Confira!

Discursivas FGV

Redações nas provas FGV: estrutura e critérios de avaliação

Se você tem dúvida de como são as redações nas provas FGV, podemos adiantar que elas não fogem muito do padrão da maioria. Começando pela exigência de linhas que ficam entre o mínimo de 20 e máximo de 30. Caso o candidato fuja a essa exigência, a redação é automaticamente descartada e zerada.

No entanto, não é somente o número de linhas que descartam uma redação. A fuga total à estrutura ou ao tema apresentado também faz com que o texto não seja corrigido e obtenha a nota zero. Além disso, caligrafias não compreensíveis e produções realizadas com cores de canetas que não sejam azuis ou pretas, também são eliminadas. 

A proposta das redações nas provas FGV seguem o tradicional. Em outras palavras, um tema é estipulado, juntamente a um texto motivador e, por vezes, imagem ilustrativa, conforme você pode ver na imagem abaixo:

Exemplo de redação da FGV - prova Secretaria de Educação do Estado de Tocantins.

O candidato precisa discorrer sobre, de forma dissertativa, seguindo a norma culta.

Geralmente, os temas das redações nas provas FGV são atuais e sobre assuntos de caráter ambiental, social ou político. Em razão disso, é fundamental estar por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Para te ajudar, listamos abaixo quatro temas de redação cobrados recentemente pela FGV:

  • SEE-TO (2023): “Qual o mais grave problema social do Brasil?”;
  • TJ-RO – Analista (2021): “Como administrar o tempo em nossas vidas, de modo que ele seja aliado, e não adversário, diante de nossos inúmeros projetos e compromissos?”;
  • TJ-CE (2019): “O que fazer para acabar com o paradoxo entre atitude e discurso do brasileiro?”;
  • PM-SP (2021): “O comportamento imprudente do brasileiro no trânsito”.

Vale destacar que erros gramaticais implicam diretamente na pontuação da prova, bem como falta de coerência e coesão e ainda argumentos não justificáveis ou contraditórios. A seguir, você confere algumas dicas para ter um bom desempenho nas redações das provas FGV.  

Critérios de avaliação da FGV

Os corretores da FGV, em geral, avaliam as provas discursivas com base em três grupos de critérios:

  • Adequação ao tema e à estrutura indicados;
  • Capacidade de articulação e argumentação;
  • Domínio da norma gramatical e do léxico próprios da língua culta.

Vale destacar que, segundo a própria banca, são motivos de nota zero:

  • Fuga total ao tema;
  • Inobservância do gênero dissertativo.

Além disso, tratamento tangencial do tema, meras paráfrases da proposta
ou abordagens de assuntos genéricos, potencialmente associados ao tema porém alheios a sua especificidade, conduzirão a descontos proporcionais, na nota
relativa à adequação ao tema e à estrutura indicados.

Questões discursivas da FGV

Um ponto importante é destacar que as provas da FGV podem cobrar redações, que são textos sobre temas gerais e da atualidade, mas também questões discursivas, que são textos sobre tópicos técnicos específicos do edital, conforme pode ser visto nas imagens abaixo:

Exemplo de questão discursiva da FGV - prova SEFAZ-BA.
Questão discursiva – prova do SEFAZ-BA
Exemplo de questão discursiva da FGV - prova Senado Federal.
Questão discursiva – prova do Senado Federal

Vale destacar que a estrutura das questões discursivas é bem mais simples, e não segue a tipologia de dissertação. Assim, a resposta do candidato deverá ser o mais direta possível, sem necessidade de introdução ou conclusão.

Dicas para um bom desempenho nas redações das provas FGV

Agora que você já sabe como são as redações nas provas FGV, chegou o momento de conhecer algumas dicas para um bom desempenho. Acompanhe!

1. Leia jornais e revistas e assista aos noticiários 

A leitura de jornais e revistas e o acesso aos noticiários ajuda a saber tudo o que está acontecendo no mundo. Considerando que as redações nas provas FGV exploram os fatos da atualidade, estar bem informado é super importante.

Além disso, ampliar o repertório cultural é fundamental para a criação de bons argumentos. Por isso, anotar as principais informações e estar por dentro dos assuntos é o primeiro passo para um bom desempenho na produção de textos. 

2. Busque por fontes e citações de livros para agregar na redação 

Estar bem informado sobre os temas atuais é muito importante. No entanto, conhecer as fontes desses assuntos é ainda mais. Isso porque, toda e qualquer banca avalia o embasamento dos argumentos, isto é, a comprovação do que se fundamenta é essencial. 

Ademais, as citações de livros podem enriquecer a redação. Contudo, é fundamental tomar cuidados com os clichês, ou seja, frases já muito usadas pelas pessoas, pois tornam o texto repetido e chato. 

3. Estude as normas gramaticais

Esta é, sem dúvida alguma, uma das principais dicas para se dar bem nas redações das provas FGV. Assim como as demais bancas, a FGV presa pelo uso da norma culta e, erros ortográficos tiram pontos. 

Em razão disso, conhecer a gramática sempre te deixará um passo à frente. Portanto, não descarte esse tipo de estudo. 

4. Treine a produção de texto dissertativo-argumentativo 

Por fim, é válido destacar que de nada adianta dominar um tema ou as regras gramaticais se a redação não estiver conforme o gênero exigido. Neste contexto, é essencial treinar a escrita dissertativa-argumentativa para não haver falhas no momento da produção do texto. 

5. Acesse às redações antigas da FGV

Nada melhor que treinar a escrita com o auxílio da própria redação da FGV. É possível encontrar provas antigas na internet, baixá-las e realizá-las. O melhor de tudo é ter acesso aos melhores textos produzidos para se inspirar. 

6 – Domine o conteúdo do edital

O edital deve ser a bíblia do canditado. Nesse sentido, é preciso que ele conheça e estude bem todo conteúdo programático. Dessa forma, além de se preparar para a prova objetiva, também estará apto a elaborar boas redações e também a responder adequadamente as questões discursivas.

*

Gostou do artigo? Então, continue seus estudos com o nosso Guia da Redação.