Língua Portuguesa, Literatura e Alfabetização

Categoria: Ortografia (Page 1 of 13)

Vogal temática – conceito, funções e classificações

A vogal temática (VT) é um morfema que tem a função de ligar o radical à desinência de número ou aos sufixos, dando origem ao tema. Neste artigo, vamos abordar os seguintes tópicos:

Classificação

Tanto os verbos quanto os nomes apresentam vogais temáticas. Por isso, elas podem ser classificadas em nominais e verbais. Vejamos abaixo as características de cada grupo.

Vogais temáticas nominais

As vogais temáticas nominais estão presentes nos substantivos e dividem-se em três grupos:

  • A vogal “a”: substantivos terminados em “a”, por exemplo, mata, escola e mala.
  • A vogal “o”: substantivos terminados em “o”, por exemplo, sapo, cabresto e livro.
  • A vogal “e”: substantivos terminados em “e”, por exemplo, controle, corte e mote.

É importante destacar que as vogais temáticas nominais se encontram no final das palavras e são sempre átonas. Elas unem-se à desinência indicadora de plural:

ex: escolas, livros e cortes.

Nesse sentido, as palavras terminadas com “a”, “e” e “o” tônicos não apresenta vogal temática: café, cipó, manjá.

Vale ressaltar que as vogais temáticas são diferentes das desinências indicadoras de gênero (feminino [pata] e masculino [pato]). Assim, no caso de “pata”, a letra “a” não funciona com vogal temática. 

Continue reading

Classificação de vogais e consoantes

A fonética é a ciência responsável pelo estudo dos sons da língua. As partículas sonoras, que nos permitem distinguir as palavras, são a vogal, semivogal e consoante. Para explicar a classificação de vogais e consoantes, é preciso observar alguns pontos sobre o aparelho fonador humano.

O que é aparelho fonador humano?

Aparelho fonador é como chamamos o conjunto de órgãos responsáveis pela fonação. Por exemplo: os pulmões, brônquios e traqueia são os órgãos respiratórios que permitem a corrente de ar, sem a qual não existiriam sons. A maioria dos sons que conhecemos são produzidos na expiração.

As cordas vocais ficam na laringe e marcam a sonoridade e vibração dos sons. A faringe, boca, língua e fossas nasais contribuem para a variedade sonora. É a partir das funções do aparelho fonador que conseguiremos classificar os fonemas, ou seja, vogais e consoantes. 

Continue reading

Divisão silábica: como separar sílabas?

Saber dividir as palavras da língua portuguesa é importante, principalmente quando pensamos na comunicação escrita.

Há algumas regras aplicadas à divisão silábica que podem impactar a escrita de uma boa redação. 

Por isso, no artigo de hoje, você entenderá como separar as sílabas, também chamadas trechos de palavras, e como essa divisão é aplicada na translineação (ato de passar de uma linha para outra, na escrita, quando uma palavra não cabe toda na mesma linha).

As principais regras da divisão silábica

Uma sílaba é um fonema pronunciado por uma única emissão de voz, e sua base é sempre uma vogal. Na língua portuguesa, entende-se vogal como o núcleo da sílaba, logo, não há sílabas sem vogais.

Dito isso, temos que:

Se separam:

a) Hiatos (duas vogais juntas, mas que pertencem a sílabas diferentes)

  • saúde: sa-ú-de 
  • moeda: mo-e-da
  • dia: di-a

b) Dígrafos (consoantes que formam o mesmo som, como rr, ss, sc, sç, xc, xs)

  • exceção: ex-ce-ção
  • torre: tor-re
  • piscina: pis-ci-na

c) Encontros consonantais disjuntos (quando as consoantes de separam, permanecendo em sílabas diferentes)

  • alface: al-fa-ce
  • objeto: ob-je-to
  • afta: af-ta
Continue reading

Jiu-jitsu ou Jiu-jítsu – tem acento?

A forma mais correta de grafar o nome desta arte marcial é jiu-jítsu, com acento no segundo “i”. Contudo, alguns estudiosos da língua portuguesa também reconhecem a grafia jiu-jitsu, sem acento.

Neste artigo, vamos explicar qual regra de acentuação se aplica a esse termo. Vejamos!

Paroxítona

Na língua portuguesa, todas as palavras paroxítonas, as que têm a penúltima sílaba como tônica, terminadas em “u” ou “us” devem ser acentuadas. É exatamente o caso do vocábulo jiu-jítsu. Vejamos outros termos que seguem a mesma regra: vírus, húmus, ânus.

Uma curiosidade é que o Acordo Ortográfico não fala de paroxítonas terminadas em “u”, mas somente em “us”. Isso acontece porque, no português, não temos, já há muito tempo, palavras finalizadas em “u”.

Esse fenômeno se deve ao fato de que há uma recomendação ortográfica do não uso do “u” final em palavras de origem latina.

Contudo, a Academia Brasileira de Letras decidiu incorporar o vocábulo japonês jiu-jítsu ao Vocabulário Oficial da Língua Portuguesa (Volp) como um empréstimo linguístico, o que lhe retira do rol dos termos considerados estrangeiros e o submete às regras ortográficas do nosso idioma.

Continue reading

Quando usar S, SS, SC, SÇ e Ç?

Uma das maiores dúvidas ortográficas da língua portuguesa é saber quando usar s, ss, sc, sç e ç. Por isso, neste artigo, reunimos todas as regras que você precisa conhecer para escrever com segurança, sem medo de errar. Vejamos!

Ortografia é estudar a forma correta de escrita das palavras de uma língua. Quantas vezes você já não se confundiu na hora de escrever “quiser”, “autossabotagem”, “disciplina”, “deo”, “torção”, entre muitas outras? 

O uso do S 

  • Nos sufixos -oso e -osa, quando formarem adjetivos. Exemplos: teimoso, medrosa, impiedoso, maravilhosa, bondoso;
  • Nos sufixos -esa e -isa, quando formarem palavras femininas. Exemplos: princesa, papisa, duquesa, poetisa, sacerdotisa;
  • Após ditongos. Exemplos: coisa, lousa, causa; 
  • Na conjugação dos verbos “pôr”, “querer” e “usar”. Exemplos: ela s, ele quis, eles usam;
  • Em palavras terminadas em -ase, -ese, -ise, -ose. Exemplos: frase, maionese, crise, esclerose;
  • ​​​​No caso dos sufixos de naturalidade. Exemplos: paranaense, piauiense, amazonense;
  • Em palavras derivadas de verbos terminados em “nder”, “ndir”, “erter” e “ertir”. Exemplos: pretender, pretensão; confundir, confusão; converter, conversão; divertir, diversão.
Continue reading

Enchente x Enxente – qual a forma correta?

A grafia correta é enchente, com “ch”. A palavra escrita com “x” (enxente) está errada e não deve ser utilizada. Neste artigo, vamos fazer uma análise completa sobre esse termo. Vejamos!

X ou CH?

O termo enchente é formado por derivação sufixal a partir do verbo encher (encher + -ente). Por essa razão, a palavra é escrita com “ch”, e não com “x”.

A fato de o verbo ser escrito com “ch” é uma exceção à regra ortográfica que diz que após a sílaba inicial en- deve vir um “x” (ex: enxada, enxurrada, enxame, enxugar, etc.).

Vale ressaltar que todos os vocábulos derivados de encher devem ser grafados com “ch”:

  • Enchimento;
  • Encheção;
  • Enchido.
Continue reading

Arroba, @ ou aroba – qual a forma correta?

A grafia correta é arroba, com “rr”. A palavra aroba, com somente um “r”, está errada e não deve ser usada. Já @ é a representação gráfica da palavra arroba em contextos informáticos. Saiba mais.

Significado

Arroba é um substantivo feminino pronunciado com “o” fechado (ô). O termo possui dois significados principais:

  • sinal gráfico usado em endereços de e-mail (maria@exemplo.com.br);
  • antiga unidade de medida de peso (1 arroba).
Continue reading

Acento circunflexo – quando usar?

O acento circunflexo é um sinal diacrítico (ou notação lexical) que pode ser utilizado sobre as vogais a, e ou o para indicar que a sílaba tônica de uma palavra deve ter o timbre fechado.

O som emitido por esse acento gráfico é o oposto do que é emitido pelo acento agudo, que tem o timbre aberto. Duas boas palavras que diferenciam muito bem esses dois fonemas são:

avô (com acento circunflexo e timbre fechado);

avó (com acento agudo e timbre aberto).

Continue reading
« Older posts

© 2022 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑