Língua Portuguesa, Literatura e Alfabetização

Categoria: Regência

Ter de x Ter que – qual a forma correta?

Tanto “ter de” quanto “ter que” estão corretos e de acordo com a norma culta. Neste artigo, vamos analisar essas duas construções. Vejamos!

Ter de

Para a maior parte dos estudiosos da língua portuguesa, o uso da expressão “ter de” não é obrigatório, mas é recomendável. Trata-se da forma mais clássica, que exprime a ideia de obrigação ou necessidade. Vejamos alguns exemplos:

  • Eu tenho de terminar essa tarefa até às 18h, porque meu chefe está esperando.
  • Vocês têm de organizar a casa antes de os convidados chegarem.
  • Paulo tem de ir ao médico amanhã de tarde.

Vale destacar que, em contextos mais formais, o ideal é utilizar “ter de”.

Continue reading

Regência nominal – o que é, principais casos e exemplos

Regência nominal é a relação entre substantivo, adjetivo ou advérbio e seus possíveis complementos, o que geralmente ocorre por meio de preposição.

Exemplos de regência nominal:

– O acesso aos comprovantes se dá por meio do aplicativo. (substantivo acesso pede a preposição a)

– O professor está orgulhoso de seus alunos. (adjetivo orgulhoso pede a preposição de)

– O guerreiro reagiu favoravelmente a seus adversários. (advérbio favoravelmente pede a preposição a)

Como existem inúmeros casos de regência nominal, veja a seguir algumas dicas que podem te ajudar a deduzir a regência de um nome.

Nome derivados de verbos

Muitos nomes apresentam exatamente o mesmo regime dos verbos de que derivam. Portanto, conhecer o regime de um verbo significa conhecer o regime dos nomes cognatos na maioria das vezes.

Um bom exemplo é o verbo obedecer. Tanto ele quanto os nomes derivados dele são regidos por complementos introduzidos pela preposição a. Observe:

– Quem obedece, obedece a algo ou a alguém. (Regência verbal)

– Quem é obediente, é obediente a algo ou a alguém. (Regência nominal)

Continue reading

Junto a, junto de ou junto com – qual a forma correta?

As locuções junto a e junto de estão corretas. Elas são sinônimas de “perto de” ou “ao lado de”. Vejamos alguns exemplos:

  • O castelo fica junto ao rio.
  • O castelo fica junto do rio.
  • O anexo 4 fica junta à torre norte.
  • O anexo 4 fica junto da torre norte.

Já a expressão junto com é redundante e não deve ser utilizada. Recomenda-se usar somente a preposição “com”. Vamos analisar as frases abaixo:

  • Fui ao cinema junto com Patrícia. (redundante)
  • Fui ao cinema com Patrícia. (correta)

Mau uso de “junto a” e “junto de”

As expressões junta a e junto de não devem ser usadas no lugar de “com”, “a”, “de”, “em” e “entre”. Vejamos alguns exemplos desses mau usos:

  • A questão será resolvida junto à diretoria. (Errado)
  • A questão será resolvida com a diretoria. (Certo)
  • Pediu um financiamento junto à instituição bancária. (Errado)
  • Pediu um financiamento à instituição bancária. (Certo)
  • A empresa comprou o produto junto ao fornecedor. (Errado)
  • A empresa comprou do fornecedor o produto. (Certo)
  • Mariana entrou com recurso junto ao juizado. (Errado)
  • Mariana entrou com recurso no juizado. (Certo)
  • O discurso repercutiu bem junto aos eleitores. (Errado)
  • O discurso repercutiu bem entre os eleitores. (Certo)
Continue reading

Obedecer a lei ou à lei?

Afinal de contas, a forma correta é obedecer a lei ou à lei? Neste artigo, vamos explicar melhor a regência desse verbo e explicar como usá-lo. Vamos lá!

Transitivo direto ou indireto?

O verbo obedecer é transitivo indireto. Isso significa que ele pede um complemento e, entre este e o verbo, há uma preposição. Vejamos!

ex¹: Os bandidos não obedecem à lei.

ex²: O cachorro obedece ao dono.

Continue reading

COMBINAR – qual a regência correta do verbo?

O correto é dizer “combinamos de sair” ou “combinamos sair“? A resposta correta vai contra o que muita gente pensa! Neste artigo, vamos explicar tudo direitinho. Vamos lá!

Com ou sem preposição?

Segundo o Dicionário de Dúvidas da Língua Portuguesa, do gramática Domingos Paschoal Cegalla, o verbo combinar não deve ser acompanhado de preposição. Em outras palavras, o correto é dizer “combinamos sair”.

ex¹: Combinei buscar minha sobrinha na escola.

ex²: Combinei ir à festa com meus amigos.

Continue reading

De greve x Em greve – qual a forma correta?

A expressão correta é estar/entrar EM GREVE. Isso porque a preposição "em" expressa a ideia de permanência em determinado estado. Ex: Os bancários entraram em (estado de) greve. Já a preposição "de" indica relação de possessividade, especificidade ou origem. Ex1: Os professores DE Goiás estão em greve. Ex2: A greve DOS médicos começa na segunda-feira. #DescriçãoDaImagem A imagem mostra um grupo de pessoas protestando. #TextoDaImagem De greve ou em greve? #português #gramática #educação  #aprendizado #estudo #trabalho #empreendedorismo #concurso #concursopúblico #escola #faculdade #vestibular #enem #dicas #escrita #língua #linguagem #clubedoportuguês #correntedobem #boanoite #greve

A post shared by Clube do Português (@clubedoportugues) on

O correto é em greve ou de greve? Qual preposição devemos usar? Neste artigo, acabamos com essa dúvida e explicamos qual a forma certa. Vamos lá!

Em greve x De greve

A expressão correta é estar/entrar EM GREVE. Isso porque a preposição “em” expressa a ideia de permanência em determinado estado.

Ex: Os bancários entraram em (estado de) greve.

Já a preposição “de” indica relação de possessividade, especificidade ou origem.

Ex¹: Os professores DE Goiás estão em greve.

Ex²: A greve DOS médicos começa na segunda-feira.

Continue reading

Implicar – veja a forma correta de utilizar o verbo

Veja como usar o verbo

Às vezes um erro se repete tanto, que algumas pessoas passam a achar que ele é um acerto. É o caso do verbo implicar. Neste artigo, vamos analisar a regência deste verbo.

Transitivo direto x Transitivo indireto

Ele pode ser transitivo direto ou transitivo indireto. No primeiro caso, ele não exige o uso da preposição e é sinônimo de acarretar. Então, o certo é dizer:”aumento da inflação implica aumento de preços”, e não “implica em aumento de preços”.

Já como transitivo indireto,  o verbo é sinônimo de pirraçar ou perturbar.

ex: A sogra implica com o genro.

Continue reading

A domicílio x Em domicílio

Entrega a domicílio ou em domicílio

O correto é a domicílio ou em domicílio? Há uma polêmica em relação a essas duas expressões. Neste artigo, vamos explicar melhor essa questão e mostrar quando utilizar cada uma das locuções.

Em x A

Antes de avançarmos, vale analisar as preposições que compõem cada uma das expressões.

Segundo o dicionário Priberam, a preposição “em” indica relação de lugar. Já a preposição “a” representa uma ideia de  movimento.

Essas definições são importantes para compreendermos o uso das duas locuções. Vejamos!

Continue reading

À hora de x Na hora de – qual a forma correta?

As duas locuções adverbiais estão corretas. Você pode usar uma para substituir a outra.

Ex¹: Na hora do café, contou seus planos para família.

Ex²: À hora do almoço, todos parabenizaram o aniversariante.

Locuções adverbiais temporais

Nas locuções adverbiais temporais, é permitida a troca da preposição “em” pela preposição “a”. É o que ocorre em “à hora de“. Vejamos outros exemplos:

  • Nos sábados, vou ao parque.
  • Ao sábados, vou ao parque.
  • Nas quintas-feiras, tenho aulas de violão.
  • Às quintas-feitas, tenho aulas de violão.

Continue reading

© 2022 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑